Arquivo da categoria: Liga dos Campeões da Europa

Adiós Manchester! (2)

O post de hoje já é uma tradição do Un Quimera. Um comentário sobre a final da Liga dos Campeões da Europa, a maior competição de futebol de clubes do mundo. O engraçado é que essas tradição começou logo no ano em que surgiu o blog, 2009, e nesse ano o vencedor da competição foi o Barcelona, em cima do Manchester United. A história se repetiu nessa temporada, por isso o título do post também se repete.

Não é por não ter gostado da qualidade técnica do jogo ou do resultado do mesmo, pelo contrário, mas é que sinceramente nem tenho muito o que falar. O toque de bola do Barça fala por todas as palavras.

Muitos ainda podem torcer o nariz, mas eu digo em alto e bom som: o Barça é sim o melhor time do mundo, diria até com sobras, e essa base que foi estruturada mais ou menos em 2009 e segue firme e forte tem tudo para se tornar (se já não é) uma lendária equipe de futebol. Digo lendária no sentido de garotos lá em 2050 estarem comentando e ouvindo histórias dos mais velhos sobre a segurança de Valdés, a solidez de Dani Alves, Piqué, Puyol, Mascherano e Busquets, a superação de Abidal, a inteligência e visão de jogo de Xavi e Iniesta, a rapidez de Pedro Rodríguez, a precisão de Villa e a genialidade de Messi. O time todo, enfim!

Falando mais especificamente sobre o jogo: um começo em que os comandados de Alex Fergunson até tentaram algo, apertaram a marcação e nos 10 minutos iniciais estavam melhores, mas depois disso em momento algum os ingleses tiveram qualquer tipo de superioridade dentro de campo. O Barça começou a impor seu futebol e não demorou para que Pedro Rodríguez abrisse o placar, após receber ótimo passe de Xavi.

Logo depois do gol do Barça, o Manchester ainda conseguiu o empate, com seu melhor jogador, Wayne Rooney, após tabelar com o “imortal” Ryan Giggs, que estava impedido no lance.

Na volta para o segundo tempo o Barça continuou a impor seu jogo, sem se abalar pelo resultado. E num chute do melhor jogador do mundo, Lionel Messi, voltou a frente. Pouco depois David Villa fez um belo gol, colocando a bola no ângulo de Van Der Sar.

Placar final de 3 x 1. Muita festa para dos tetracampeões (92, 06, 09 e 11) e desolação do lado dos Red Devils.

Nem preciso dizer que o resultado foi mais do que justo e que o Barça vai confirmando a cada competição sua enorme superioridade. O time é muito coeso e compacto, joga um futebol diferente da maioria das equipes, pautado no toque de bola, na posse de bola.

Agora é esperar a próxima edição da Liga dos Campeões para ver como serão as coisas. Uma coisa é certa: o Barcelona é o adversário a ser batido e quem conseguir tal coisa (se conseguir) terá muitos méritos.

45 anos depois


Chegou ao fim ontem mais uma Liga dos Campeões da Europa, pela primeira vez a
decisão em jogo único foi disputada num sábado e depois de muito tempo (45 anos
pra ser exato) a Internazionale de Milão conseguiu o título mais importante do
futebol europeu, a equipe italiana agora é tri-campeã europeia.

O palco da decisão foi um dos melhores, Santiago Bernabeu, estádio do Real Madrid
que sonhava com a decisão em casa mas que ficou pelo caminho. Assim como os outros grandes favoritos Chelsea, Manchester United e o atual campeão Barcelona.

O interessante é lembrar que nas fases anteriores os dois finalistas (Inter e Bayern) eliminaram praticamente todos esses favoritos, a presença de ambos na final foi uma surpresa para muitos, mas pelo futebol apresentado durante toda a competição, desde a fase de grupos, ambos mereceram estar em Madrid.

