Arquivo da categoria: Espanha

Hegemonia Furiosa!

Chegou ao fim ontem a edição de 2012 da Eurocopa.

Com sede dupla (Polônia e Ucrânia) a maior competição de clubes de futebol europeu, que tem a fama de ser uma Copa do Mundo sem Brasil e Argentina, teve como campeã, pela segunda vez consecutiva e pela terceira vez na história (a primeira havia sido em 1964) a Espanha.

Deixando de lado o fato de todos os jogadores estarem em fim de temporada nesse período em que é disputada a competição, dos poucos jogos que vi, muita coisa boa rolou, equipes tradicionalmente mais retranqueiras como a Alemanha e a Itália mostraram um futebol mais solto, na primeira fase também tivemos os toques de categoria de duas potenciais lendas do futebol europeu: o sueco Ibrahimovic e o ucraniano Shevchenko. Sem contar é claro a campeã Espanha, da qual falarei mais durante o post.

Como vi poucos jogos da competição, vou falar logo dos três últimos. O duelo Espanha x Portugal, pelas semi-finais, ficou no 0 x 0 e acabou contando com vitória espanhola nos pênaltis. Por mais que os lusitanos tenham ficado com um gostinho de que dava pra ter passado, a Espanha, já jogando como uma seleção calejada e não mais uma novidade no mundo das grandes seleções, soube segurar o ímpeto português e conquistar a vaga. Portugal, por sua vez, ainda me parece muito dependente de seu craque Cristiano Ronaldo. O atacante do Real Madrid, questionado no começo da competição por atuações fracas na primeira fase, mostrou que é sim um dos melhores jogadores do mundo e dentro da própria competição deu a volta por cima. Ele sozinho, no entanto, não consegue títulos e por mais que Portugal tenha alguns outros bons talentos individuais, ainda acho que não é uma seleção pronta pra um título de grande expressão como a Eurocopa ou uma Copa do Mundo.

Na outra semi-final, tivemos a ascensão do grande personagem individual dessa Eurocopa: Mario Balotelli. O polêmico atacante italiano de apenas 21 anos, marcou os dois gols da desacreditada Itália contra uma favoritíssima Alemanha, que ainda descontou com Özil, mas que acabou ficando fora da final. Placar final de 2 x 1. Independente desse resultado, considero a Alemanha como uma equipe fortíssima (como quase sempre é) e que vem numa renovação que devagarinho, devagarinho vai dando muito certo. Ao contrário de Portugal, penso que a Alemanha já tem time pra disputar um título grande e creio que ela virá bem forte em 2014.

Chegamos então à final. A Espanha, campeã da Euro 2008 e campeã do mundo em 2010, vinha com um certo favoritismo, mas também com certas desconfianças, depois de uma primeira fase não tão boa e da vitória sofrida nos pênaltis contra Portugal. Já a Itália, que havia feito um péssimo Mundial em 2010 vinha desacreditada e o simples fato de ter conseguido chegar à final, eliminando a Alemanha pelo caminho, já tinha dado um ânimo gigantesco para os italianos. Além disso, Cesare Prandelli, o treinador italiano, conseguiu fazer de um time então retrancado e sem criatividade, um time que joga bola, que tem na qualidade de Pirlo, um dos melhores jogadores dessa Eurocopa, passe, inteligência e bom futebol. Assim como a Alemanha, acredito que a Itália irá forte no Brasil em 2014.

Entretanto, no jogo de ontem, todas essas qualidades italianas não apareceram. A Espanha mostrou não foi atoa que conquistou os títulos da Euro e da Copa do Mundo, mais uma vez se impôs, com o já característico toque de bola, a já característica solidez defensiva (sofreu apenas um gol nessa Eurocopa, da Itália, só que no jogo de estreia, ainda pela fase de grupos) e o preparo físico invejável. A Espanha não cansou em momento algum e também não teve, em momento algum, sua vitória ameaçada. No primeiro tempo, Silva e Alba, em boas jogadas de Fábregas e Xavi, respectivamente, fizeram os dois gols espanhois. Na segunda etapa, Prandelli colocou Thiago Motta no lugar de Montolivo com pouco mais de dez minutos do segundo tempo, era a última substituição italiana. Poucos minutos depois o brasileiro naturalizado italiano sofreu uma lesão muscular e teve de sair de campo. A Itália ficou com um a menos até o fim da partida e desse momento em diante o que se viu foi um verdadeiro baile espanhol, só faltaram as castanholas.

