Arquivo da categoria: Uruguai

América Celestial

“Em que o futebol se parece com Deus? Na devoção que desperta em muitos crentes e na desconfiança que desperta em muitos intelectuais” 

O post de hoje é uma dupla homenagem. Uma dupla comemoração. À Eduardo Galeano pelo dia do escritor e à Seleção Uruguaia de futebol pela conquista da 15ª Copa América de sua história. A edição de 2011 da maior competição de seleções da América Latina foi disputada em solo argentino e terminou ontem.

A citação que abre o post é do escritor e uruguaio Eduardo Galeano, um cara que possui 40 obras publicadas e mesmo sem conhecer boa parte delas, dá pra sentir que todas possuem uma forte contestação, uma visão diferenciada, crítica e sagaz. E tudo isso vem sempre salpicado de um temperinho futebolístico. Sim, Eduardo Galeano é um apaixonado por futebol e isso não faz de sua obra algo menos inteligente (eu, na verdade, penso o contrário) acho que Galeano é uma das provas, talvez a maior delas, de que o futebol pode sim ser visto de diversas maneiras, não só naquele lugar-comum de caras correndo atrás de uma bola, de circo pro povo, de retrocesso intelectual. É muito mais do que isso! E essa veia literária do futebol é uma das minhas “lutas” vamos dizer assim. Mas isso também é outra história, deixa pra depois.

Hoje o assunto principal é a Copa América. A ideia inicial desse post era falar da competição como um todo, mas para não me alongar muito vou falar mais mesmo da participação da Seleção Brasileira e do campeão Uruguai.

A Copa América começou no dia 1º de julho, no duelo entre a anfitriã Argentina e a fraca Bolívia. Todos, inclusive eu, esperavam talvez uma sonora goleada dos donos da casa, mas não foi bem isso o que aconteceu. Em um jogo bem fraco tecnicamente, a Bolívia surpreendeu e saiu na frente, com gol do brasileiro naturalizado boliviano Edivaldo. A Argentina buscou o empate com Agüero que saiu do banco para marcar, mas ficou nisso: 1 x 1. No dia parecia ser uma grande surpresa, mas na verdade o que todo mundo ia constatar depois e que isso acabou sendo uma tônica da competição. Jogos mais pegados do que jogados, muitos empates e muitas zebras! A Argentina continuou sofrendo, após novo empate contra a Colômbia, dessa vez por 0 x 0, só na última rodada da primeira fase, contra a equipe sub-23 de Costa Rica, que os hermanos conseguiram vencer: 3 x 0.

Os outros dois principais favoritos, assim como a Argentina, não empolgaram muito na primeira fase. O Brasil empatou com a Venezuela e o Paraguai e só no último jogo da primeira fase conseguiu vencer, 4 x 2 pra cima do Equador, com duas falhas de Júlio César nos gols equatorianos. O time de Mano Menezes que era muito badalado antes da competição, devido ao despojado esquema tático com Ganso, Neymar, Robinho e Pato no time titular acabou não correspondendo e só mesmo no jogo contra o Equador jogou um pouco melhor, nada de extraordinário contudo.

O Uruguai também não jogou aquilo tudo que se esperava na primeira fase. O bom atacante Cavani acabou lesionado e as principais esperanças celestes ficaram em Suárez e Forlán, o melhor jogador da última Copa do Mundo. Com duas vitórias e um empate a classificação veio sem maiores sustos, mas também sem maiores brilhos. Assim como Brasil e Argentina, dois empates (contra Peru e Chile) e uma vitória, sobre o sub-23 do México.

Essas inesperadas campanhas dos favoritos na primeira fase acabaram fazendo com que logo nas Quartas de Final acontecesse o confronto entre Argentina x Uruguai, o Brasil por sua vez também não pegou nenhum adversário mais fraco, novo encontro contra o Paraguai.

