Arquivo da categoria: Copa do Brasil

O triunfo do Trem Bala da Colina

Falo hoje da final da Copa do Brasil de 2011.

Depois de oito anos, o Vasco da Gama finalmente conseguiu voltar a conquistar um título (vamos combinar que por mais importante que tenha sido para o renascimento do Vasco, série B não é título).

E aproveitando o assunto série B, já entro diretamente na final da Copa do Brasil. Os finalistas, Vasco e Coritiba, são os últimos vencedores da série B, o Vasco em 2009 e o Coritiba em 2010. Isso mostra que ultimamente o futebol brasileiro vai se tornando cada vez mais equilibrado. Times que caem para a série B e sabem se organizar, fazer um planejamento e voltar para a elite do futebol (o caso de Vasco e Coritiba) voltam mais fortes. Não quero dizer com isso que a queda para a série B seja uma solução, como pensam muitos. O caso mais comum que aconteceu com tantos outros times é uma queda para série B e a permanância por lá, ou então até mesmo a queda para a série C.

Mas o assunto hoje é Copa do Brasil. Com méritos Vasco e Coritiba chegaram até a final. O Coritiba tendo seu ponto alto na goleada por 6 x0 sobre o Palmeiras nas semi-finais. A equipe paranaense não tem nenhum craque, nenhum nome de peso, mas um elenco bem compacto e que pode brigar no Brasileirão. Já o Vasco foi chegando de mansinho, fazendo bons resultados fora de casa e surpreendendo a muitos.

No primeiro jogo da final, o magro 1 x 0, gol de Alecsandro acabou fazendo a diferença.

Porque no jogo de volta, ontem, no Couto Pereira, o 3 x 2 para o Coritiba deu o título ao Vasco. Mas o jogo de ontem merece destaque. Se o nível técnico não foi dos melhores, quando o assunto foram as emoções, não faltaram. O gol do Vasco logo no início poderia fazer com que muitos pensassem que o jogo já tinha dono, mas o Coritiba reagiu e virou o jogo ainda no primeiro tempo. Faltava um gol. Na volta para o segundo tempo o jogo continuou brigado e num frango do goleiro Edson Bastos, Eder Luis fez o segundo gol cruzmaltino, dando tranquilidade para os cariocas novamente.

Tranquilidade essa que foi retirada num chutaço do volante Willian. 3 x 2 Coritiba com 22 minutos do segundo tempo. Mais um gol e o título ficaria no Paraná. O jogo continuou com muita emoção, com o Coritiba pressionando a todo instante, porém a defesa vascaína se segurou como deu e garantiu a primeira Copa do Brasil da história do Vasco.

Desde o Carioca de 2003 que o clube de Alecsandro, Felipe, Diego Souza, Dedé, Eder Luis e cia. não ganhava um título sequer. Volto a dizer isso porque nesses oito anos as zoações pra cima dos vascaínos não foram poucas, falo isso com autoridade pois sou flamenguista. A síndrome de vice perseguia o Vasco e parecia não querer ir embora nunca. Enfim foi com o título de ontem. Com mérito e determinação o Vasco sai da fila e garante vaga na Libertadores 2012. Com a volta de Juninho Pernambucano e a permanência desse elenco campeão, as expectativas são boas.

Mas, como bom flamenguista que sou, não posso deixar de dar aquela zoadinha de leve, escutei hoje de um vascaíno que o seu clube vinha sofrendo bullying pelos vices e mais vices, continuo o bullying dizendo que se Petkovic jogasse com a camisa do Coritiba ontem a história poderia ter sido diferente. E que se continuar no ritmo que está, o próximo título do Vasco virá em 2019.

Zoações a parte, o título é do Vasco. A primeira Copa do Brasil do Trem Bala da Colina.