A Espanha agrediu a Itália praticamente a todo o momento, mesmo sem grandes chances, teve amplo domínio do jogo e nos minutos finais, dois jogadores do Chelsea (coisa rara na seleção espanhola, que é composta quase que exclusivamente por jogadores da dupla Barça e Real), entraram e fizeram cada um o seu gol. Primeiro Torres e depois Mata. Placar final: Espanha 4 x 0 Itália!

Penso que a seleção espanhola mereceu cada gol do jogo de ontem. Soube conter o ímpeto italiano e mais uma vez fazer da posse de bola uma arma mortífera. Não preciso nem dizer que a Espanha é forte candidata ao título da Copa das Confederações do ano que vem e da Copa de 2014. Pode sim perder, mas vai ser difícil. A hegemonia espanhola vai, cada vez mais, ganhando consistência.

Pra fechar o post, um detalhe “extra-futebol” que me chamou muito a atenção. Assim como em 2010, quando uma das fotos mais marcantes da Copa foi o beijo apaixonado de Casillas em sua esposa jornalista Sara Carbonero, ontem uma cena “familiar” tomou conta das lentes dos fotógrafos após o jogo. Vários jogadores espanhois foram até a arquibancada onde seus familiares assistiam a partida e pegaram seus bebês pra comemorar com eles dentro de campo. A cena foi totalmente inesperada e surreal. E por que não lúdica? Lúdica como talvez o futebol, na maioria das vezes, devesse ser e, infelizmente, não é mais.

Fúria!


Um mês depois chega ao fim a Copa do Mundo da África do Sul.

Copa da Jabulani, das vuvuzelas, dos erros de arbitragem, da voz do polvo, de Mick Jagger, de Larissa Riquelme, e, principalmente da Espanha.

Os atuais campeões europeus quebram de vez a fama de amarelão e vencem pela primeira vez uma Copa do Mundo, os comandados de Vicente Del Bosque eram os grandes favoritos para o título antes do início da competição e a derrota para a Suíça logo na estreia assustou a muitos, mas depois disso vieram 6 jogos e 6 vitórias, a última delas sobre a Holanda na grande final.

Em um jogo muito tenso, devido a sua enorme importância, as duas equipes não conseguiram criar muitas chances, quando conseguiram esbarraram ou nos bons goleiros Stekelenburg e Casillas, ou nos próprios erros.

O jogo terminou no 0 x 0 e foi para a prorrogação.

A Espanha era melhor, mas Holanda resistia, com a expulsão do zagueiro holandês Heintinga as coisas ficaram mais fáceis para os espanhois que pressionavam a Laranja, até que a quatro minutos do fim, Iniesta (melhor em campo) recebeu de Fábregas e chutou para fazer o gol do título.

Espanha 1 x 0, resultado que se repetiu das oitavas até a final e que garantiu o título.

A festa foi enorme e continua, a Espanha conquista sua primeira Copa de uma maneira muito merecida. O time, que é composto por muitos jogadores do Barcelona é sim o melhor do mundo, essa geração espanhola une a juventude de Piqué, Busquets, Navas, Pedro com a experiência de Casillas, Puyol, Xavi, Villa…

E dá também a lição de que ter jogadores jogando em seu próprio país pode ser algo muito positivo para a Seleção, essa base do Barcelona faz toda diferença, dá uma segurança a mais para o time, não é a toa que Iniesta desequilibrou na final, conhecendo o jogo de Xavi e Busquets tudo fica mais fácil.

Para a Holanda resta se lamentar, pela terceira vez cai numa final de Copa do Mundo, e dessa vez diferentemente das outras duas, quando tinha um timaço, o time não é lá essas coisas, venceu jogos difíceis e teve mérito de ter chegado aonde chegou, mas o título tinha mesmo de ficar com a Fúria.

O capitão Casillas ergueu a taça e fez outro ato que ficará imortalizado na história das Copas, a foto diz tudo.

Copa do Mundo agora só em 2014, em terras tupiniquins, o Un Quimera fecha os posts de Copa do Mundo com a sensação de que essa Copa valeu a pena, apesar da eliminação precoce do Brasil, tivemos bons jogos, muita emoção e um campeão merecido.

E pra fechar, a Seleção da Copa, na minha opinião:

1 – Iker Casillas (Espanha)
2 – Jorge Fucile (Uruguai)
3 – Gerard Piqué (Espanha)
4 – Carles Puyol (Espanha)
6 – Philip Lahm (Alemanha)
5 – Arévalo Rios (Uruguai)
8 – Andrés Iniesta (Espanha)
7 – Thomas Müller (Alemanha)
10 – Wesley Sneijder (Holanda)
11 – Diego Forlán (Uruguai)
9 – David Villa (Espanha)

Um campeão inédito virá…


Confesso que fiquei muito desanimado com a Copa depois da eliminação da Seleção Brasileira, tanto que de lá pra cá não tinha postado nada aqui no Un Quimera.

