Arquivo da categoria: Internazionale de Milão

Mundo à milanesa

Ontem foi disputada a final do Mundial de Clubes da FIFA, versão 2010.

Acredito que todos, principalmente os brasileiros queriam ter assistido ao tão esperado duelo de “Inters”, entre o de Milão e o de Porto Alegre.

Porém não foi bem assim. O Inter de Porto Alegre, como todos sabem, acabou ficando pelo caminho, sendo eliminado nas semi-finais pela grande zebra africana, o Mazembe.

Mazembe que soube se comportar muito bem nas semi-finais, o favoritismo do Inter era enorme, e logo no começo do jogo a equipe gaúcha perdeu boas chances, mas os africanos se seguravam e esperavam brechas na defesa vermelha, que apareceram.

2 x o pra Kidiaba (um dos grandes nomes desse Mundial) e cia. O Inter teve que se contentar com a disputa do terceiro lugar contra o Seongnan Ilhwa.

Na disputa do terceiro lugar o Colorado se impôs e com dois gols de Alecsandro, um de Tinga e um D’Alessandro venceu o Seongnan por 4 x 2, os outros dois gols do jogo foram anotados por Molina, ex-Santos.

Na grande final um jogo atípico para uma final de Mundial de Clubes.

Vale lembrar que essa foi a última final em Abu Dhabi, ano que vem o Mundial volta para sua ” casa”, no Japão.

Atípico pois foi o confronto entre um gigante europeu que chegou  com uma certa desconfiança para o Mundial e uma enorme zebra africana, o Mazembe possivelmente nunca teve seu nome escutado em outro continente que não o africano e agora é um dos times mais falados em todo mundo, querendo ou não, mesmo com o vice, esse Mundial foi uma grande vitrine para os congoleses.

Logo com 17 minutos a equipe de Rafa Benítez (que estava pressionado e em caso de derrota possivelmente seria demitido) já abriu 2 x 0. Com gols de Pandev, após rápida jogada e de Samuel Eto’o. O camisa 9 que foi comemorar com o banco e com as sacolas acabou sendo eleito o melhor jogador do Mundial, de maneira merecida! Esteve muito bem na final, ajudando inclusive a defesa em alguns momentos e na frente sempre insinuante e raçudo.

Depois desse forte golpe inicial o Mazembe não conseguiu nenhuma real reação, até tentou chegar, buscar o gol, mas a disparidade técnica era notável, a zebra teria que se contentar mesmo com o vice.

No segundo tempo o jogo continuou parecido, com a Inter sem muito volume ofensivo, mas tendo algumas ótimas chances, e o Mazembe tentando buscar o ataque, mas sem muita eficiência.

No fim, o jovem reserva Biabiany ainda recebeu na frente, tirou de Kidiaba e fez o terceiro gol pra fechar a conta. A Inter termina a competição com dois 3 x 0 e com o seu terceiro título mundial.

Mérito da equipe dos brasileiros Julio Cesar, Maicon, Lucio, Thiago Motta e Phillipe Coutinho. Que mesmo sem ter sido brilhante e mesmo tendo chegado à Abu Dhabi com muita desconfiança por parte da torcida e da imprensa conseguiu se impor e vencer bem.

Vale deixar registrado também uma menção honrosa à equipe africana, jogou com muita raça e até onde deu foi, como já falei Kidiaba com certeza foi um dos grandes personagens desse Mundial, além do cabelo exótico (característica de boa parte do time) sua dancinha de comemoração de gols é característica e muito engraçada.

Ao Inter de Porto Alegre resta as lamentações de um time que entrou na competição como favorito para muitos e acabou ficando com um triste 3º lugar. Ao Inter de Milão a sensação de que mesmo desacreditado, o time tem capacidade para ir longe e os títulos da Liga dos Campeões e do Mundial coroam a ótima temporada milanesa.

