Arquivo da categoria: Nando Reis

QuimeraTube #46

Juiz de Fora recebeu na noite de ontem o Bailão do Ruivão, ou seja, um showzaço comandado por Nando Reis e os Infernais. Além das canções de sua própria autoria, mais antigas, conhecidas por todos, Nando tocou também as canções do disco Bailão do Ruivão, não menos conhecidas e não menos empolgantes.

Foi a primeira vez do blogueiro no La Rocca e as impressões foram as melhores possíveis. Pra coroar de vez o show e ficar a lembrança também aqui no Un Quimera, vai uma das canções tocadas ontem:

“Seus pés se espalham em fivela e sandália e o chão se abre por dois sorrisos, virão guiando o seu corpo que é praia de um escândalo, charme macio…”

QuimeraTube #06

Mais um QuimeraTube, hoje vou de Cássia Eller.

Pra falar a verdade nem estou escutando muito o som dela, já escutei mais vezes, porém essa música em particular está na minha cabeça e eu não sei porquê.
Cássia Eller, pra mim, sempre foi uma referência musical e me lembro da época de sua morte, ainda era bem pequeno mas já escutava suas músicas.
Dentre várias músicas, talvez o mais interessante na Cássia seja a sua abrangência musical (do samba legítimo ao rock legítimo) e também sua atitude.
As interpretações para as canções de Nando Reis principalmente são muito boas!
E a música que está na minha cabeça desde a faculdade, passando pelo ônibus e chegano aqui em casa foi 1º de Julho, aí vai:

Você

Você é…
O fruto de um amor verdadeiro e abençoado,
uma vida nova que abriguei no ventre,
choro suave que interrompia madrugadas de sono,
sorriso doce espalhando otimismo no lar.

Você é…
desenvolvimento sadio,
autor de peraltices e anedotas,
menino travesso e cativante,
semente de honestidade,
promessa de homem realizado e vitorioso,
razão de lutas e conquistas minhas.
Ser humano que devo educar.

Você é…
meu filho!

Esse poema está presente no livro “Nas Asas do Pensamento”, primeiro e único livro lançado por minha, contém somente poesias de autoria dela, e hoje, dia 29 de dezembro, seria aniversário dela, mas há 10 anos ela se foi, fica aqui essa homenagem pra essa mulher com quem eu pouco convivi, mas sei que fez tudo por mim e que se orgulharia muito em ver seu único filho também escrevendo poemas.

“Mãe, o amor que eu tenho por você é seu, oh, mãe, o amor que eu tenho por você é seu, como é seu o meu aniversário.”