Arquivo da categoria: NBA Finals

Pela primeira vez Dallas!

Chegou ao fim ontem a temporada 2010/11 da NBA. A maior liga de basquete do mundo.

E essa temporada ficou marcada pelas novidades. Pela primeira vez o Dallas Mavericks se sagrou campeão, pela primeira vez um jogador não-estadunidense foi o MVP das Finais e o principal jogador do time campeão. Além disso, os Playoffs como um todo mostraram que a liga passa por mudanças e que uma nova era parece estar começando pra valer.

Sobre as Finais em si, mais uma vez errei o meu palpite. Apostei num 4-2 para o Heat e a série terminou com um 4-2 só que para os Mavs.

Em jogos muito brigados e disputados, a equipe da Florida saiu na frente na série, mas viu o Dallas empatar a série, ainda em Miami. Isso não desanimou James e cia. que voltaram a frente em terras texanas, ao vencer o jogo 3 por 88-86.

Mas depois disso o Dallas venceu todas as partidas e virou a série para 4-2.

Mesmo com todo o favoritismo do Big Three de Miami, a equipe de Mark Cuban soube jogar o seu jogo nas Finais e mesmo estando atrás na série por duas vezes, não se deixou bater tão fácil.

As bolas de três, as ativas e de certa forma surpreendentes participações de Jason Terry e J.J. Barea, além do equilíbrio do elenco como um todo e de toda a técnica e raça do MVP das Finais, Dirk Nowitzki, deram ao Dallas o primeiro título de sua história.

O Miami acabou não conseguindo mostra o seu melhor basquete nessa série e pagou caro por isso. LeBron James não foi o mesmo James de sempre e o resto do elenco parece ter acompanhado o camisa 6.

Méritos pro Dallas, que mesmo não tendo feito uma das melhores temporadas regulares, conseguiu se sobressair nos Playoffs, eliminar Portland, Lakers e Oklahoma City e finalmente bater o Heat nas Finais.

É muito interessante ver jogadores como Jason Kidd, Shawn Marion e o próprio Jason Terry conquistando um título, coisa que nunca haviam conquistado em suas carreiras, mas que por vezes mereciam, o Kidd dos Nets, o Marion dos Suns e o Terry dos Hawks. Uma época da NBA que vai passando. Como já falei no último post que comentei sobre a liga. Nomes como Shaquille O’Neal (agora já aposentado), Duncan e Bryant merecem todo o respeito, mas vão ficando pra trás. A nova geração de Rose, James, Wade, Durant, Westbrook, Horford e por aí vai, parece ter chegado de vez.

Talvez sendo uma espécie de resistência dessa geração que passa, o Dallas conquista seu primeiro título e permanece como um dos grandes times para a próxima temporada. Literalmente o time a ser batido.

Falo mais de NBA em outubro, quando essa próxima temporada estiver pra começar.

The Finals 2011

E enfim é chegada a hora de mais uma edição das tão aguardadas finais da NBA.

Durante os Playoffs falei um pouco sobre os confrontos, esbocei alguns palpites, dei meus pitacos. Hoje falarei um pouco de como foram as finas das conferências e tentarei uma projeção dessas finais, que reeditarão as finais de 2006.

Dallas Mavericks e Miami Heat chegam a grande decisão com muitos méritos. Essa temporada da NBA já pode ser considerada, com certeza, emblemática. Diria que foi o fim de um ciclo que durou 12 anos, desde a aposentadoria de Michael Jordan até a atual temporada a liga era dominada por Lakers e Spurs, sim, rolaram outros campeões que não eles, mas numa síntese geral tudo girou em torno de Tim Duncan, Kobe Bryant, Shaquille O’Neal e Phil Jackson.

Pra muitos esse ciclo pode ainda não ter sido quebrado, mas o fato de nenhum desses quatro nomes citados estarem presentes nessas finais já mostra um pouco das mudanças ocorridas na liga. Outro ponto que corrobora para essa tese do fim do ciclo é o grande número de times com jovens jogadores chegando nas fases finais, embora o finalista Dallas Mavericks não seja um bom exemplo disso, peguemos o Oklahoma City, o Chicago Bulls, o Atlanta Hawks e o próprio Memphis Grizzlies, todos times de baixa média de idade, que já chegaram longe e têm tudo para serem os grandes protagonistas de temporadas vindouras.

