Arquivo da categoria: Brasil

Estreia brasileira


O Brasil estreou na Copa ontem. Muitos foram os comentários pós jogo, o Brasil literalmente para em dia de jogo na Copa e as reações em relação ao jogo foram as mais variadas possíveis.

A estreia era aguardada ansiosamente por todos e aqui em Juiz de Fora não foi diferente.

Fui ver o jogo em um barzinho e por todas as ruas da cidade eram camisas, chapeus e vuvuzelas verde e amarelas, no bar não foi diferente e enfim a bola rolou.

Toda estreia é tensa, em Copa do Mundo então para um time que dos 23 convocados, 14 disputam a Copa pela primeira vez, a tensão é ainda maior, partilho da opinião de que em estreia o que importa é vencer, o bom futebol fica pra depois. (vide Espanha hoje…)

Pode até ser muito pragmática e fria essa ideia, mas é a que vale.

E o Brasil fez isso, a espera minha e da grande maioria era de um resultado mais elástico, pelas expectativas geradas em torno da nossa seleção e pela fraqueza do adversário.

Mas o que se viu foi um jogo truncado, com um primeiro tempo bem feio e um segundo tempo um pouco melhor.

Falando especificamente dos jogadores: Maicon e Elano, autores dos dois gols brasileiros foram os principais destaques individuais do jogo, ao lado de Robinho.

O lateral apoiou muito bem, como sempre faz e esteve sólido na defesa. Já Elano se movimentou bem dando opções ao meio de campo brasileiro. Ambos foram recompensados com o gol e em relação a Robinho, não fez gol, mas deu um lindo lançamento para o gol de Elano e foi o jogador mais participativo durante todo o jogo.

No fim um inesperado gol coreano. A equipe asiática muito menosprezada por todos sai da primeira rodada com moral, pelo menos entre eles, devido ao gol marcado contra o Brasil, assim como nós eles esperavam ser massacrados.

Enfim, tudo isso remete a pensar que a Seleção Brasileira pode e deve melhorar muito ainda nessa Copa, os próximos adversários (a começar pelos confrontos ainda na primeira fase contra Costa do Marfim e Portugal) serão bem mais perigosos. Mas é como eu disse e reafirmo em estreia o importante é vencer.

Outra coisa que acho interessante comentar é em relação a raça e ao comprometimento dessa seleção. O choro de Maicon na hora do gol e a postura séria de todos os jogadores mostra que a equipe está empenhada na busca pelo título, sinceramente, acho que isso pode fazer toda a diferença e não vi isso em 2006, o time parecia frio demais, sem comprometimento, deu no que deu.

A segunda rodada da Copa já começou hoje e os donos da casa já estão praticamente fora, depois da derrota de 3 x 0 para o Uruguai, mais comentários sobre a Copa virão, e além deles vai ter QuimeraShare, QuimeraTube e Rabo de Urna também.