Santástico


Depois de alguns probleminhas no fim de julho, começo o mês de agosto falando de futebol, hoje Copa do Brasil, amanhã Libertadores, depois vou dar uma mudada no assunto…

Chegou ao fim ontem a 22ª edição da Copa do Brasil, competição que todo ano reúne times de todos os estados do Brasil, jogada em um sistema de eliminatórias desde a primeira fase, a competição além de ser a segunda competição nacional de maior importância (só perde, é claro, para o Campeonato Brasileiro) dá ao campeão uma vaga na Libertadores do ano seguinte.

E é por isso que o Santos Futebol Clube já é o primeiro representante do Brasil na Libertadores 2011.

Ontem, no Barradão, foi disputado o segundo jogo da final, entre Vitória x Santos.

Depois de uma boa vitória por 2 x 0 na Vila Belmiro, com gols de Neymar e Marquinhos, o Santos chegou a Bahia com grande vantagem, como diz o ditado: com uma mão na taça.

Mas o Vitória, que precisava vencer por 2 x 0 para levar a decisão aos pênaltis e por 3 gols de diferença para ser campeão, começou o jogo pressionando a equipe paulista.

Sem muita objetividade, é bem verdade, mas jogando todas as suas fichas, Ricardo Silva entrou com dois centroavantes (Junior e Schwenk) e dois meias (Ramon e Elkeson), além disso o volante Bida acabou atuando um pouco mais frente, fazendo uma linha de três com os dois meias, além das descidas do lateral-esquerdo Egídio, era um Vitória ofensivo, que buscava a todo custo o gol.

Mas a equipe santista, caracterizada pelo futebol moleque, não foi nem um pouco moleque, Dorival Junior deu ao time uma autonomia defensiva, o que geralmente falta para equipes que jogam muito bonito.

Com Arouca e Wesley a frente da zaga, e com os laterais Pará e Alex Sandro descendo pouco, os ataques rubro-negros eram facilmente contidos, a experiente dupla de zaga com Durval e Edu Dracena (que já tinha sido campeã da Copa do Brasil antes, Edu pelo Cruzeiro em 2003 e Durval pelo Sport em 2008) deu mais segurança ainda.

Até que no fim do primeiro tempo, após bom cruzamento de Neymar (até então sumido do jogo) Edu Dracena subiu e fez de cabeça o primeiro gol do jogo.

Com 1 x 0 no placar o Santos foi para o vestiário com as duas mãos na taça.

Na volta para o segundo tempo o Vitória continuava tentando pressionar o Santos, que até pelas circunstâncias do jogo não foi aquele Santos ofensivo de muitos gols, apenas marcava lá atrás e poucas vezes saia para o ataque.

Então veio o justo empate do Vitória, o capitão Ramon ajeitou de cabeça para o zagueiro Wallace, que chutou pro gol, a bola desviou em Durval e entrou.

Esperança para o Vitória, que ainda precisava de três gols para conseguir o título, e com muita raça e dedicação foi pra cima do Santos de vez.

Mas dessa vez acabou deixando espaços e o Santos começou a criar oportunidades também, Ganso, Robinho, Marquinhos (que havia entrado no lugar de André) todos parados pelo bom goleiro Viáfara.

Num de seus ataques, após belo passe de Neto Coruja, o camisa 9 Junior, com um toque sutil, tirou o goleiro Rafael e virou o jogo para o Vitória, de maneira merecida a equipe baiana venceu o segundo jogo, pois se arriscou mais e criou oportunidades de onde parecia não existir nada para criar, mas já era tarde demais, o 2 x 1 dava o título ao Santos.

Assim como o Vitória mereceu a vitória no segundo jogo, o Santos mereceu o título, pelas estrondosas goleadas nas primeiras fases do torneio, pelas boas vitórias sobre Atlético/MG e Grêmio, dois dos principais candidatos ao título, e pelo bom primeiro jogo na Vila Belmiro, onde mesmo com o pênalti perdido por Neymar e outras inúmeras oportunidades perdidas com bola rolando, a equipe santista conseguiu abrir dois gols de diferença.

Depois de um primeiro semestre quase perfeito, com a conquista do título paulista e outras grandes exibições dentro da própria Copa do Brasil, o Santos começou o período pós-Copa um pouco mal, e criou dúvidas na cabeça da torcida e e todos, mas a confirmação de uma terceira geração vitoriosa de “Meninos da Vila” veio com esse título da Copa do Brasil.