O jogo entre Argentina x Uruguai foi o melhor dessa edição da Copa América, As apagadas campanhas da primeira fase foram esquecidas, e ambas as equipes entraram com muita raça e motivação, bem ao estilo do clássico platino mesmo, o resultado foi um jogo intenso, com muita emoção e que acabou sendo decidido nos pênaltis.

No tempo normal Diego Pérez abriu o placar pros uruguaios e pouco depois Gonzalo Higuaín, após cruzamento de Messi (sim, o melhor jogador do mundo jogou nessa Copa América) empatou a partida. Com uma expulsão para cada lado (Pérez e Mascherano) o jogo foi até a prorrogação e o empate foi mantido. É bom que se diga, sem a participação do goleiro uruguaio Muslera o empate talvez não fosse mantido, o arqueiro uruguaio fez talvez a melhor partida de sua carreira, literalmente fechando o gol.

Nos pênaltis, todos os batedores acertaram suas cobranças, com exceção de Tévez que viu sua cobrança parar nas mãos de Muslera. Se em 1950 ocorreu o Maracanazzo, em 2011 foi a vez do Elefantazzo (o jogo foi disputado no estádio Cemitério dos Elefantes), essa partida foi a mostra de que a fraca primeira fase poderia realmente ser esquecida, de que o bom time uruguaio da Copa do Mundo de 2010 ainda estava ali e que a Argentina continua com sérios problemas, muda o técnico, muda o esquema, mas os problemas persistem, Lionel Messi não conseguiu jogar o futebol que deu a ele o título de melhor do mundo e mais uma vez decepcionou os argentinos.

Já no duelo entre Brasil x Paraguai. Novo empate, nova prorrogação e nova disputa por pênaltis. No tempo normal o Brasil se impôs, jogou melhor, mas não conseguiu fazer o gol. O goleiro paraguaio Justo Villar, assim como Muslera no dia anterior, fechou o gol e o 0 x 0 persistiu até as cobranças de pênaltis. O que absolutamente ninguém esperava era que o 0 permanecesse ao fim da disputa de pênaltis também. E foi o que aconteceu com o Brasil. Elano, Thiago Silva, André Santos e Fred desperdiçaram suas cobranças enquanto que o Paraguai de três aproveitou duas e ficou com a vaga nas semi-finais. Não sou grande entendedor da história do futebol, mas pelo menos em competições do porte da Copa América, acredito que nunca antes na história alguma equipe desperdiçou todas as suas cobranças em uma disputa de pênaltis. É algo lamentável, pois como havia dito, a Seleção Brasileira jogou mais durante todo o tempo normal, porém só jogar mais não garante classificação e todos esses erros nos pênaltis não podem ser considerados apenas falta de sorte, faltou muito mais do que isso, a Seleção Brasileira, ainda em formação, precisa melhorar muito se quiser algo mais daqui pra frente.

Nos outros duelos das quartas de final, novas surpresas. A Colômbia de Falcao García, que tinha feito a melhor campanha da primeira fase foi parado pelo Peru. Com direito a pênalti perdido pelo astro do time e tudo mais. Vitória peruana por 2 x 0 na prorrogação. Chile e Venezuela protagonizaram mais uma zebra. Vitória venezuelana por 2 x 1 e o time com a segunda melhor campanha da primeira fase também ficava pelo caminho.

Nas semi-finais o Uruguai se impôs frente o Peru e com dois gols de Luis Suárez venceu por 2 x 0 e garantiu vaga na grande final. Do outro lado Paraguai e Venezuela ficaram no 0 x 0 durante todo tempo normal e prorrogação e mais uma vez na disputa de pênaltis os paraguaios conseguiram a classificação, a equipe de Justo Villar chegou a final da Copa América sem vencer um jogo sequer, foram 5 empates em 5 jogos.

Na disputa pelo terceiro lugar veio a maior goleada da competição. O Peru aplicou 4 x 1 na Venezuela, com 3 gols de Paolo Guerrero, que acabou sendo o artilheiro da competição com 5 gols.