Um grande jogo que teve como tônica um Bayern sempre com mais posse de bola, mas
tocando ela de lado na maioria das vezes sem muita objetividade, Van Gaal armou o time pra partir pra cima, deixando claro uma das principais características de seus times, a ofensividade, porém a defesa da Inter estava muito bem postada e Ribéry, com certeza, fez muita falta.

As jogadas quase sempre eram feitas por Arjen Robben, o holandês que foi talvez o
maior destaque do Bayern na competição e um dos grandes destaques da competição como um todo jogou como um legítimo ponta direita e deu muito trabalho pra Chivu, mas suas chegadas poucas vezes levaram real perigo ao gol de Júlio César.

Se defendendo muito bem e sabendo suportar a pressão alemã a Inter tentava chegar nos contra-ataques mas nada conseguiu durante muito tempo.

Até que saiu o primeiro gol do jogo, em uma ligação direta de Júlio César pra Milito, o argentino ajeitou de cabeça pra Sneijder que devolveu pra Milito na cara do gol, ele não costuma perder gols assim e não seria na final da Liga dos Campeões que ele ia perder, Inter 1 x 0.

Na volta para o segundo tempo pouca coisa mudou. O Bayern continuava tentando mas sem conseguir quase nada, Robben continuava sendo o mais lúcido dentro de campo e atuações apagadas de Olic e Schwensteiger contribuiram ainda mais para a Inter continuar muito tranquila na defesa.

Defendendo cada vez mais até pela vantagem no placar a equipe italiana esperava um contra-ataque para matar o jogo. E ele veio.

Novamente em jogada de Sneijder, Milito recebeu em boas condições, fez boa jogada pela esquerda deixando Demichelis sem pai nem mãe e tocou com classe na saída de Butt.

O argentino já havia marcado o gol do pentacampeonato italiano, o gol do título na Copa Itália e agora deixou de vez seu nome na história ao marcar mais esses dois decisivos gols.

Depois do segundo gol nem Robben que vinha se destacando durante a partida conseguiu mais nada, a sólida defesa da Inter continuou impenetrável até o apito final de Howard Webb.

O Bayern surpreendeu a muitos durante a competição, principalmente quando eliminou o Manchester nas quartas-de-final. Mas a equipe alemã sucumbiu à superioridade da equipe de José Mourinho.

O treinador sai como um dos grandes vencedores dessa Liga. Depois do supreendente
título com o Porto em 2003, o treinador português consegue mais um título da Liga
dos Campeões e as especulações de uma possível ida para o Real Madrid na temporada que vem ganham cada vez mais força.

Além dele o trio brasileiro da Inter também ganha muita moral pra Copa e a “internacional Inter” de argentinos, romenos, ganeses, camaroneses etc. mostra a
todos que a tríplice coroa conquistada nessa temporada não é obra do acaso. Assim como no ano passado quando o Barcelona conseguiu ganhar tudo incontestavelmente, nesse ano a Inter também tem todo esse merecimento.

A temporada europeia acaba e agora todos os olhares do mundo do futebol se voltam
para a África, a Copa promete.