O time agora pode se desfigurar com as saídas de André e Robinho praticamente confirmadas, mas mesmo assim continua sendo uma equipe muito forte, Ganso é um legítimo camisa 10, e a solidez defensiva também é um ponto interessante a ser lembrado.

A alcunha Santástico talvez seja um pouco exagerada, mas no momento vale a pena ser lembrada, o time do Santos se reconstruiu nessa temporada, apostando na prata da casa e no bom técnico Dorival Júnior.

Ao Vitória resta levantar a cabeça e continuar firme no Brasileirão, a equipe baiana não é das melhores, mas contém peças interessantes e não é atoa que chegou a final da Copa do Brasil, o goleiro Viáfara e o meia Elkeson, são pra mim os dois grandes destaques.

Hoje a noite teremos outro grande jogo entre São Paulo x Internacional, pelas semi-finais da Copa Libertadores, jogo extremamente importante e que deverá ficar na memória do futebol brasileiro, o Inter abriu vantagem de 1 x 0 jogando no Beira-Rio, o confronto no Morumbi hoje promete, amanhã comento sobre ele aqui.

Copa do Brasil 2010

Seguindo no ritmo do preview da Libertadores, e repetindo o ano passado, falo agora da Copa do Brasil 2010.
A competição, que reune 64 times, tem como grande atrataivo, além do título, é claro, a vaga garantida na Copa Libertadores do ano seguinte.
Esse ano conta com treze times estreantes e alguns dos grandes clubes brasileiros também.
Escolhi meus cinco favoritos e vou falar um pouco de cada um deles, no fim da
competição a gente vê se os meus palpites vão dar certo:
Atlético (MG)

O Galo mineiro definitivamente não começou bem a temporada, o futebol apresentado até agora no Campeonato Mineiro não deve ter convencido a torcida atleticana, mas as expectativas criadas para essa temporada são enormes.
Após a chegada de Vanderlei Luxemburgo para o comando técnico do Galo muita coisa mudou, e o horrível fim de 2009 parece ter ficado para trás também.
Com Luxemburgo vieram vários reforços, dentre eles a dupla de zaga estrangeira que, se bem entrosada, deverá ser um dos pontos fortes do Galo: o equatoriano Jairo Campos e o paraguaio Cáceres. Além deles vieram também o lateral-esquerdo Leandro, velho conhecido de Luxemburgo e para o ataque o bom Muriqui e o folclórico Obina.
Devido a tudo isso o time ainda está em formação, na busca da formação ideal, mas mesmo assim entra como favorito, pois além de contar com a força de sua torcida tem um elenco forte quando se fala de Copa do Brasil.
Vale lembrar também que o principal jogador do Galo na temporada passada permaneceu na equipe. A torcida espera ansiosa por mais ra-ta-ta-tas de Diego Tardelli.
A estreia do Atlético-MG será no dia 24, contra o Juventus do Acre.
Grêmio (RS)