E na final, disputada ontem no Monumental de Nuñez, deu a lógica. O ferrolho defensivo paraguaio dessa vez não conseguiu segurar o potente ataque uruguaio, Suárez abriu o placar no começo do primeiro tempo e depois com dois gols de Diego Forlán, um em cada tempo, o Uruguai confirmou o favoritismo e levou mais uma Copa América. Suárez foi eleito o melhor jogador da competição, merecidíssimo.

Depois de 16 anos, pra alegria de Eduardo Galeano, o Uruguai finalmente volta a conquistar um título. A equipe comandada por Óscar Tabárez já havia feito uma ótima Copa do Mundo no ano passado e agora, com muito merecimento consegue o título da Copa América, além do título, o Uruguai recupera também sua auto estima e sua posição de grande força do futebol latino-americano, há muito esquecida. O interessante é perceber também como as divisões de base uruguaias vêm crescendo no mesmo ritmo da equipe principal. Vice-campeão do Mundo no Mundial Sub-17 e vice campeão Sul-Americano no Sul-Americano Sub-20.

Atando os nós e voltando a falar da citação de Eduardo Galeano, me parece que no país do futebol a devoção dos crentes vai sendo a cada dia que passa enfraquecida, esquecida, não que isso seja algo benéfico, até porque essa devoção pelo futebol em si vai sendo substituída pela devoção aos cortes de cabelo e as chuteiras dos nossos “craques”, enquanto que no Uruguai a devoção volta a crescer fervorosamente, devido a raça e a superação de seus jogadores, que não são considerados craques, mas que jogam um futebol que, se não bonito e técnico, é pelo menos intenso e interessado.

Em tempo: ao que tudo indica no domingo próximo, pra fechar o mês de julho, deve tá no ar um QuimeraCast falando sobre essa Copa América!

O penúltimo jogo da Copa


Foram decididos ontem os 3º e 4º lugares da Copa do Mundo.

O confronto entre Uruguai x Alemanha, assim como acontece na maioria das disputas do 3º lugar foi um jogo muito aberto, de muitos gols e emoção.

A equipe europeia que era uma das favoritas ao título entrou em campo com um time misto e parecia não tão interessada, já o Uruguai jogava com todas as suas forças e queria muito a terceira colocação.

Mas o jogo foi rolando e com chances de lá e de cá, quem acabou saindo na frente foi a Alemanha. Chute de longa distância de Schwensteiger, o goleiro Muslera falhou e no rebote Müller abriu o placar. O camisa 13 alemão chega a 5 gols na Copa e é um dos artilheiros da competição.

Pouco depois o Uruguai chegou ao empate. Luis Suárez que voltava de suspensão fez boa jogada e deixou Cavani na cara gol, o camisa 7 não perdoou e empatou o jogo.

Na volta para o segundo tempo veio a primeira virada do jogo. Logo aos cinco minutos, o volante Arévalo Rios cruzou para Fórlan, que acertou um lindo voleio e fez o segundo gol uruguaio. O camisa 10 também chega a 5 gols, é mais um dos artilheiros da Copa.

Não demorou muito pra Alemanha empatar mais uma vez o jogo. Aos 11, depois de cruzamento de Boateng da direita outra falha de Muslera, a bola sobrou para Jansen que meio sem querer deixou tudo igual.

Depois disso a Alemanha foi ganhando campo, criando algumas chances e o esforçado time uruguaio parecia esgotado.

A outra virada era questão de tempo. Aos 37, após bola cruzada na área uruguaia o volante Khedira cabeceou bem e dessa vez Muslera não teve culpa nenhuma, 3 x 2 Alemanha.

No último lance do jogo, Forlán em uma bela cobrança de falta ainda acertou o travessão de Butt, mas não teve jeito, vitória alemã que pela 4ª vez na história termina uma Copa na terceira colocação.

Esse jogo pra mim deixa a impressão de dois vencedores.

