Arquivo da categoria: França

Empates


Enfim começou a Copa do Mundo!

Depois de muita espera chegou o esperado dia. Mas antes de falar dos jogos de hoje vale ressaltar a festa de abertura de ontem. Em especial a presença do “torcedor arcebispo” Desmond Tutu, aclamado pelo público, além das várias atrações musicais, o povo africano merecia essa Copa que pela primeira vez chega ao continente africano.

A ideia do Un Quimera é dar pequenos boletins sobre os jogos mais importantes da Copa, quase sempre mais curtos, mas com muito entusiasmo, essa Copa promete!

E hoje nos dois jogos inaugurais tivemos dois empates.

No jogo de manhã os anfitriões sul-africanos empurrados pela torcida que compensou um pouco sua técnica não tão elevada, batalharam muito durante todo o primeiro tempo, mas só conseguiram o gol no início da segunda etapa.

O camisa 8 Tshabalala acertou um lindo chute com a esquerda e mandou a bola no ângulo mexicano, muita festa, muita alegria, um Parreira super emocionado no banco (contrastando com o frio Parreira que estamos acostumados) e com direito a coreografia e tudo mais.

Mas o bom time do México não desanimou e com o zagueiro Rafa Márquez conseguiu o empate. Depois do empate a África do Sul ainda teve um pênalti a seu favor não marcado e carimbaram a trave mexicana num chute de Mphela.

O jogo terminou no 1 x 1 e a sensação de derrota ficou no Soccer City, esse grupo deve ser o mais equilibrado de todos dessa Copa.

No jogo da tarde, o confronto entre Uruguai x França, que era muito esperado por mim (mais até do que o primeiro jogo) me decepcionou e muito.

O nível técnico não foi dos melhores e a briga entre Toulalan e Lugano talvez tenha sido um dos pontos altos do jogo, isso quer dizer que futebol que é bom nada. Poucas chances pros dois lados e no fim um merecido 0 x 0.

Mais uma vez ficou comprovado o equilíbrio e a imprevisibilidade desse grupo A. Na segunda rodada França x México, África do Sul x Uruguai. Apesar de achar que o grupo só será decidido na última rodada, essa segunda rodada pode definir muita coisa.

A minha torcida é para a classificação de África do Sul e França.

Amanhã são mais três jogos: Coreia do Sul x Grécia, Argentina x Nigéria e Inglaterra x EUA. A grande expectativa é a estreia dos nossos “hermanos”.

Os "acontecimentos" de setembro/2009

Acaba o mês de setembro e os acontecimentos do mês estão aqui no Un Quimera:
Acordo Militar Brasil-França
As relações entre Brasil e França sempre foram algo a ser lembrado.
Antigamente no âmbito cultural isso era muito forte, existe aquela velha história de que em tempos idos o Brasil tentava copiar a Europa em tudo, nessa Europa o grande pilar era o país que tem como capital Paris.
Mas hoje o acordo entre Brasil e França se dá em outra área, na militar.
Convidado de honra para o desfile de 7 de setembro, o presidente francês Jean Sarkozy assinou um acordo com o presidente Lula. Um acordo de proporções enormes.
O acordo é assim: a França fornecerá ao Brasil helicópteros, quatro submarinos, um casco para o futuro submarino nuclear e transferência de tecnologias, com exceção da nuclear (que por acaso é uma das maiores e mais evoluídas matrizes de energia francesas).
Tudo isso pela “bagatela” de R$ 25 bilhões. Além disso foi acordado também a compra de 36 caças Rafale, pelo valor aproximado de R$ 7 bilhões.
Bem, é muita grana!
É lógico que o investimento nessa área é muito importante, mas até por isso mesmo é necessário fazer uma melhor pesquisa de preços e de posteriores vantagens que o país poderá ter: é mais ou menos como pesquisar em vários supermercados o melhor preço. Ao invés de fazer isso, Lula escolheu um “supermercado”, entrou nele e comprou tudo de uma vez lá.
Acho que deu pra entender a brincadeira do parágrafo acima, o que quero dizer é que um acordo do tamanho desses ser feito assim da noite pro dia é algo meio estranho, talvez fosse melhor pensar mais um pouco.
Sarkozy é quem agradece, pois além de lucrar muito com esse acordo ainda se livra dos Rafale, um caça que não deu muito certo, e precisava de alguém pra comprá-lo, esse alguém foi o Brasil.
Mas, acordos militares a parte, Vive la France!
Caso Briatore Renault

Continuamos com um pé na França, afinal agora o acontecimento tem como um de seus principais personagens a escuderia francesa de Fórmula 1, Renault.
Na verdade o acontecimento ocorreu há um ano, no Grande Prêmio de Cingapura: o piloto brasileiro Nelsinho Piquet acatou ordens de seus superiores (entenda-se Flávio Briatore, o então homem forte da Renault) para forjar um acidente, que beneficiaria seu companheiro de equipe Fernando Alonso, arriscando-se fisica e moralmente.
Mas aí o leitor pode se perguntar: mas por que isso só veio a tona agora?
É simples: Nelsinho foi mandado embora da Renault, enquanto ainda corria pela equipe não queria revelar isso ao público, depois da demissão ficou “livre”disso e enfim foi tudo revelado.
É meio deprimente ver coisas assim, foram muitas discussões em relação às punições a Briatore, Piquet e outros envolvidos, acredito que nenhum tipo de punição é válida, o que foi feito é algo realmente baixo, que teoricamente não deveria ser feito de maneira alguma, ainda mais em um campeonato da grandeza da F1.
E aí fica o questionamento mais uma vez: práticas como essa podem ser comuns dentro da Fórmula 1? Será que foi a primeira vez que isso aconteceu?
Sinceramente, creio que não em ambas as perguntas.
Porém o que fica é a impressão de que o dinheiro definitivamente ultrapassou as barreiras do esporte, hoje não é mais corrida pra ver a bandeira quadriculada antes de todo mundo, a corrida é pelo dinheiro.
Soa materialista demais, mas essa é a realidade.
*Mês que vem tem Honduras nos acontecimentos…