Mas o post de hoje não é sobre o que vira a partir da temporada 2011/12, mas sim sobre o que virá nessas finais de 2011.

O Dallas Mavericks em nenhum momento foi um dos grandes favoritos ao título do Oeste, Lakers e Spurs, e até mesmo o Oklahoma City eram quem ocupavam os postos de favoritos. Os dois grandes cairam ainda cedo – os Spurs para os surpreendentes Grizzlies e os Lakers para o Dallas Mavericks, num impactante 4-0, a série além de tudo marcou a aposentadoria do treinador multicampeão Phil Jackson – e o Oklahoma City de Durant e Westbrook caiu para o Dallas na grande final do Oeste.

Os méritos do Dallas de chegar até as finais são incontestáveis. A equipe do Texas é muito equilibrada (digo isso no sentido titulares/banco) e possui jogadores com muita experiência e técnica. Não é qualquer um que conta com jogadores do calibre de Jason Kidd, Shawn Marion, Jason Terry e Peja Stojakovic em seu time. Além desses nomes, uma grata surpresa para os Mavs nos Playoffs foi a subida de rendimento do pequenino J.J. Barea que vem fazendo bons jogos, dando qualidade para a equipe nos minutos de descanso de Jason Kidd. Mas o grande nome do Dallas é mesmo Dirk Nowitzki. O alemão já não é nenhum novato, mas joga com fôlego de um. Com atuações memoráveis nesses Playoffs é candidato forte ao posto de MVP das Finais, e é nele que as maiores esperanças do Dallas estão depositadas.

Olhando para o outro lado temos o Miami Heat. Este, ao contrário do Dallas, sempre foi tido como um dos grandes favoritos ao título da Conferência Leste. Depois de passar por várias críticas durante a temporada regular e não ter conseguido a primeira colocação da Conferência Leste, chegou aos Playoffs com muita seriedade e humildade, depois de eliminar os Sixers no primeiro round enfrentaram os dois adversários mais fortes possíveis, os experientes e tarimbados Celtics e o líder da temporada regular e time do MVP da temporada, Chicago Bulls.

Vencendo ambas as séries por 4-1 o Miami mostrou que todas as expectativas depositadas em cima dele podem ser sim correspondidas. O trio James-Wade-Bosh comandou a equipe nessas vitórias, com destaque maior para o primeiro que a cada temporada que passa se mostra um jogador ímpar, que impressiona a todos, faz jogadas bonitas e envolventes e sempre chega a decisões, foi assim nos Cavs e está sendo assim também em Miami. Além do “mainstream” outros jogadores como o ótimo Mike Miller, que ressurgiu nesses Playoffs, também ajudam o Heat na busca de mais um título.

As finais se iniciam na terça e depois de falar um pouco de cada time vou dar o meu palpite. Prever equilíbrio num duelo desses é redundante, como já disse ambos os times mereceram chegar a essas finais e o título estará em boas mãos de qualquer maneira. Aposto em algo que seria de certa forma engraçado. Não da mesma maneira como em 2006, mas acredito que o resultado final será 4-2 para o Heat.

Escrevo mais sobre NBA aqui no Un Quimera quando essas finais forem decididas.

Os "acontecimentos" de junho/2010


Voltando ao esquema antigo de dois acontecimentos por mês, o Un Quimera fecha o mês de junho com uma grande perda para a Literatura e uma grande conquista no basquete:

Morre Saramago

O dia 18 de junho de 2010 ficou marcado por ter sido o dia da morte de um dos maiores escritores da Língua Portuguesa. Sim, acredito poder colocá-lo no nível de Camões, Pessoa e Machado de Assis. Falo de José Saramago.

Nascido em 1922, em Azinhaga, Portugal, o escritor que recebeu um Nobel de Literatura em 1988 e um Prêmio Camões em 1995, ficou caracterizado fortemente pelo seu ateísmo e seu espírito crítico.

Sua primeira obra publicada foi Terra do Pecado (1947), outros livros como O Ano da Morte de Ricardo Reis (1984), O Evangelho Segundo Jesus Cristo (1991) e contos como O Conto da Ilha Desconhecida (1997) estão estre suas principais obras.