A Alemanha venceu o jogo, isso por si só já é uma vitória, mas talvez mais importante que isso seja a renovada e talentosa seleção que ela levou pra Copa. Novos nomes como Müller, Özil, Khedira são a esperança alemã de mais bons resultados nas Copas seguintes, a falta de Ballack não foi tão sentida assim, e as goleadas sobre Inglaterra e Argentina inflam o ego alemão.

E o Uruguai literalmente renasceu. foi desacreditado para a Copa, conseguindo sua vaga na repescagem, caiu em grupo complicadíssimo e muitos pensavam que voltaria pra casa ainda na primeira fase. Mas foi exatamente o contrário que aconteceu, uma seleção raçuda e compenetrada apresentou um futebol não tão bom em alguns momentos, mas conseguiu chegar até as quartas e contou com um dos melhores jogadores do mundial, Diego Forlán. O camisa 10 fez gols, deu assistências, comandou o time e deu condições para Suárez, Cavani, Pereira se destacarem.

Logo mais tarde a grande final entre Holanda x Espanha, amanhã o Un Quimera fala do último jogo da Copa.

Um campeão inédito virá…


Confesso que fiquei muito desanimado com a Copa depois da eliminação da Seleção Brasileira, tanto que de lá pra cá não tinha postado nada aqui no Un Quimera.

Mas vou falar hoje um pouco sobre o que achei das semi-finais, amanhã tem a disputa do 3º lugar e no domingo a grande final, assuntos que tratarei também.

As semi-finais foram bem distintas uma da outra.

Na terça-feira um aguerrido Uruguai foi batido por uma insossa Holanda. Sim, a equipe sul-americana encarou de frente a poderosa Laranja, não se acovardou mas logo no início do jogo sofreu um duro golpe, um chutaço do capitão holandes Van Bronckhorst foi parar no fundo do gol de Muslera, Holanda na frente.

Ainda no primeiro tempo o Uruguai chegou ao empate, com um gol do seu principal jogador (que foi também um dos principais nomes dessa Copa), o camisa 10 Diego Forlán.

Mas no segundo tempo mesmo não apresentando um bom futebol a Holanda chegou a vitória com gols de seus craques: primeiro Sneijder, em um lance onde Van Persie estava em posição irregular e participou da jogada, mais um erro de arbitragem da Copa. E depois com Robben, de cabeça.

Com o 3 x 1 no placar tudo já parecia ganho, mas o Uruguai não desistia e um gol de Maxi Pereira já no fim pôs fogo no jogo, até o último minuto a Celeste lutou, mas ficou pelo caminho.

Já na quarta, o tão esperado confronto entre Espanha x Alemanha não proporcionou tantas emoções.

Uma irreconhecível Alemanha sucumbiu diante de uma Espanha que se superou da derrota na estreia e pouco a pouco foi conquistando essa merecida vaga na final.

Os gols vinham saindo quase todos dos pés do artilheiro David Villa, mas dessa vez quem decidiu foi o zagueirão Carles Puyol, que com uma certeira cabeçada fez a alegria espanhola e mais uma vez deixou os tão tradicionais e vencedores alemães caídos diante da amarelona Espanha, primeiro na Euro 2008 e agora na Copa 2010.

Holanda x Espanha farão uma final inédita, e um deles entrará para o hall de campeões mundiais.

A Holanda está com 100% de aproveitamento no Mundial, apresentou um bom futebol na primeira fase, mas tanto nas quartas contra o Brasil, quanto nas semi contra o Uruguai contou com uma boa dose de sorte, isso não tira o mérito da “Laranja Mecânica” que depois das derrotas nas finais de 1974 e 1978 espera quebrar essa sina e enfim vencer a Copa.

A Espanha como já disse começou com uma derrota para a Suíça, porém isso ao invés de desanimar os comandados de Vicente Del Bosque os deu um ânimo novo e depois disso venceram todas, é bem verdade que com exceção das vitórias sobre Honduras e Chile na primeira fase todas as outras foram por 1 x 0. Mas isso também não tira o mérito espanhol, talvez os grandes favoritos antes do início do Mundial podem confirmar esse favoritismo e pela primeira vez serem campeões mundiais.

