Arquivo da categoria: Peñarol

A América dos Peixes

Chegou ao fim ontem mais uma Taça Libertadores da América. A competição de clubes mais importante do continente teve um time brasileiro como campeão pela décima quinta vez e pela terceira vez esse time foi o Santos.

Todas as decisões de Libertadores ficam para a história, mas essa deverá ter uma importância ainda maior. Por vários fatores: foi a reedição da final da Libertadores de 1962, quando o Santos e Pelé conseguiu seu primeiro título nesta competição, foi também o primeiro título brasileiro na Libertadores, o fato do agora Santos de Neymar conseguir novamente o título coloca definitivamente essa atual geração santista na história, é algo muito grande dentro do futebol, falar daquele time de Pelé e cia. é quase sagrado dentro do esporte bretão e ver um time fazer história em cima disso é especial.

Mas não é só na grandiosidade histórica que esse título santista de ontem se repousa, mas também em pequenos detalhes, a caminhada santista rumo a esse título teve vários obstáculos, não foi fácil.

Pra mim tudo se remonta ao início de 2010, foi lá que Dorival Júnior apostou nos novos meninos da Vila e deu autonomia para Neymar, Paulo Henrique Ganso e cia. jogarem seu futebol. O resultado foi imediato, título paulista e da Copa do Brasil em 2010. Nesse período o time contou com a volta de Robinho que logo depois foi embora novamente, mas a espinha dorsal desse time da Libertadores 2011 já se formava ali, com Neymar e Ganso na frente, Arouca no meio e Durval e Edu Dracena formando a dupla de zaga.

No segundo semestre de 2010, a equipe santista já com vaga na Libertadores em virtude do título da Copa do Brasil não se importou muito com o Brasileirão, mas grandes mudanças aconteceram nessa competição. O início de uma série de lesões de Ganso que o perturba até hoje e talvez tenha distanciado um pouco o camisa 10 santista de ser o melhor jogador brasileiro em atividade, a discussão de Neymar e Dorival Júnior, que acabou culminando na demissão deste último, esses episódios causaram certa turbulência na Vila e trouxeram também um quê de insegurança.

2011 começa com a volta de Elano e a contratação de Adilson Batista para o comando técnico. O time santista ia se redesenhando, mas ainda sem Ganso, as contratações de Jonathan, Diogo, Keirrison não surtiram muito efeito e o começo irregular tanto no Campeonato Paulista quanto na Libertadores acabou gerando a saída de Adilson Batista e a preocupação de uma eliminação precoce na competição continental era muito real.

Aí então quem assume o comando técnico é Muricy Ramalho. Apesar das ressalvas que tenho a ele enquanto treinador, seu sistema de jogo fechado, valorizando muito pouco o ataque e tudo mais, com ele o time voltou a ser aquele bom time de 2010, a defesa passou a tomar poucos gols, o menino Danilo assumiu a lateral direita e fez ótimas partidas por ali, no meio outra revelação, Adriano, deu conta do recado a frente da zaga e deu mais liberdade para Arouca e Elano criarem e chegarem mais a frente.

Veio então o bi campeonato paulista em cima do Corinthians e a classificação para as Oitavas da Libertadores. No mata-mata o Santos soube jogar e chegar bem até a final contra o Peñarol. Depois de um empate sem gols no Uruguai, ontem veio uma vitória por 2 x 1 com gols de Neymar e Danilo e a confirmação do título.

Merecido e bem conquistado, o Santos não foi brilhante, mas foi eficaz. Jogou bola, não caiu na catimba uruguaia. Jogar Libertadores é isso, é valorizar a técnica e saber usar a raça da maneira e no momento certo. Ficar dando pontapé e discutindo com o adversário é o atalho pra derrota.

Esses quatro títulos em dois anos, fazem do Santos o melhor time brasileiro na atualidade e fazem de Neymar, o polêmico menino de 19 anos, o principal jogador desse time, talvez Ganso esteja no mesmo nível ou seja até superior ao camisa 11, mas suas lesões atrapalharam muito e por tudo que jogou Neymar merece ser o destaque maior dessa campanha santista.

Neymar merece todos os elogios, é ainda uma promessa, mas uma promessa que a cada campeonato que passa se consolida como um craque, apenas 19 anos e vários títulos e gols no currículo, a Copa América que se aproxima é mais um desafio para o moleque de cabelo moicano que tem tudo para ser um dos principais nomes da história do futebol.

A grande espera agora é para o que acontecerá daqui seis meses, no Mundial de Clubes da FIFA, onde Barcelona e Santos poderão se enfrentar, onde Neymar e Messi poderão ficar frente, esse confronto pode ocorrer também mais cedo, já no mês que vem pela Copa América, ao invés de Barcelona e Santos, Argentina e Brasil. Essa dupla (Neymar e Messi) é hoje o supra-sumo do futebol, são a jovem e madura espera concretizada.

E pra não dizer que ao invés de falar do Santos campeão, falei só de Neymar e Messi, termino o post mais uma vez ressaltando a conquista santista e voltando a falar da história, quando Pelé pisou o gramado do Pacaembu e levou Muricy até o centro do campo, simbolicamente o Santos de Pelé disse ao atual Santos: você também faz parte dessa história, merece estar aqui!