Ensaio Sobre a Cegueira (1995) ficou conhecido por muitos devido a adaptação cinematográfica feita pelo diretor brasileiro Fernando Meirelles, o livro segundo o próprio autor é:

“Um livro francamente terrível com o qual eu quero que o leitor sofra tanto como eu sofri ao escrevê-lo. Nele se descreve uma longa tortura. É um livro brutal e violento e é simultaneamente uma das experiências mais dolorosas da minha vida. São 300 páginas de constante aflição. Através da escrita, tentei dizer que não somos bons e que é preciso que tenhamos coragem para reconhecer isso.”

Além de suas obras Saramago deixa a imagem de um homem polêmico, que participou de polêmicas em relação à Igreja Católica e ao Papa Bento XVI, e também em relação ao Estado de Israel.

Mas obras e polêmicas a parte, a Literatura e a arte como um todo com certeza sentirão falta de José Saramago. Mentes inteligentes como a dele são necessárias para o mundo e independente da posição religiosa ou política que assumem merecem muito respeito e admiração.

Pra finalizar, as últimas palavras deixadas por Saramago em seu blog:

“Acho que na sociedade actual nos falta filosofia. Filosofia como espaço, lugar, método de reflexão, que pode não ter um objectivo determinado, como a ciência, que avança para satisfazer objectivos. Falta-nos reflexão, pensar, e parece-me que, sem ideias, não vamos a parte nenhuma.”

LA Lakers chega a 16 títulos da NBA

Pensa num Flamengo x Vasco, pensa num Cruzeiro x Atlético, pensa num Gre x Nal, pensa num Corinthians x Palmeiras,agora junta tudo e imagina esses confrontos decidindo 2 finais de campeonato num período de 3 anos. É mais ou menos isso que rolou nas Finais da NBA nessa temporada 2009/10.

No ano passado fiz uma cobertura maior da NBA aqui no Un Quimera, falei dos Playoffs e das Finais, como nessa temporada acabei não acompanhando direito a melhor liga de basquete do mundo preferi deixar pra comentar apenas sobre as Finais e acredito que colocá-las nos “acontecimentos” é mais do que justo.

Como já disse a rivalidade que envolvia essa decisão era enorme, os Lakers vinham do título mas precisavam vingar a derrota para os mesmos Celtics dois anos atrás, os maiores campeões da NBA por sua vez queriam mais um título e até por terem chegado com muito mais dificuldade nas Finais nessa temporada, o título seria a coroação máxima.

Pois bem, o jogo 1 da série mostrou um sólido Los Angeles Lakers. A dupla Gasol/Bryant estava inspirada e não deu chances para os Celtics: 102-89 num Staples Center lotado.

O jogo 2, ainda no Staples Center foi diferente, a dupla que se destacou foi Allen/Rondo. O primeiro anotou 7 cestas de 3 pontos no primeiro tempo e o segundo conseguiu seu quinto triplo-duplo nos Playoffs. Vitória dos Celtics por 103-94.

O jogo 3, no TD Banknorth Garden poderia ser a chance dos Celtics de abrir vantagem na série depois da vitória fora de casa, mas aí foi a vez de brilhar a estrela de um cara que sempre brilha em Playoffs: Derek Fisher. Com 11 pontos no último quarto, o armador fez a diferença pros Lakers vencerem por 91-84 e voltarem a liderar a série.

No jogo 4 a série foi novamente empatada. Nem mesmo os 33 pontos de Kobe Bryant impediram a vitória dos Celtics que contaram com o auxílio luxuoso do seu banco, que anotou 21 pontos, destaque pra Glen “Big Baby” Davis, vitória por 96-89.

No jogo 5 novamente Kobe Bryant foi decisivo e mostrou porque é o melhor jogador da NBA na atualidade, anotando importantíssimos 38 pontos, porém mais uma vez não foi capaz de bater os Celtics, a equipe da casa não teve um destaque individual, mas sua defesa como um todo foi muito sólida e com muito sacrifício a vitória veio: 92-86.

O jogo 6 poderia ter sido o último da série, os Lakers poderiam mais uma vez ter sido parados pelos Celtics, mas dessa vez foi diferente, sabendo da importância histórica do momento os comandados de Phil Jackson fizeram um jogo quase perfeito e venceram bem por 89-67.

Até que veio o épico jogo 7. Um jogaço digno da história das duas equipes e da qualidade e tradição da NBA. Duas equipes focadas e com muita sede de vitória. Mesmo em Los Angeles e depois de uma avassaladora derrota no jogo 6 os Celtics não se abateram e ficaram a frente do placar boa parte do jogo. Mas dessa vez o título ficaria por ali mesmo, com destaque para o polêmico e eficiente Ron Artest, os Lakers conseguiram virar o jogo e vencê-lo por 4 pontos de diferença: 83-79.