Mas vou falar hoje um pouco sobre o que achei das semi-finais, amanhã tem a disputa do 3º lugar e no domingo a grande final, assuntos que tratarei também.

As semi-finais foram bem distintas uma da outra.

Na terça-feira um aguerrido Uruguai foi batido por uma insossa Holanda. Sim, a equipe sul-americana encarou de frente a poderosa Laranja, não se acovardou mas logo no início do jogo sofreu um duro golpe, um chutaço do capitão holandes Van Bronckhorst foi parar no fundo do gol de Muslera, Holanda na frente.

Ainda no primeiro tempo o Uruguai chegou ao empate, com um gol do seu principal jogador (que foi também um dos principais nomes dessa Copa), o camisa 10 Diego Forlán.

Mas no segundo tempo mesmo não apresentando um bom futebol a Holanda chegou a vitória com gols de seus craques: primeiro Sneijder, em um lance onde Van Persie estava em posição irregular e participou da jogada, mais um erro de arbitragem da Copa. E depois com Robben, de cabeça.

Com o 3 x 1 no placar tudo já parecia ganho, mas o Uruguai não desistia e um gol de Maxi Pereira já no fim pôs fogo no jogo, até o último minuto a Celeste lutou, mas ficou pelo caminho.

Já na quarta, o tão esperado confronto entre Espanha x Alemanha não proporcionou tantas emoções.

Uma irreconhecível Alemanha sucumbiu diante de uma Espanha que se superou da derrota na estreia e pouco a pouco foi conquistando essa merecida vaga na final.

Os gols vinham saindo quase todos dos pés do artilheiro David Villa, mas dessa vez quem decidiu foi o zagueirão Carles Puyol, que com uma certeira cabeçada fez a alegria espanhola e mais uma vez deixou os tão tradicionais e vencedores alemães caídos diante da amarelona Espanha, primeiro na Euro 2008 e agora na Copa 2010.

Holanda x Espanha farão uma final inédita, e um deles entrará para o hall de campeões mundiais.

A Holanda está com 100% de aproveitamento no Mundial, apresentou um bom futebol na primeira fase, mas tanto nas quartas contra o Brasil, quanto nas semi contra o Uruguai contou com uma boa dose de sorte, isso não tira o mérito da “Laranja Mecânica” que depois das derrotas nas finais de 1974 e 1978 espera quebrar essa sina e enfim vencer a Copa.

A Espanha como já disse começou com uma derrota para a Suíça, porém isso ao invés de desanimar os comandados de Vicente Del Bosque os deu um ânimo novo e depois disso venceram todas, é bem verdade que com exceção das vitórias sobre Honduras e Chile na primeira fase todas as outras foram por 1 x 0. Mas isso também não tira o mérito espanhol, talvez os grandes favoritos antes do início do Mundial podem confirmar esse favoritismo e pela primeira vez serem campeões mundiais.

Agora é esperar a final. Meu palpite e minha torcida ficam com a Espanha.

E vamos às Quartas…


Chegou ao fim hoje a fase de Oitavas de Final da Copa do Mundo de 2010.

E pra quem ainda torcia o nariz pra essa Copa acredito que essa fase foi o suficiente para mudar de ideia, agora sim tivemos bons jogos, golaços e, infelizmente, muitos erros claríssimos de arbitragens.

As Quartas reservam ainda mais jogões e golaços e é tentando dar uma prévia das Quartas, falando das Oitavas, que vou mandar esse post:

URUGUAI x GANA

A Copa mostra uma superioridade latino americana incrível e o Uruguai talvez seja a equipe das Américas que mais surpreendeu positivamente.

Invicto e mostrando um futebol bem ao velho estilo uruguaio a equipe celeste vai repousando em sua força ofensiva todas as suas esperanças: Forlán é o principal jogador do time e faz a diferença, no jogo das Oitavas o destaque maior foi de outro atacante: Luis Suarez, que anotou os dois gols contra a Coreia (o segundo gol, aliás, um golaço!), além dos dois Alváro Pereira e a sólida zaga que conta com Lugano e Godín formam a base desse time que tem condições de chegar as semi-finais.