Liga dos Campeões da Europa 2009/2010 Preview

Começa no próximo dia 15 a Liga dos Campeões da Europa, também conhecida como UEFA Champions League, a maior competição de clubes do mundo chega nessa temporada 2009/2010 repleta de expectativas (das melhores possíveis).
Como já deu pra acompanhar nos posts do mês passado, os principais campeonatos nacionais europeus começaram e muitos grandes clubes europeus aparecem como favoritos a conquista dessa Liga dos Campeões.
Vou analisar um pouco de cada um dos 8 grupos dessa primeira fase de Liga dos Campeões e dar os meus palpites também.
GRUPO A
Juventus, Girondins de Bordeaux, Maccabi Haifa e FC Bayern München
O grupo A não é dos mais fáceis, porém não pode ser considerado um “grupo da morte” também.
Com exceção do Maccabi Haifa, conta somente com equipes de história no futebol mundial que podem chegar ao título da Liga dos Campeões.
Mas apenas 2 se classificam para as oitavas, devido as boas contratações e ao bom início de temporada aposto na Vecchia Signora como uma das equipes classificadas a segunda vaga, na minha opinião fica com o Bordeaux, a equipe de Laurent Blanc está entrosada, vem de um título francês e começa a temporada bem na Ligue 1.
1 – Juventus
2 – Bordeaux
3 – Bayern
4 – Maccabi Haifa
GRUPO B
VfL Wolfsburg, PFC CSKA Moscou, Besiktas JK e Manchester United FC
Um grupo que tem nos Red Devils o time a ser batido, apesar da equipe de Sir Alex Fergunson estar passando por um processo de reconstrução é superior aos adversários e tem tudo para ficar a liderança do grupo.
A segunda vaga deve ser muito disputada: o Wolfsburg, atual campeão alemão e de volta a Liga dos Campeões surge como favorito para essa segunda vaga, mas a briga não deverá ser fácil.
1 – Manchester United
2 – Wolfsburg
3 – CSKA Moscou
4 – Besiktas
GRUPO C
FC Zürich, Real Madrid CF, Olympique de Marseille e AC Milan
Esse sim é um grupo complicado!
Dá até dó do FC Zürich que possivelmente será apenas um figurante nesse grupo que reserva grandes jogos e encontros, como por exemplo o encontro de Kaká contra seu ex-time Milan.
O Real, por tudo que contratou e investiu tem tudo para ficar a primeira vaga do grupo, embora não seja bom contar com isso assim tão fácil, a segunda vaga que teoricamente seria do rubro-negro italiano, pra mim está totalmente aberta, o Olympique também se reforçou muito nessa temporada e pode surpreender.
1 – Real Madrid
2 – Olympique de Marseille
3 – Milan
4 – Zürich
GRUPO D
Chelsea FC, FC Porto, Club Atlético de Madrid e APOEL FC
Grupo em que o Chelsea aparece como favorito disparado, por tudo: o bom time que tem, o ótimo começo de temporada e a defieciência técnica dos adversários.
A briga pela segunda vaga deve ficar entre Porto e Atlético de Madrid, devido a várias perdas nessa última temporada, como Lucho González e Lisandro López, o Porto sai um pouco atrás. Quanto ao APOEL, resta torcer contra e tentar ser uma zebra da competição.
1 – Chelsea
2 – Atlético de Madrid
3 – Porto
4 – APOEL
GRUPO E
Liverpool FC, Debreceni VSC, Olympique Lyonnais, ACF Fiorentina
Grupo do Liverpool, que apesar do começo irregular de temporada tem tudo para ser a primeira força desse grupo, o húngaro Debreceni, que já na estreia enfrenta os Reds caiu em um grupo muito complicado e deve brigar para pontuar.
Lyon e Fiorentina medirão forças pra ver quem fica com a segunda vaga, aposto nos franceses.
1 – Liverpool
2 – Lyon
3 – Fiorentina
4 – Debreceni
GRUPO F
FC Internazionale de Milano, FC Barcelona, FC Dynamo Kyiv e FC Rubin Kazan
Grupo decidido?
É o que parece, Inter e Barça devem realizar dois jogos fantásticos e devem conseguir as duas primeiras vagas do grupo com certa facilidade.
Dynamo e Rubin Kazan brigam pra ver quem fica com a terceira posição.
1 – Internazionale
2 – Barcelona
3 – Dynamo Kyiv
4 – Rubin Kazan
GRUPO G
VfB Stuttgart, Rangers FC, Sevilla FC e FC Unirea Urziceni
Talvez o grupo mais indefinido de todos.
O Sevilla que fez boas participações nas últimas competições europeias que disputou aparece como favorito à primeira vaga.
A segunda vaga está totalmente aberta e é até difícil arriscar um palpite.
1 – Sevilla
2 – Rangers
3 – Stuttgart
4 – Unirea Urziceni
GRUPO H
Olympiacos FC, AZ Alkmaar, R. Standard de Liège e Arsenal FC
O Arsenal, que se classificou para a fase de grupos passando por uma repescagem deu sorte no sorteio e caiu no grupo teoricamente mais fácil da Liga, deve se classificar em primeiro lugar sem muitas dificuldades.
Já a segunda vaga também está aberta, a equipe grega do Olympiacos leva leve vantagem.
1 – Arsenal
2 – Olympiacos
3 – Standard de Liège
4 – AZ Alkmaar
Bem, esses são palpites “por cima” do pouco que conheço desse ótimo futebol europeu que sempre reserva emoções e grandes jogos.
O Un Quimera vai acompanhar de perto essa Liga dos Campeões e no fim da fase de grupos veremos se os palpites estão certeiros.