Fim de NBA e o Sweet 16 dos Lakers fica para a história, os Celtics continuam sendo os maiores campeões da NBA com 17 títulos, mas agora a diferença cai para apenas um título.

É a consagração absoluta de Bryant e Phil Jackson, ambos já vinham conquistando muitos títulos com os Lakers mas esse tem um gosto especial, e além deles todo o time merece muito, vale lembrar também Artest e Gasol que nunca haviam conquistado esse título.

Enfim, a NBA mais uma vez confirma o seu alto nível e essa temporada com certeza ficará marcada na memória de muitos.

Los Angeles Lakers – 15 vezes campeão da NBA


Chegaram ao fim no último do domingo as Finais da NBA, temporada 2008/09.


E acabou pesando toda a tradição e favoritismo dos Lakers de Kobe Bryant sobre o Orlando Magic de Dwight Howard.

As Finais começaram no Staples Center, e no jogo 1 Kobe Bryant e todo o time californiano já mostrou o que queria: o título e nada mais.

Com um basquete consistente os Lakers superaram a forte defesa armada por Stan Van Gundy e conseguiram uma ótima vitória, com 25 pontos de diferença: 100 x 75, de quebra, Kobe Bryant anotou sua maior pontuação em Playoffs, 40 pontos.

No jogo 2, ainda na Califórnia, os Lakers, jogando de branco, afinal era um domingo, encontraram mais dificuldades para vencer a partida.

O ala de Orlando, Rashard Lewis anotou 34 pontos e deu muito trabalho a defesa dos Lakers, o jogo era equilibrado e as duas defesas se postavam bem.

Após um empate em 88 no fim do 4º período, o jogo foi pra prorrogação e aí a dupla Bryant-Gasol chamou a responsabilidade pra si e ampliou a vantagem dos Lakers para 2 – 0, fechando o jogo em 101 x 96.

No jogo 3, agora na Flórida, o Orlando conseguiu reagir, vencendo por 108 x 104, em um jogo onde Rafer Alston, até então sumido nas Finais, ressurgiu, acertou várias bolas de 3, e com a ajuda de Howard e Lewis levou o Orlando a vitória, uma ponta de esperança ainda existia para o Magic.

Porém, pode-se que tudo se decidiu realamente no jogo 4.

Em um jogo tenso e dramático, como pede uma final de NBA, brilhou a estrela do veterano armador Derek Fisher, que com uma cesta de 3 pontos forçou a prorrogação, e aí, na prorrogação, brilhou Pau Gasol, os Lakers venceram por 99 x 91 e praticamente colocaram a mão na taça. Mas não foi por falta de vontade do Orlando não, Hedo Turkoglu contribuiu muito para o ataque, anotando 25 pontos e Dwight Howard conseguiu 16 pontos, 21 rebotes e 9 tocos (isso mesmo, 9 tocos, um recorde em Finais).

Depois da vitória no jogo 4, tudo estava encaminhado para o título dos Lakers, que só confirmaram isso no jogo 5, ainda em Orlando, vencendo e vencendo bem, com 99 x 86, sepultando de uma vez todas as chances do Magic de conseguir seu primeiro título na NBA e levando pra Los Angeles o 15º título da franquia.

Esse título marca a superação de Phil Jackson sobre o lendário Red Auerbach, agora Jackson tem 10 anéis, contra 9 de Red.

Depois do jogo, perguntado sobre o assunto Phil Jackson foi caetgórico:

– Vou fumar um charuto pensando no Red – afirmou Jackson, referindo-se ao hábito de Auerbach em noites de título.

E além da superação de Phil Jackson marcou também a superação de Kobe Bryant, que conquistou seu quarto título de NBA, porém dessa vez foi com um gostinho especial.

Das outras três vezes, o título tinha sido conquistado ao lado de seu “muy amigo” Shaquille O’Neal (hoje em Phoenix) e o pivô tinha sido eleito o MVP das Finais nas 3 oportunidades.

Dessa vez, Kobe conquistou o título sendo o principal jogador do time e também foi eleito o MVP das Finais, terminando a temporada de maneira fantástica, Kobe definitivamente entra para a turma dos grandes jogadores da história da NBA.