O Tricolor gaúcho, depois de um ano com uma boa Libertadores (apesar da eliminação para o Cruzeiro, em pleno Olímpico) e com um Brasileirão ruim (apenas uma vitória fora de casa em toda a competição) vem bastante mudado para 2010, e mais forte na minha opinião.
Silas chega para ser o treinador. Depois de um ótimo trabalho pelo Avaí na temporada passada, levando o desacreditado time catarinense às primeiras colocações do Brasileirão, o técnico ganhou moral e chega ao Grêmio com maiores responsabilidades também.
Chegaram várias contratações, dentre todas quem mais se destaca até agora é o atacante Borges. Além deles o torcedor gremista também tem muitas esperanças no recém contratado Douglas, bom camisa 10, e em Hugo, de volta ao Olímpico.
Assim como o Atlético-MG, o Grêmio ainda é uma equipe que busca a formação ideal e por isso não teve um início de ano dos melhores, uma derrota no GreNal é algo que sempre abala o time tricolor.
Mas o elenco não é fraco e vale lembrar sempre: o Grêmio é copeiro!
A estreia é amanhã, no Mato Grosso, contra o Araguaia.
Palmeiras (SP)
O alviverde paulista este muito, mas muito perto mesmo da vaga para a Libertadores deste, mas deixou escapar na reta final do Brasileirão, onde nada parecia dar certo para a equipe de Muricy Ramalho.
Por essas e outras o Palmeiras entra na busca pelo título da Copa do Brasil.
Muitas mudanças foram feitas da temporada passada pra cá, poucos reforços chegaram e o começo de temporada também não foi muito bom. Tudo isso tenta ser esquecido por Muricy e seus comandados.
Que apesar de ainda não estarem jogando bem, possuem dois jogadores que fazem a diferença e quando jogam bem sempre trazem bons resultados para o Palmeiras. São eles Diego Souza e Cleiton Xavier, a permanência de ambos é algo a se ressaltar, mas vale lembrar também que fora isso o Palmeiras não tem grandes destaques individuais, salvo o experiente Marcos.
A estreia também é amanhã, no Piauí, contra o Flamengo local.
Santos (SP)

A equipe alvinegra que vinha de duas temporadas bem abaixo da expectativa, sendo um mero figurante no Campeonato Brasileiro, reencontrou o bom futebol, unindo peças que já estavam no time mas não vinham rendendo, a bons reforços e a um ótimo treinador: Dorival Júnior.
Mas a grande arma santista é Robinho. O jogador, que surgiu de uma maneira extraordinária no próprio Santos e não vinha funcionando no Manchesetr City decidiu voltar à Vila Belmiro e logo na sua reestreia, no clássico contra o São Paulo no último domingo, já deixou um golaço de letra, mostrando que não veio pra brincadeira.
Além dele, a jovem e promissora dupla Neymar e Paulo Henrique Ganso também tem apresentado um ótimo futebol. E pra quem pensa que o Santos é só poder ofensivo é bom lembrar que a experiente zaga seja talvez um dos outros pontos fortes da equipe, Edu Dracena e Durval dão enorme segurança ao jovem e inconstante goleiro Felipe.
A estreia do Santos na Copa do Brasil será dia 24, contra o Naviraiense, no Mato Grosso do Sul.
Vasco (RJ)

Ressucistado. Acho que essa é a palavra que melhor define esse Vasco de começo de temporada. Depois de disputar a Segundona em 2009 e subir bem para a Primeira Divisão a equipe cruzmaltina manteve a base campeã, mas também modificou algumas coisas.
Dorival Júnior acabou saindo para o Santos e quem veio para o comando técnico foi Vágner Mancini. Além dele várias contratações também chegaram. A de maior impacto foi o atacante Dodô.
E o começo de temporada foi arrasador, ainda invicto nesse ano o ponto alto que chamou mais atenção de todos foi a humilhante goleada pra cima do Botafogo por 6 x 0, jogo em que Dodô meteu três gols.
Mas além desse ataque positivo, que tem Dodô, o jovem Phillipe Coutinho e Carlos Alberto como peças principais, o Vasco também tem um setor de meio-de-campo, que auxilia tanto a defesa, comandada pelo bom goleiro Fernando Prass, como o ataque.
São os vários os volantes que disputam posição e jogam bem: Souza, Nilton, Léo Gago, Rafael Carioca. A Copa do Brasil é uma prova de fogo para esse Vasco que começou muito bem a temporada provar se Dodô é mesmo o poder.
A estreia é amanhã contra o Souza da Paraíba.
Agora é esperar pra ver, a Copa do Brasil começa amanhã, dia 10 e a disputa pelo título e pela consequente vaga na Libertadores tem tudo pra ser muito interessante.
Vale lembrar também que nas duas primeiras fases vitória do visitante por dois gols ou mais eliminam o jogo de volta.