Adiós Manchester!


O Estádio Olímpico de Roma foi palco de mais uma final da Liga dos Campeões da Europa, a maior competição de clubes do mundo.

E a decisão, além de marcar o duelo dos dois melhores times da temporada 2008/09, marcou também o duelo individual entre dois dos maiores jogadores da atualidade: Cristiano Ronaldo pelo lado do Manchester e Lionel Messi pelo lado do Barcelona.
O jogo começou com o Manchester no ataque, Fergunson entrou com Ronaldo, Rooney e Park na frente, Cristiano Ronaldo teve uma boa chance em uma falta logo no início.
E até os 10 minutos de jogo o Barça mal tinha passado do meio de campo, porém bastou isso acontecer uma vez que a história do jogo foi mudada: Iniesta, (um ótimo meio-campista catalão que garantiu a vaga do Barça nessa final, marcando o gol decisivo na semi-final contra o Chelsea) passou para Eto’o, que com muita categoria e velocidade tirou Vidic do lance e tocou consciente no canto de Van Der Sar, que ainda tentou defender, mas não dava, gol do Barcelona e a festa em azul-grená já se anunciava.
Depois disso, o resto do primeiro tempo foi equilibrado, o Barça soube jogar com o resultado favorável e Cristiano Ronaldo e cia. pareciam não conseguir mostrar o seu melhor futebol.
Na volta para o segundo tempo, Sir. Alex Fergunson arriscou, ao colocar Tevez no lugar de Anderson. O time inglês ficou um pouco desfigurado, jogando numa variação tática pouco usada durante toda a temporada e o Barça pareceu ganhar ainda mais confiança na etapa final.
Como o empate não vinha Fergunson colocou mais um atacante, o búlgaro Berbatov, era a última carta na manga dele, o time ficava com 4 atacantes em campo mas quem vencia ainda era o Barça.
E, aos 25 minutos, Xavi Hernández recebeu na direita fez ótimo cruzamente e Lionel Messi, de cabeça, sepultou de vez os Diabos Vermelhos. Van Der Sar não teve reação a cabeça do pequenino Messi, que, além do gol, fez um ótimo jogo coletivo, tentando sempre servir os companheiros, mas também partindo pra cima com dribles e finalizações, o gol serviu também para mostrar que vencia o duelo individual da noite.
Depois disso o Manchester continuou tentando, mas o Barça era comprovadamente superior, um lance isolado mostra muito bem como estava o jogo, aos 28 do segundo tempo, Puyol, sim, o zagueirão Puyol, que estava improvisado de lateral direito ontem, foi a linha de fundo, cortou Cristiano Ronaldo e sofreu a falta do português, o que se esperava era o contrário não é verdade?
Enfim, a equipe da Catalunha, comandada por Josep Guardiola termina talvez a melhor temporada de sua história.
Venceu a Copa do Rey com certa facilidade, foi campeão espanhol antecipadamente e conquistou a Liga dos Campeões.
É importante destacar o trabalho de Guardiola, ex-jogador do time está apenas na sua primeira temporada como treinador (começou muito bem!) e já conseguiu levar o Barça a todos esses títulos, vale lembrar que na final o Barça teve desfalques importantes como Rafa Márquez e Daniel Alves. Utilizando-se de muitos jogadores formados no clube como Sergio Busquets, Andrés Iniesta, Carles Puyol, Victor Váldez, Pedro Rodriguez etc., Guardiola mostrou que tem elenco e fez o inverso do que muitos treinadores europeus fazem, valorizou a base do time, lógico que com boas contratações também, mas veja o Manchester por exemplo, com exceção dos veteraníssimos Scholes e Giggs, quase todos os outros jogadores do elenco são estranegeiros.
Enfim, parabéns ao Barça por mais essa conquista, gostei de ver o jogo e a vitória catalã, mas é lógico que a vontade era de ver o Liverpool campeão, fica pra 2009/10.

