Arquivo da categoria: Marcelo D2

D2 e preste atenção!

Vou falar de música hoje, e venho com uma mistura daquelas!
“É hip hop com samba haha é hip hop que vem do Rio de Janeiro uma batida de funk, um DJ e um pandeiro”
Sim, falo hoje Marcelo Maldonado Peixoto, ou, se preferir, Marcelo D2.
Um rapper brasileiro de primeira qualidade, que surgiu com a polêmica banda Planet Hemp, onde já mostrou todo o seu lado subversivo e verborrágico, ao lado de B Negão, Marcelo surgiu para o cenário nacional com músicas como Contexto, Legalize já e, principalmente, Mantenha o Respeito que já moldaram a sólida imagem de D2 no mundo do rap.
Depois dos álbuns Usuário, Os Cães Ladram mas a Caravana não Pára e A Invasão do
Sagaz Homem Fumaça, a banda acabou e D2 partiu para a carreira solo.
Aí surgiram novos álbuns, Marcelo não esqueceu de suas origens “hempa” mas foi na sua carreira solo que ele descobriu um novo mundo para suas músicas: o mundo do Samba.
Vieram então os álbuns Eu Tiro é Onda, A Procura da Batida Perfeita, Meu Samba é
Assim e A Arte do Barulho.
Todos de muita qualidade musical, com partipações de artistas renomados como Alcione, Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz, Seu Jorge, entre outros.
De todos os álbuns dele, A Procura da Batida Perfeita e Meu Samba é Assim são, com certeza os que eu mais ouvi, o primeiro, com 11 faixas contém os hits Vai Vendo, A Procura da Batida Perfeita e Qual É?, o segundo talvez não tenha feito o mesmo sucesso, mas também possui várias músicas muito boas: É Preciso Lutar, Dor de Verdade, That’s What I Got e Gueto, dentro outras.
Desculpem o trocadilho mas escutar Marcelo D2 pra mim é como se fosse um vício.
As suas músicas misturam rap com samba, responsabilidade social com amor, malandragem com humildade, são misturas perfeitas que combinam muito bem comigo.
E sem hipocrisia, não dá pra falar de D2 sem falar do vício, da maconha, ele é um usuário assumido e faz muito bem em ser assim, não tem o que esconder e usa da maconha também em várias de suas músicas.
Pra fechar o post o clip de Numa Cidade Muito Longe Daqui, uma parceira de D2 e Leandro Sapucahy, saca só essa letra:

Desabafo

Já fui cumprir o meu direito e o

meu dever de votar, já pensei no
candidato, já fiz minha cabeça.
E vejo atos secretos, corrupção,
nepotismo, desmoralização, pizza!
Já tô cumprindo o meu direito e o
meu dever de estudar, tô aprendendo
fórmulas, tô aprendendo teoremas.
E vejo notas e estatísticas
valerem mais que o conhecimento!
Ainda vou cumprir o meu direito e o
meu dever de alistar, bater continência,
me doar pelo país e o escambau.
E vejo a desigualdade reinar, num
lugar onde há pouco patriotismo e pouca segurança!
Brasil, cadê a ordem e
cadê o progresso?
Brasil, boa educação
é novo ENEM?
Brasil, como explicar tanta
desigualdade e tanto medo?
Rogério Arantes