Parabéns as Lakers!!!

NBA Finals

O Un Quimera não postou nada sobre a 5ª e a 6ª semana dos Playoffs.
Mas volta agora com um post preview das tão esperadas Finais da NBA.
O campeão do oeste, Los Angeles Lakers contra o campeão do leste Orlando Magic.
Uma pequena análise dos dois times:
LOS ANGELES LAKERS (65-17)
Time
Os Lakers têm muita história e muitos títulos na NBA.
A franquia foi fundada em 1946, e começou na cidade de Detroit, como Detroit Gems, no ano seguinte mudou-se para Minneapolis, onde adotou o nome de Minneapolis Lakers e já começou sua história vitoriosa de títulos, conquistando 5 títulos como Minneapolis Lakers. Em 1960 mais
uma mudança, dessa vez para transformar-se em Los Angeles Lakers. Depois dessa mudança a equipe adquiriu muita popularidade e mais 9 títulos, totalizando 14.
Depois dos vices em 2004 e 2008, os Lakers buscam agora o seu 15º título.
Playoffs
Durante os Playoffs os Lakers tiveram uma trajetória talvez mais complicada do que se esperava.
Depois de um tranquilo 4-1 sobre o Utah Jazz na primeira rodada, o duelo contra os Rockets nas semi-finais do Oeste chegou a assustar a equipe californiana, um 4-3 histórico recheado de polêmica e confusões, destacando-se o duelo particular entre Artest e Bryant.
Na final do Oeste o duelo dos dois melhores times literalmente, e o basquete dos Lakers prevaleceu sobre os Nuggets, fechando a série em 4-2.
O Astro 
Com média de 29.6 pontos, 5.3 rebotes e 4.9 assitências por jogo nos Playoffs 2009, Kobe Bryant é o principal jogador dos Lakers, apesar de já ter chegado a 12 anos de NBA, o camisa 24 parece ser um jovem jogador quando se diz respeito a parte física, mas toda a experiência adquirida nesses 12 anos fazem de Bryant um jogador ainda melhor, MVP da temporada passada, disputou o prêmio com LeBron nessa temporada, mas acabou perdendo.
ORLANDO MAGIC (59-23)
Time
O Orlando Magic não tem tanta história assim como o seu adversário nessas Finais.
Fundado em 1989, ainda não tem nenhum título da Liga. O máximo que conseguiu até hoje foi o título da Conferência Leste, em 1995, fato que se repetiu nessa temporada, o que dá direito a equipe da Flórida de disputar mais uma final de NBA.
Playoffs
Desde o início o Magic sabia que sua trajetória nos Playoffs não seria nada fácil, afinal, possivelmente iria ter que passar os favoritos Celtics e Cavs para chegar as Finais.
Pois bem, logo na primeira rodada surgiram as dificuldades, favorito no confronto contra os Sixers, o time de Orlando não teve vida fácil nessa série e depois de muito suor venceu por 4-2.
Aí vieram os favoritos, nas semi-finais foi a vez do Boston, mais uma série disputadíssima que, assim como ns série entre Lakers e Rockets teve jogo 7.
Na final do Leste, o duelo contra o então imbatível nos Playoffs, Cleveland Cavaliers. Com um basquete consistente e de muita raça o Magic fez 4-2 e avançou as Finais.
O Astro
Com média de 21.7 pontos, 15.4 rebotes e 1.8 assistências por jogo nos Playoffs 2009, D12 é a arma principal de Orlando para vencer a NBA. Ainda jovem (com apenas 4 anos de NBA) Howard possui uma força física descomunal, mas não é baseado somente na força física o seu basquete, inteligente, o ala-pivô é um dos melhores jogadores de sua geração. Basta ver por exemplo o jogo 6 da final do Leste contra os Cavs, Howard anotou 40 pontos e pegou 14 rebotes.
Bem, o meu favorito para essas Finais é o Los Angeles Lakers.
Além de contar com a vantagem de decidir em casa, o time californiano adquiriu experiência depois da derrota nas Finais da última temporada frente o Boston Celtics. Conta com o astro Kobe Bryant, um time equilibrado e um tal de Phil Jackson no banco.
Porém, não vai ser nem um pouco fácil, o Orlando também tem uma equipe muito forte e passar por Boston e Cleveland não é pra qualquer um, principalmente pelo Cleveland, do MVP LeBron James.