Arquivo da categoria: Martiataka

QuimeraTube #31

O QuimeraTube de hoje é na verdade uma homenagem aos 10 anos da banda juizforana Martiataka.

Antes de vir morar aqui não conhecia a banda de Del Guiducci e cia. mas assim que conheci gostei bastante. É um ROCK no melhor sentido da palavra, o álbum Rock n’Roll Combustível e o EP Karma, Baby! são pra mim suas melhores produções, suas canções autorais têm muito feeling e tratam de assuntos bem urbanos, falam também de romances, possuem uma ambientação que me é muito agradável. E as versões que eles fazem também parecem ser as melhores escolhas possíveis: AC/DC, Camisa de Vênus, Rolling Stones e por aí vai…

Não sou nenhum grande conhecedor de música, mais especificamente falando de rock, mas gosto muito e o “rock de marte” é rock com atitude, tapa na cara mesmo!

Fica o clip de Mundo Bar, do Rock n’Roll Combustível:

Karma, Capetada!

Bem, talvez comece até a parecer uma espécie de diário de um caipira, mas na verdade é a minha vida mesmo.

Depois de um post falando sobre a minha primeira ida ao Cultural Bar, o post de hoje fala da minha primeira ida ao Café Muzik, outra casa de shows de Juiz de Fora, muito boa por sinal.

E foi na ida ao Cultural, para o show da Pitty que eu conheci a Martiataka.

O show de ontem no Muzik foi deles, lançamento do novo EP Karma, Baby!

Vale a pena já dar uma olhada no site dos caras: http://www.martiataka.com, lá tem todas as músicas disponíveis pra baixar.

O ambiente do Muzik é bem interessante, de fora dá aquela impressão de ser algo bem pequeno mesmo e na realidade é, porém são dois ambientes, ambos muito undergrounds, o som é de muita qualidade também, antes da banda entrar o que rolava nas caixas já me animava muito.

Quando Del Guiducci, Fabricio Barreto, Thiago “Jim” Salomão, Victor Fonseca e Tiago Sarmento entraram no palco ficou melhor ainda.

Antigas canções da banda como Mundo Bar e Asas misturadas a sucessos do Matanza e também da Rita Lee deram a tônica do show.

Mas o principal era o novo EP, as quatro canções foram tocadas na sequência: Quer Saber, Bem Perto, Karma Baby e a faixa bônus e não menos aguardada Eu Não Matei Joana D’arc, com um pequeno mix de Beth Morreu, ambas do Camisa de Vênus, de Marcelo Nova.

Enfim, um show puro rock n’ roll que me remeteu a antigas bandas, antigos sons e que hoje se fazem presente com bandas como a Martiataka. Além de tudo ainda ganhei camiseta da banda e EP autografado com vários xablaus!

Uma grande noite em Juiz de Fora.