Agora é esperar a final. Meu palpite e minha torcida ficam com a Espanha.

E vamos às Quartas…


Chegou ao fim hoje a fase de Oitavas de Final da Copa do Mundo de 2010.

E pra quem ainda torcia o nariz pra essa Copa acredito que essa fase foi o suficiente para mudar de ideia, agora sim tivemos bons jogos, golaços e, infelizmente, muitos erros claríssimos de arbitragens.

As Quartas reservam ainda mais jogões e golaços e é tentando dar uma prévia das Quartas, falando das Oitavas, que vou mandar esse post:

URUGUAI x GANA

A Copa mostra uma superioridade latino americana incrível e o Uruguai talvez seja a equipe das Américas que mais surpreendeu positivamente.

Invicto e mostrando um futebol bem ao velho estilo uruguaio a equipe celeste vai repousando em sua força ofensiva todas as suas esperanças: Forlán é o principal jogador do time e faz a diferença, no jogo das Oitavas o destaque maior foi de outro atacante: Luis Suarez, que anotou os dois gols contra a Coreia (o segundo gol, aliás, um golaço!), além dos dois Alváro Pereira e a sólida zaga que conta com Lugano e Godín formam a base desse time que tem condições de chegar as semi-finais.

Já Gana continua sendo a “resistência africana” nessa Copa. A suada vitória nas Oitavas diante dos EUA deu ainda mais força a essa seleção que foi pouco falada mas que vai demonstrando sua qualidade e raça jogo a jogo. Os incansáveis Gyan e Ayew dão trabalho a qualquer defesa e Prince Boateng dá todo gás e velocidade ao meio campo.

Jogão! Meu palpite: Uruguai 1 x 0 Gana

BRASIL x HOLANDA

Já pode ser considerado um clássico. Todos os confrontos entre essas duas seleções proporcionaram momentos históricos para os amantes do futebol, e o jogo dessa sexta promete não ser diferente.

A Seleção Brasileira confirmou as expectativas nas Oitavas e mandou os chilenos de volta pra casa sem grandes dificuldades. Mesmo sem Elano e Felipe Melo, Dunga conseguiu armar um meio de campo que apesar de não muito criativo conteve bem o ataque chileno e com a fortíssima defesa bem como sempre ficou fácil para o ataque emplacar e naturalmente sairam os 3 gols.

Para as quartas novos desfalques aparecem, mas a base do time será mantida e a evolução de Kaká, aliada ao constante bom momento da defesa são os trunfos dessa seleção que busca o hexa.

Já os holandeses vem com nada mais, nada menos do que 100% de aproveitamento nessa Copa.

Nas Oitavas não foram assim tão brilhantes, a burocrática vitória por 2 x 1 sobre a Eslováquia contrasta com a grande qualidade técnica da “Laranja Mecânica”.

E não tem o que se esconder, a grande força desse time está no ataque, principalmente na dupla Robben/Sneijder. O primeiro aliás, pelo menos na opinião do blogueiro, é hoje um dos 3 melhores jogadores do mundo.

A expectativa é grande e o meu palpite é: Brasil 3 x 2 Holanda.

ALEMANHA x ARGENTINA

Deve ser o melhor jogo das Quartas e talvez até o melhor da Copa.

Ambas as equipes foram pivôs de confusões nas Oitavas, pois ambas foram claramente favorecidas nos duelos contra Inglaterra e México. Porém, apesar disso ambas também acabaram demosntrando um bom futebol e mereceram e muito suas classificações.

A Alemanha aplicou uma goleada nos ingleses jogando no erro deles. Özil, Schwensteiger e Müller municiam muito bem a dupla Klose/Podolski, o time de Joachim Löw não é brilhante mas tem opções de banco e está muito bem entrosado.

Já os hermanos vem demonstrando muita raça! No jogo contra o México não jogaram o melhor futebol do mundo, mas coroada com o golaço de Tevez a classificação chegou e mostrou que eles estão muito vivos nessa Copa.