A Semana em Porto Alegre

Essa semana que abriu o mês de julho, no que se diz respeito a futebol, teve como sua capital a cidade de Porto Alegre.
Na quarta-feira, o segundo jogo da decisão da Copa do Brasil, disputado entre Internacional x Corinthians, no Beira-Rio e no dia seguinte, a decisão pra ver qual brasileiro enfrentaria o Estudiantes de La Plata na final da Copa Libertadores que será disputada nas próximas duas quartas.
Corinthians Tri-Campeão da Copa do Brasil

No primeiro dos dois grandes jogos, o Corinthians se deu bem, superou o trauma do ano passado, quando perdeu a final da Copa do Brasil para o Sport, jogando o segundo jogo fora de casa e com um empate em 2 x 2 se tornou tri-campeão da Copa do Brasil (o jogo de ida no Pacaembu tinha sido 2 x 0 para o Corinthians).


Aqui no Un Quimera, lá em fevereiro, um domingo antes de começar a Copa do Brasil eu dei os meus palpites sobre quem seria o campeão, dentre os times citados por mim, Internacional e Corinthians estavam lá.

O Inter, que talvez tenha percorrido um caminho mais complicado do que o do Corinthians para chegar a final era o grande favorito desde o início da competição, mas depois das quartas contra o Flamengo, muito do misticismo que cobria o Colorado foi quebrado.

Chegou para o primeiro jogo da final muito desfalacado e, não conseguindo fazer gol fora de casa tinha que fazer um resultado muito bom no jogo de volta, em Porto Alegre.

Mesmo com seus principais jogadores em campo, o time de Tite sentiu a pressão de ter que fazer esse bom resultado e entrou nervoso em campo, o Corinthians, que durante toda a competição soube se portar muito bem jogando fora de casa aproveitou esse nervosismo, e com gols de Jorge Henrique e André Santos, abriu 2 x 0 no primeiro tempo, praticamente matando o jogo.

Na volta para o segundo tempo o Inter até conseguiu o empate com dois gols de Alecsandro, o jogo ficou marcado também por muitas briguinhas e expulsões, destaque para o argentino D’Alessandro, camisa 10 do Inter, um excelente jogador de futebol, um dos melhores em atividade no Brasil, mas que perdeu a cabeça nessa final e cometeu atitudes de um verdadeiro “chico”.

O Corinthians mereceu o título e acumula agora 3 títulos em 7 meses (Série B, Paulista e Copa do Brasil), Mano Menezes aos poucos foi montando esse time que hoje é muito maduro, e consistente, tanto defensivamente quanto no ataque, o grande perigo é acontecer um desmanche, afinal, muitos dos titulares do Corinthians estão sendo observados por clubes europeus, e o mercado está aberto.

Cruzeiro na final da Libertadores

Ontem, quase um replay do jogo de quarta.

A situação do Grêmio era muito parecida com a do seu rival estadual, só que o Tricolor gaúcho tinha conseguido marcar um gol no jogo de ida, no Mineirão (que terminou 3 x 1 para o Cruzeiro).

E o time de Paulo Autuori até começou bem, tentando pressionar o Cruzeiro, mas apesar de chegar muito, não chegava com objetividade.

Ao contrário da Raposa que, em duas chegadas, meteu 2 gols.

Aos 34, o Gladiador Kléber fez ótima jogada pela direita e deu o primeiro gol para Wellington Paulista. Dois minutos mais tarde, de novo pela direita, Jonathan cruzou na cabeça do mesmo Wellington Paulista.

2 x 0 e partida praticamente decidida, assim como na quarta.

E pra terminar as coincidências do dia anterior, o Grêmio voltou para o segundo tempo sem desanimar e também conseguiu empatar, com gols de Réver e Souza.

Apesar desses dois resultados adversos é bom não subestimar o futebol gaúcho, que conta com dois bons times, alguns ótimos jogadores e que, desde 2006, vem conseguindo sempre resultados expressivos, até mesmo um Mundial.

Sobre os finalistas da Libertadores: o jogo de estreia será também o último jogo deles.