45 anos depois


Chegou ao fim ontem mais uma Liga dos Campeões da Europa, pela primeira vez a
decisão em jogo único foi disputada num sábado e depois de muito tempo (45 anos
pra ser exato) a Internazionale de Milão conseguiu o título mais importante do
futebol europeu, a equipe italiana agora é tri-campeã europeia.

O palco da decisão foi um dos melhores, Santiago Bernabeu, estádio do Real Madrid
que sonhava com a decisão em casa mas que ficou pelo caminho. Assim como os outros grandes favoritos Chelsea, Manchester United e o atual campeão Barcelona.

O interessante é lembrar que nas fases anteriores os dois finalistas (Inter e Bayern) eliminaram praticamente todos esses favoritos, a presença de ambos na final foi uma surpresa para muitos, mas pelo futebol apresentado durante toda a competição, desde a fase de grupos, ambos mereceram estar em Madrid.

Um grande jogo que teve como tônica um Bayern sempre com mais posse de bola, mas
tocando ela de lado na maioria das vezes sem muita objetividade, Van Gaal armou o time pra partir pra cima, deixando claro uma das principais características de seus times, a ofensividade, porém a defesa da Inter estava muito bem postada e Ribéry, com certeza, fez muita falta.

As jogadas quase sempre eram feitas por Arjen Robben, o holandês que foi talvez o
maior destaque do Bayern na competição e um dos grandes destaques da competição como um todo jogou como um legítimo ponta direita e deu muito trabalho pra Chivu, mas suas chegadas poucas vezes levaram real perigo ao gol de Júlio César.

Se defendendo muito bem e sabendo suportar a pressão alemã a Inter tentava chegar nos contra-ataques mas nada conseguiu durante muito tempo.

Até que saiu o primeiro gol do jogo, em uma ligação direta de Júlio César pra Milito, o argentino ajeitou de cabeça pra Sneijder que devolveu pra Milito na cara do gol, ele não costuma perder gols assim e não seria na final da Liga dos Campeões que ele ia perder, Inter 1 x 0.

Na volta para o segundo tempo pouca coisa mudou. O Bayern continuava tentando mas sem conseguir quase nada, Robben continuava sendo o mais lúcido dentro de campo e atuações apagadas de Olic e Schwensteiger contribuiram ainda mais para a Inter continuar muito tranquila na defesa.

Defendendo cada vez mais até pela vantagem no placar a equipe italiana esperava um contra-ataque para matar o jogo. E ele veio.

Novamente em jogada de Sneijder, Milito recebeu em boas condições, fez boa jogada pela esquerda deixando Demichelis sem pai nem mãe e tocou com classe na saída de Butt.

O argentino já havia marcado o gol do pentacampeonato italiano, o gol do título na Copa Itália e agora deixou de vez seu nome na história ao marcar mais esses dois decisivos gols.

Depois do segundo gol nem Robben que vinha se destacando durante a partida conseguiu mais nada, a sólida defesa da Inter continuou impenetrável até o apito final de Howard Webb.

O Bayern surpreendeu a muitos durante a competição, principalmente quando eliminou o Manchester nas quartas-de-final. Mas a equipe alemã sucumbiu à superioridade da equipe de José Mourinho.

O treinador sai como um dos grandes vencedores dessa Liga. Depois do supreendente
título com o Porto em 2003, o treinador português consegue mais um título da Liga
dos Campeões e as especulações de uma possível ida para o Real Madrid na temporada que vem ganham cada vez mais força.

Além dele o trio brasileiro da Inter também ganha muita moral pra Copa e a “internacional Inter” de argentinos, romenos, ganeses, camaroneses etc. mostra a
todos que a tríplice coroa conquistada nessa temporada não é obra do acaso. Assim como no ano passado quando o Barcelona conseguiu ganhar tudo incontestavelmente, nesse ano a Inter também tem todo esse merecimento.

A temporada europeia acaba e agora todos os olhares do mundo do futebol se voltam
para a África, a Copa promete.