A esperança de vingar a eliminação na mesma fase (Quartas) para o mesmo adversário (Alemanha) na Copa de 2006 repousa principalmente nos pés de Lionel Messi, assim como nos gols do artilheiro Higuaín. A exemplo da Alemanha o banco da Argentina é fortíssimo e a figura de Maradona, quase messiânica pra eles, é outro fator que bota ainda mais fogo nesse jogão.

Palpite: Alemanha 1 x 1 Argentina – Pênaltis: Alemanha 3 x 4 Argentina

PARAGUAI x ESPANHA

O Paraguai é outra grata surpresa que vem da América do Sul. Pela primeira vez nas Quartas de uma Copa do Mundo a vaga veio depois de longos 120 minutos sem gols contra o Japão e de uma emocionante disputa de pênaltis, a qual venceu por 5 x 3.

Nas Quartas os paraguaios confiam em seu forte sistema defensivo (apenas dois gols sofridos nessa copa) e na versatilidade de seus atacantes: Barrios, Santa Cruz, Cardozo. Como franco atirador total o Paraguai enfrenta talvez o grande favorito para essa Copa.

Que é a Espanha. Depois de uma derrota na estreia, que alarmou a todos, o time espanhol parou de brincar e veio mostrando um futebol bem melhor.

Nas Oitavas a vítima foi Portugal. Cristiano Ronaldo e cia. não foram capazes de parar Villa, que marcou o gol da vitória e se igualou a Higuaín na tábua de artilheiros.

Além de Villa, o meio de campo com Xavi, Iniesta e Xabi Alonso é a grande fortaleza dessa favoritassa Espanha.

Contra toda lógica, aposto na zebra: Paraguai 2 x 1 Espanha.

Bem, é isso, agora são dois dias sem Copa do Mundo e na sexta começam as Quartas, passa muito rápido e não dá pra perder nada.

Empates


Enfim começou a Copa do Mundo!

Depois de muita espera chegou o esperado dia. Mas antes de falar dos jogos de hoje vale ressaltar a festa de abertura de ontem. Em especial a presença do “torcedor arcebispo” Desmond Tutu, aclamado pelo público, além das várias atrações musicais, o povo africano merecia essa Copa que pela primeira vez chega ao continente africano.

A ideia do Un Quimera é dar pequenos boletins sobre os jogos mais importantes da Copa, quase sempre mais curtos, mas com muito entusiasmo, essa Copa promete!

E hoje nos dois jogos inaugurais tivemos dois empates.

No jogo de manhã os anfitriões sul-africanos empurrados pela torcida que compensou um pouco sua técnica não tão elevada, batalharam muito durante todo o primeiro tempo, mas só conseguiram o gol no início da segunda etapa.

O camisa 8 Tshabalala acertou um lindo chute com a esquerda e mandou a bola no ângulo mexicano, muita festa, muita alegria, um Parreira super emocionado no banco (contrastando com o frio Parreira que estamos acostumados) e com direito a coreografia e tudo mais.

Mas o bom time do México não desanimou e com o zagueiro Rafa Márquez conseguiu o empate. Depois do empate a África do Sul ainda teve um pênalti a seu favor não marcado e carimbaram a trave mexicana num chute de Mphela.

O jogo terminou no 1 x 1 e a sensação de derrota ficou no Soccer City, esse grupo deve ser o mais equilibrado de todos dessa Copa.

No jogo da tarde, o confronto entre Uruguai x França, que era muito esperado por mim (mais até do que o primeiro jogo) me decepcionou e muito.

O nível técnico não foi dos melhores e a briga entre Toulalan e Lugano talvez tenha sido um dos pontos altos do jogo, isso quer dizer que futebol que é bom nada. Poucas chances pros dois lados e no fim um merecido 0 x 0.

Mais uma vez ficou comprovado o equilíbrio e a imprevisibilidade desse grupo A. Na segunda rodada França x México, África do Sul x Uruguai. Apesar de achar que o grupo só será decidido na última rodada, essa segunda rodada pode definir muita coisa.