A exemplo da edição do ano passado, quando os dois finalistas (Fluminense e LDU) sairam do mesmo grupo, esse ano o Estudiantes de Verón e o Cruzeiro de Kléber também chegam a final vindos do mesmo grupo.

Na primeira fase o Cruzeiro venceu no Mineirão por 3 x 0, na estreia de Kléber, com dois gols do mesmo e o Estudiantes venceu em La Plata por 4 x 0. A final será um tira-teima e por ter feito uma melhor campanha na primeira fase, o Cruzeiro decidirá em casa.

Nada melhor do que um duelo Brasil x Argentina numa final de Libertadores, ainda mais numa tão simbólica, essa é a Libertadores de número 50.

O Cruzeiro é sim muito favorito pra essa final, mas o Estudiantes não costuma dar mole, e depois de perder a final da Sul Americana do ano passado para o Inter, esse ano Verón e cia. vem mais calejados para essa outra final contra um time brasileiro.

Remo 0 – 2 Flamengo

E o Flamengo continua “remando” pelo atalho mais curto rumo a Libertadores 2010.

Após estrear goleando o desconhecido Ivinhema-MS por 5 x 0 e, assim, já garantir a classificação para a segunda fase sem necessidade do jogo de volta, o rubro-negro ontem encarou o Remo, em Belém e mais uma vez conseguiu a classificação antecipada, só que dessa vez ao invés de uma goleada o placar foi de apenas 2 x 0.
Falando assim até parece que o time apresentou uma decadência nesses dois jogos, mas pra mim, foi exatamente o contrário. Explico: Na estréia, com todo respeito, o adversário era abaixo da crítica, um time realmente muito fraco. No jogo de ontem o adversário não era lá essas coisas também não, mas já era bem mais forte do que o Ivinhema e o Flamengo também entrou em campo com um time misto, visando o Fla-Flu decisivo do próximo domingo.
Ontem, após um primeiro tempo fraco, que teve como principal lance um chute de Emerson no travessão do goleiro Adriano, no segundo tempo a entrada de Fierro deu mais ânimo ao Flamengo e logo aos 8 minutos, depois de cruzamento da direita, a bola desviou em Ibson e sobrou limpa pra Willians escorar pro gol, abrir o placar e marcar o seu primeiro gol com a camisa do Flamengo.
O gol deu tranqulidade ao Flamengo, que logo depois conseguiu ampliar: em rápido contra-ataque, após boa jogada de Fierro, Kléberson serviu Emerson (que cada vez mais vai mostrando ser artilheiro de verdade) que tocou no canto, na saída do goleiro, para fazer 2 x 0 pro Flamengo.
O resultado dava a classificação para o Flamengo, mas o Remo parecia não querer de maneira nenhuma ficar sem ir para o Rio de Janeiro no dia 22, e foi pra cima no fim do jogo, colocou uma bola na trave com Bebeto e continuou tentando o gol por diversas vezes, mas aí a defesa do Flamengo mostrou algumas qualidades, em um jogo desses, o importante era a classificação direta, mesmo que seja por apenas 2 x 0, e a defesa segurou no fim, Lenon mais uma vez entrou sem comprometer e no fim do jogo a zaga também era totalmente cria da base do Fla: Wellington e Thiago Salles.
Isso é um ponto importante, aos poucos (como deve ser) o Flamengo-2009 vai utilizando jogadores da base no time principal, o que gera experiência para esses jogadores e mais opções para o Flamengo.
Bem, é isso, o Flamengo está nas oitavas-de-final da Copa do Brasil, e agora espera o vencedor do confronto entre Fortaleza x Paraná Clube, porém, antes dessas oitavas, o Flamengo terá, no próximo domingo, o jogo mais importante do ano até agora, um Fla-Flu que vale vaga na final da Taça Rio.
Obs.: O Liverpool ontem acabou perdendo de 3 x 1 pro Chelsea, em Anfield Road, pelo primeiro jogo das quartas-de-final da Liga dos Campeões, o jogo de volta é na próxima terça, agora em Stamford Bridge, a situação ficou complicada demais para os Reds, mas ainda dá, semana que vem tem post falando exclusivamente desse assunto.
YNWA – SRN