Já Gana continua sendo a “resistência africana” nessa Copa. A suada vitória nas Oitavas diante dos EUA deu ainda mais força a essa seleção que foi pouco falada mas que vai demonstrando sua qualidade e raça jogo a jogo. Os incansáveis Gyan e Ayew dão trabalho a qualquer defesa e Prince Boateng dá todo gás e velocidade ao meio campo.

Jogão! Meu palpite: Uruguai 1 x 0 Gana

BRASIL x HOLANDA

Já pode ser considerado um clássico. Todos os confrontos entre essas duas seleções proporcionaram momentos históricos para os amantes do futebol, e o jogo dessa sexta promete não ser diferente.

A Seleção Brasileira confirmou as expectativas nas Oitavas e mandou os chilenos de volta pra casa sem grandes dificuldades. Mesmo sem Elano e Felipe Melo, Dunga conseguiu armar um meio de campo que apesar de não muito criativo conteve bem o ataque chileno e com a fortíssima defesa bem como sempre ficou fácil para o ataque emplacar e naturalmente sairam os 3 gols.

Para as quartas novos desfalques aparecem, mas a base do time será mantida e a evolução de Kaká, aliada ao constante bom momento da defesa são os trunfos dessa seleção que busca o hexa.

Já os holandeses vem com nada mais, nada menos do que 100% de aproveitamento nessa Copa.

Nas Oitavas não foram assim tão brilhantes, a burocrática vitória por 2 x 1 sobre a Eslováquia contrasta com a grande qualidade técnica da “Laranja Mecânica”.

E não tem o que se esconder, a grande força desse time está no ataque, principalmente na dupla Robben/Sneijder. O primeiro aliás, pelo menos na opinião do blogueiro, é hoje um dos 3 melhores jogadores do mundo.

A expectativa é grande e o meu palpite é: Brasil 3 x 2 Holanda.

ALEMANHA x ARGENTINA

Deve ser o melhor jogo das Quartas e talvez até o melhor da Copa.

Ambas as equipes foram pivôs de confusões nas Oitavas, pois ambas foram claramente favorecidas nos duelos contra Inglaterra e México. Porém, apesar disso ambas também acabaram demosntrando um bom futebol e mereceram e muito suas classificações.

A Alemanha aplicou uma goleada nos ingleses jogando no erro deles. Özil, Schwensteiger e Müller municiam muito bem a dupla Klose/Podolski, o time de Joachim Löw não é brilhante mas tem opções de banco e está muito bem entrosado.

Já os hermanos vem demonstrando muita raça! No jogo contra o México não jogaram o melhor futebol do mundo, mas coroada com o golaço de Tevez a classificação chegou e mostrou que eles estão muito vivos nessa Copa.

A esperança de vingar a eliminação na mesma fase (Quartas) para o mesmo adversário (Alemanha) na Copa de 2006 repousa principalmente nos pés de Lionel Messi, assim como nos gols do artilheiro Higuaín. A exemplo da Alemanha o banco da Argentina é fortíssimo e a figura de Maradona, quase messiânica pra eles, é outro fator que bota ainda mais fogo nesse jogão.

Palpite: Alemanha 1 x 1 Argentina – Pênaltis: Alemanha 3 x 4 Argentina

PARAGUAI x ESPANHA

O Paraguai é outra grata surpresa que vem da América do Sul. Pela primeira vez nas Quartas de uma Copa do Mundo a vaga veio depois de longos 120 minutos sem gols contra o Japão e de uma emocionante disputa de pênaltis, a qual venceu por 5 x 3.

Nas Quartas os paraguaios confiam em seu forte sistema defensivo (apenas dois gols sofridos nessa copa) e na versatilidade de seus atacantes: Barrios, Santa Cruz, Cardozo. Como franco atirador total o Paraguai enfrenta talvez o grande favorito para essa Copa.

Que é a Espanha. Depois de uma derrota na estreia, que alarmou a todos, o time espanhol parou de brincar e veio mostrando um futebol bem melhor.

Nas Oitavas a vítima foi Portugal. Cristiano Ronaldo e cia. não foram capazes de parar Villa, que marcou o gol da vitória e se igualou a Higuaín na tábua de artilheiros.

Além de Villa, o meio de campo com Xavi, Iniesta e Xabi Alonso é a grande fortaleza dessa favoritassa Espanha.

Contra toda lógica, aposto na zebra: Paraguai 2 x 1 Espanha.

Bem, é isso, agora são dois dias sem Copa do Mundo e na sexta começam as Quartas, passa muito rápido e não dá pra perder nada.