A minha torcida é para a classificação de África do Sul e França.

Amanhã são mais três jogos: Coreia do Sul x Grécia, Argentina x Nigéria e Inglaterra x EUA. A grande expectativa é a estreia dos nossos “hermanos”.

Brasil 4 – 0 Uruguai

Era pra ser só mais um jogo das Eliminatórias Sul-americanas para a Copa de 2010
na África do Sul.
Mas o jogo de hoje a tarde, em Montevidéu vai entrar pra história.
Vai entrar pra história porque hoje o Brasil quebrou um tabu de 33 anos.
Desde 1976 a Seleção Brasileira não vencia a Seleção Uruguaia em solo uruguaio.
Apesar disso, o jogo não foi dos melhores.
Logo no início, em uma falha clamorosa do goleiro uruguaio Viera, o Brasil abriu o placar com Daniel Alves, ótimo lateral que foi peça fundamental do “Tripete” do Barcelona na temporada, a briga na lateral direita é muito boa, entre Maicon e Daniel Alves.
O Uruguai teve algumas boas chances no primeiro tempo, Daniel Alves por duas vezes salvou a Seleção tirando bolas praticamente em cima da linha, mas quem salvou mesmo, e vem salvando sempre é Júlio César, ele diz estar vivendo o melhor momento de sua carreira, e é mesmo verdade, Júlio hoje é o melhor goleiro do mundo.
Aos 35 do primeiro tempo, bola na área uruguaia, o zagueiro Juan se antecipa ao goleiro Viera, para, de cabeça, aumentar o placar.
Na volta para o segundo tempo, na primeira boa chance que o Brasil teve já saiu o terceiro. Boa trama ofensiva entre Kaká, Elano e Luís Fabiano, que com um forte chute cruzado fez o terceiro do Brasil no jogo e o sétimo dele nas Eliminatórias, o “Fabuloso” é o artilheiro do Brasil na competição.
Mas aos 19, em um lance bobo Luís Fabiano foi expulso. Mas mesmo com um a menos o Brasil conseguiu marcar o quarto gol. Daniel Alves lançou Kaká que foi puxado dentro da área, pênalti. O próprio Kaká cobrou e deu números finais a partida.
É muito bom ver a Seleção Brasileira goleando, jogando bem, mas é bom lembrar que nem tudo são flores.
Apesar da liderança provisória nas Eliminatórias e da vaga na Copa do Mundo praticamente garantida, o adversário de hoje (Uruguai) que outrora já foi uma potência do futebol latino-americano atualmente tem uma seleção abaixo da média, poucos são os jogadores técnicos no time celeste, em contrapartida, muitos são os jogadores violentos e lentos, ou seja, a goleada não é tão exepcional assim.
Quem vê esse último parágrafo pensa que eu estou querendo criticar a seleção de Dunga, mas não é bem isso não. O que quero dizer é que essa seleção, tão contestada por todos, vem tendo resultados, venceu a Copa América de 2007, lidera as Eliminatórias e em amistosos contra seleções mais fortes (Portugal e Itália) venceu e bem. Além disso, Dunga voltou os olhos para o futebol brasileiro jogado no Brasil, no grupo da última convocação são 7 jogadores que atuam no Brasil, o que seria uma utopia alguns anos atrás.
Vendo o último parágrafo agora, pensam que eu sou totalmente a favor da seleção de Dunga, mas também não é bem assim. Acredito que é uma boa seleção, pelos motivos já citados, principalmente pelos resultados conquistados até agora, mas acredito também que essa seleção terá seu grande teste agora na Copa das Confederações, em que, excetuando a Espanha, o Brasil tem mais time e está jogando muito mais do que todas as outras seleções que vão disputar a Copa das Confederações.
Uma boa campanha nessa competição me convencerá de que Dunga pode sim treinar a Seleção Brasileira numa Copa do Mundo, algo que eu acreditava ser impróvavel quando ele assumiu, no longínquo agosto de 2006.