Ivinhema 0 – 5 Flamengo

Ontem foi o dia da estréia do Mengão na Copa do Brasil 2009.
Depois da frustrante eliminação nas semi-finais da Taça GB para o então
desconhecido Resende, o time foi muito modificado por Cuca, e o primeiro teste
da nova formação rubro-negra foi ontem.
E uma goleada maiúscula de 5 – 0 mostra que algumas melhoras já aconteceram, é
lógico que, como disse Zé Roberto, o Flamengo não fez mais do que seua obrigação
ontem e também, com todo respeito, não dá pra classificar o nível do futebol do
Flamengo levando em consideração um jogo contra o Ivinhema.
Mas é aquele negócio: vitória nunca é ruim, e quando vem uma goleada assim é
melhor ainda.
Analisando bem resumidamente, a ausência de Juan provocou uma super exploração
do lado direito do ataque, assim, o recém-promovido a titular Éverton Silva pode
mostrar porque ganhou a vaga e Léo Moura, solto, como meio-campista, fez gol,
boas jogadas e mostrou que pode jogar nessa posição, há muito tempo que alguns
torcedores rubro-negros queriam ver Léo no meio.
Outro jogador que destaco é Josiel, sempre brigando, mostrou muita vontade e
apesar de não ter feito gol, pra mim, garantiu de vez a vaga de titular.
E o “gol latino”, que na minha opinião foi o mais bonito, mostra também a força
do banco, Maxi e Fierro são bons reservas se levando em consideração o futebol
brasileiro.
É isso, vi melhoras no time de ontem e espero que continue melhorando, agora
começa a Taça Rio e não resta mais nada que não o título e a vaga na final do
Carioca contra o Botafogo.
Como venceu por mais de dois gols de diferença ontem, agora o Flamengo não fará o
jogo de volta contra o Ivinhema no Rio, já está na segunda fase e o adversário
sairá do confronto entre Barras-PI e Remo-PA
YNWA – SRN

Copa do Brasil 2009


Depois de falar sobre a Libertadores falo agora sobre a outra competição mais movimentada
do primeiro semestre do futebol brasileiro.

Diferentemente da Libertadores, uma competição de muita história e tradição, a Copa do
Brasil teve sua primeira edição disputada apenas em 1989, e o primeiro campeão foi o Grêmio.

Mas, aos poucos, a Copa do Brasil foi adquirindo tradição dentro do futebol brasileiro,
principalmente pelo motivo do campeão da Copa do Brasil se classificar automaticamente
para a Libertadores do ano seguinte.

No ano passado, o campeão foi o Sport, depois de eliminar favoritos como Palmeiras e Inter
o Sport chegou a final e disputou o título contra o Corinthians.

O alvinegro paulista ainda iria começar a disputar a segunda divisão, mas fez uma boa
campanha na Copa do Brasil e chegou a final como favorito, e no primeiro jogo, no Morumbi
venceu por 3 x 1, a animação da segunda maior torcida do Brasil era grande.

Só que na semana seguinte, dentro de uma Ilha do Retiro lotada, ao som de cazá, cazá,
cazá… o Sport de Carlinhos Bala e cia. foi pra cima e com uma vitória por 2 x 0 levou o
título pelo critério de gols fora de casa.

Esse ano a Copa do Brasil continua nos mesmos moldes, 64 times disputam, todas as fases são
no sistema “mata-mata”, com jogos de ida e volta mas nas duas primeiras fases em caso de
vitória do visitante por 2 ou mais gols, não tem jogo de volta.

Importante: Como já falei nesse mesmo post, o Sport ano passado foi campeão por causa do
critério de gols marcados fora de casa, esse é um dos critérios mais importantes desta
competição e pode mudar muita coisa.

Bem, assim como fiz no post da Libertadores cito aqui 5 favoritos, mas é bom lembrar que a
Copa do Brasil sempre apresenta zebras, como Brasiliense, Santo André e Paulista, então os
favoritos que se cuidem.