Sawubona #05

Bem, hoje é o dia do último Sawubona. Afinal, no mês que vem a tão esperada Copa do Mundo da África já vai começar e aí ao invés dos Sawubonas entrarei com posts mais específicos sobre os jogos que forem rolando.
E pra fechar a série, depois de falar sobre os estádios, os times africanos e alguns dos principais concorrentes da Seleção Brasileira, como Itália, Portugal e Alemanha, falo hoje da nossa seleção, com enfoque maior na convocação definitiva de Dunga feita hoje mais cedo.
Uma pequena análise posição por posição, vale lembrar que eu não sou nenhum grande especialista e vou apenas dar a minha opinião.
GOLEIROS
Júlio César (Inter de Milão)
Gomes (Tottenham)
Doni (Roma)
Bom, é indiscutível a titularidade de Júlio César, terceiro goleiro da Seleção na Copa da Alemanha, ele evoluiu muito nos últimos 4 anos, tornou-se uma das principais peças da Inter de Milão e também fez atuações sólidas com a camisa da Seleção, é hoje um dos melhores goleiros do mundo, se não o melhor.
Já as convocações de Gomes e Doni, ao meu ver são muito questionáveis, pouco utilizados na Seleção (até porque Júlio não deu brechas para isso), ambos são bons goleiros, mas não se encaixam naquele perfil clássico de goleiro reserva pra Copa do Mundo, o ideal é um goleiro muito experiente para ajudar o grupo e um bem mais jovem para já se preparar para a Copa seguinte, nenhum dos dois são muitos jovens nem muito experientes, dificilmente algum
deles aparecerá na Copa de 2014 e enquanto Doni é reserva da Roma, Gomes joga pelo Tottenham, que convenhamos, apesar do bom momento não é lá um grande time. Acredito que dentro do futebol brasileiro existem melhores nomes como Victor do Grêmio e Fábio do Cruzeiro.
LATERAIS
Maicon (Inter de Milão)
Daniel Alves (Barcelona)
Michel Bastos (Lyon)
Gilberto (Cruzeiro)
Dos 4, apenas Gilberto disputou a Copa de 2006.
Pela direita Maicon e Daniel Alves são pra mim um dos pontos mais fortes dessa Seleção. Tanto defensiva quanto ofensivamente ambos são muito bons e viveram ótimos momentos nesses últimos quatro ano dentro e fora da Seleção, a versatilidade de Daniel de também jogar pelo meio é interessante.
Já na esquerda, talvez a posição mais testada e a que menos se chegou a uma conclusão, Dunga levou dois jogadores que já não atuam mais como laterais em seus clubes, tanto Michel Bastos no Lyon quanto Gilberto no Cruzeiro são meio-campistas que não se preocupam tanto defensivamente. A habilidade de Michel e a experiência de Gilberto, aliadas à falta de nomes para a posição acabaram levando ambos para a Copa, acredito ter sido uma boa escolha de
Dunga, embora pense que se Filipe Luís do La Coruña não tivesse se lesionado com tanta gravidade no início do ano uma das vagas deveria ser dele.
ZAGUEIROS
Lúcio (Inter de Milão)
Juan (Roma)
Luisão (Benfica)
Thiago Silva (Milan)
Em relação à Copa de 2006 apenas uma mudança: Thiago Silva no lugar de Cris.
Realmente não tinha muito o que mexer nessa zaga, a dupla Lúcio e Juan foi o grande destaque da Seleção na fraca campanha na Copa da Alemanha e mantiveram o bom futebol nos anos seguintes, o que incomoda são as constantes lesões de Juan, por isso a necessidade de bons reservas.
Luisão já tem experiência e não vem comprometendo no Benfica, já Thiago Silva é uma aposta de Dunga, uma das melhores na minha opinião, depois de ótimas apresentações no Fluminense em 2008 e 2009 ele chegou ao Milan e já vai ganhando seu espaço no rubro-negro da velha Bota. Não vejo o que contestar em relação à zaga escolhida por Dunga.
MEIO-CAMPISTAS
Felipe Melo (Juventus)
Gilberto Silva (Panathinaikos)
Josué (Wolfsburg)
Elano (Galatasaray)
Ramires (Benfica)
Kléberson (Flamengo)
Júlio Baptista (Roma)
Kaká (Real Madrid)
Muitas mudanças em relação a última Copa, permanecem apenas Gilberto Silva e Kaká.
No ataque as contestações à Dunga pioram mas aqui no meio campo muita coisa já não é tolerada por grande parte da toricda brasileira.
Felipe Melo foi um achado de Dunga e é mais uma de suas apostas, é inegável que fez boas partidas e não foi atoa que a Juventus o trouxe da Fiorentina, acredito que merece sim a vaga, mas jogando por Flamengo, Cruzeiro e Grêmio não fez nada de extraordinário.
Gilberto Silva vai a Copa definitivamente por sua experiência, todos sabem que o seu futebol não é o mesmo dos tempos de Atlético/MG e Arsenal, é questionável sua convocação, pra mim uma melhor escolha para a posição seria Lucas do Liverpool.
Josué é mais uma das apostas de Dunga, e considero essa uma aposta muito infeliz! Pra ser sincero não acompanho o futebol dele na Alemanha, mas pela Seleção não vi nada de execpcional, o futebol dele me parece muito burocrático, não combina em nada com Seleção Brasileira. São volantes até demais, por que não arriscar e dar mais uma chance pra Ronaldinho Gaúcho?