Chelsea 4 – 4 Liverpool / 20 anos da tragédia de Hillsborough

A eliminação

Chegou ao fim ontem a participação do Liverpool na Liga dos Campeões da Europa temporada 2008/09.
Os Reds que, historicamente, têm muita tradição dentro dessa competição acabaram sendo eliminados, pela segunda veza consecutiva por outro inglês: o Chelsea.
Como já havia dito no último post, na semana passada, jogando em casa (Anfield Road) o Liverpool até saiu na frente, com gol de Fernando Torres, mas permitiu a reação do Chelsea, que virou pra 3 x 1 e ficou em uma situação confortável para o jogo de volta, que seria em Londres (Stamford Bridge).
Mas pra quem pensava que a classificação dos Blues já estava certa se enganou, apesar de ter sido conrfimada não foi nem um pouco fácil consegui-la nesse segundo jogo.
Com gols de Fábio Aurélio e Xabi Alonso o Liverpool começou o jogo abrindo 2 x 0 e mostrando que poderia conseguir a vaga nas semi-finais, porém, como havia acontecido no primeiro jogo o Chelsea reagiu e conseguiu virar pra 3 x 2, mas os Reds ainda estavam vivos e reviraram o jogo (literalmente) chegando aos 40 minutos do segundo tempo com um placar favorável de 4 x 3, aos 44 minutos, Frank Lampard marcou o quarto gol do Chelsea, empatou o jogo e tirou o Liverpool da Liga.
O treinador red, Rafa Benítez disse na coletiva: Demonstramos caráter e qualidade e temos que estar orgulhosos. Os jogadores fizeram um trabalho fantástico.
E acho que o espírito é esse mesmo, apesar da derrota, o Liverpool jogo com muita raça e determinação até o fim, o jogo de ontem foi um dos melhores da história da Liga.
Agora o Chelsea segue e enfrenta o Barcelona de Messi nas semi-finais.
A Tragédia

E hoje é uma data histórica para o Liverpool, há exatos 20 anos, num jogo válido pelas semi-finais da Copa da Inglaterra, entre Liverpool x Nottingham, a superlotação de uma parte do estádio acabou causando a morte de 96 torcedores dos Reds.
São cenas impressionantes, que ficaram marcadas na história do futebol, e, apesar de tudo, tiveram seu lado bom: depois disso o futebol inglês passou por uma modernização e hoje é um dos melhores e mais modernos do mundo.
Porém isso não paga as 96 vidas perdidas na tragédia, por isso a tristeza fica e a data é lembrada até hoje com um memorial no estádio Anfield Road.
Obs.: A primeira foto do post é do jogo entre Liverpool x Blackburn, disputado no último sábado pelo Campeonato Inglês, os jogadores respeitaram um minuto de silêncio antes do jogo em homenagem as vítimas da tragédia de Hillsborough.

A segunda foto é de um torcedor do Liverpool no memorial da tragédia.
YNWA – SRN