ATLÉTICO (MG)

O Galo vem se reconstruindo nesse começo de temporada.

Emerson Leão chega pela 3ª vez ao clube e vai mudando muitas coisas, trouxe jogadores com
os quais já tinha trabalhado antes, como Júnior e Renan, mas a principal contratação até
agora é Diego Tardelli, que também já tinha trabalhado com leão no São Paulo, mas que
chegou de uma maneira arrasadora no Atlético, marcando muitos gols.

Destaque também para a volta de Éder Luís e para a promessa Renan Oliveira.

O gol, a defesa e principalmente o meio-campo ainda são um tanto quanto inconstantes, e o
time precisa melhorar, mas é um dos candidatos ao título dessa Copa do Brasil 2009.

A estréia é contra o Itabaiana (SE)

BOTAFOGO (RJ)

A Estrela Solitária no comando de Ney Franco é considerada por muitos o melhor time do Rio
de Janeiro na atualidade.

Com uma folha salarial enxuta, algumas apostas em jovens jogadores como o goleiro Renan e o
polivalente Tiaguinho e muitas contratações.

O novo ataque formado por Victor Simões e Reinaldo promete e a coerência tática adquirida
por Ney é de se elogiar.

O Fogão chegou muito perto do título da Copa do Brasil nas últimas temporadas, sempre
beliscando pelo menos as quartas-de-finais, vamos ver se nesse ano o título chega a
General Severiano.

A estréia é contra o Dom Pedro (DF)

CORINTHIANS (SP)

O Corinthians, atual vice-campeão da Copa do Brasil, depois do título da Série B de 2008,
reforçou muito o time.

Já estou até de saco cheio de tanto falarem de Ronaldo, Ronaldo e Ronaldo.

Além do “Fenômeno” o Alvinegro de Parque São Jorge também trouxe outros bons jogadores como
Jorge Henrique e Túlio do Botafogo, e Otacílio Neto, umas das contratações menos badaladas
até que está dando certo.

Mas a grande força do Corinthians talvez não esteja nas contratações, mas sim na boa base
montada por Mano Menezes na temporada passada.

A zaga com Chicão e William, o meio com Elias, Morais e Douglas e o jovem e bom Dentinho no
ataque fazem a diferença nesse time, que mais uma vez entra como favorito ao título.

A estréia é contra o Itumbiara (GO)

FLAMENGO (RJ)

Não é só porque eu torço pro Flamengo que o coloco aqui entre os favoritos.

O time comandado por Cuca é quase o mesmo da temporada passada, o elenco é grande e forte,
jogadores de qualidade como Jônatas, Kléberson e Fierro muitas vezes são reservas, a grande
novidade para essa temporada é Zé Roberto, ex-Bota, velho conhecido de Cuca.

Como a base foi mantida o que se espera é um Flamengo forte, com reais chances de títulos.

A defesa é sólida e joga junto a mais ou menos 2 anos, do meio pra frente existe uma
constante disputa por posição, o melhor do time ainda é o lateral-esquerdo Juan.

A estéia é contra o Ivinhema (MS)

INTERNACIONAL (RS)

O Inter está no ano de seu centenário e montou um time digno de comemorar essa data.

A busca por títulos começou no Gaúchão e agora chega na Copa do Brasil, competição em que o
Inter foi eliminado de maneira precoce na temporada passada, pelo campeão Sport.

Esse ano o time, a exemplo de Flamengo e Corinthians, é parecido com o da temporada passada.

Se for pra analisar todo o time é muito bom, mas é a parte ofensiva que empolga mais: o
camisa 15 D’Alessandro ao lado do ótimo Alex comandam as ações e Nilmar e Taison formam uma
dupla ofensiva muito forte.

Mas é bom não esquecer de Pablo Guiñazú, o melhor do time na minha opinião.

A estréia é contra o União Rondonópolis (MT)

Se essas zebras não atacarem esse ano, acredito que o título fica entre esses cinco.

P.S. – Em tempo, a Copa do Brasil começa nesta quarta, dia 18.