Elano é um homem de confiança de Dunga, o interessante é sua versatilidade, pode ser muito útil dentro de uma Copa do Mundo, merece a vaga pelas boas aparições com a amarelinha nesses últimos 4 anos.
Ramires jogou muita bola em sua passagem pelo Cruzeiro e acabou sendo convocado somente quando já estava indo para o Benfica, no clube português vem ganhando espaço e fazendo jus à vaga, mas o grande mérito de Ramires foi a Copa das Confederações, ele foi um dos maiores destaques do Brasil nessa competição e ali cravou sua vaga para a Copa. Justa e merecida.
Kléberson é outro nome muito contestado. Na Copa de 2002 foi fundamental, depois passou por períodos ruins na Europa atuando (tentando) no Manchester e no inexpressivo Besiktas da Turquia. Voltou para o Flamengo no fim de 2007 e jogou muita bola até 2009, quando sofreu uma contusão jogando pela Seleção e só voltou aos gramados em 2010. Nesse ano é evidente que o camisa 15 do Flamengo não jogou nada, mas seu histórico pesa nesse momento e a bola
que ele enfiou para Vagner Love marcar o gol da classificação rubro-negra às quartas da Libertadores também, acho válida sua convocação.
Júlio Baptista ganhou muita confiança de Dunga, principalmente pela Copa América de 2007, tem muita força física e também joga em várias posições, mas acho que Elano já é o suficiente para isso, a convocação de Júlio talvez não tão contestada por muitos, pro mim é. Não acho que ele deveria ir à África, pra mim nessa hora era a vez de Dunga surpreender e levar o tão pedido Ganso. O moleque do Santos vive um ótimo momento e é um camisa 10 legítimo, coisa que essa Seleção não tem.
Kaká é o craque do time. Indiscutível a convocação dele, merece muito ir e ser o “dono” dessa Seleção. Só o que incomoda é o seu passado recente, jogando pelo Real ele não conseguiu mostrar o seu irresistível futebol da época de Milan, porém acredito que ele tem plenas condições de modificar isso.
ATACANTES
Robinho (Santos)
Luís Fabiano (Sevilla)
Nilmar (Villareal)
Grafite (Wolfsburg)
O único remanescente da Copa de 2006 é Robinho. Ele foi talvez o grande nome da Era Dunga até 2009, depois de se transferir para o Manchester City não conseguiu mostrar seu bom futebol e então no começo de 2010 resolveu voltar para o Santos, uma decisão muito bem feita pois no Alvinegro da Vila, Robinho voltou a jogar bem e ao lado de Neymar, Ganso e cia. vem fazendo um primeiro semestre quase perfeito, merece ir à África e melhorar a imagem ruim que ficou em 2006.
Luís Fabiano é outra decisão quase incontestável de Dunga. Ele cresceu muito nesses últimos 4 anos, tanto no Sevilla quanto na Seleção, fez muitos gols e gols importantes, artilheiro da Copa das Confederações e homem de confiança de Dunga.
Nilmar teve um período parecido com o de Robinho onde não conseguiu demonstrar seu bom futebol jogando na Europa, voltou ao Internacional e conseguiu recuperar sua vaga na Seleção, no final do ano passado transferiu-se para o Villareal e continuou bem lá, fez muitos gols nos últimos jogos pela Seleção e garantiu sua merecida vaga.
Grafite foi a grande surpresa de Dunga. Sim, ele vem fazendo muitos gols pelo Wolfsburg e desde a época de Goiás já era um centroavante muito bom, tem seus méritos. Mas o Brasil conta com nomes infinitamente superiores na minha opinião e digo mais, a não-convocação de Adriano foi mais por mídia do que pelo futebol apresentado.
Adriano não vem jogando bem pelo Flamengo nesses últimos meses, mas foi essencial para o conquista do Brasileirão 2009 e também vinha correspondendo com a camisa da Seleção, ele é matador, muito forte fisicamente e pode decidir um jogo a qualquer momento, coisa que Grafite não faz sempre.
Parece que a parte podre da mídia esportiva conseguiu o que queria. Adriano errou muito e seus próprios erros também o tiraram da Copa, mas toda essa pressão negativa da imprensa foram essenciais na minha opinião.
Discordando em algumas posições concordando plenamente em outras, essa é a minha análise da convocação de Dunga, agora é esperar começar a Copa de vez, faltam apenas 30 dias, o Un Quimera estará muito ativo nessa Copa do Mundo.

Os "acontecimentos" de setembro/2009

Acaba o mês de setembro e os acontecimentos do mês estão aqui no Un Quimera:
Acordo Militar Brasil-França
As relações entre Brasil e França sempre foram algo a ser lembrado.
Antigamente no âmbito cultural isso era muito forte, existe aquela velha história de que em tempos idos o Brasil tentava copiar a Europa em tudo, nessa Europa o grande pilar era o país que tem como capital Paris.
Mas hoje o acordo entre Brasil e França se dá em outra área, na militar.
Convidado de honra para o desfile de 7 de setembro, o presidente francês Jean Sarkozy assinou um acordo com o presidente Lula. Um acordo de proporções enormes.
O acordo é assim: a França fornecerá ao Brasil helicópteros, quatro submarinos, um casco para o futuro submarino nuclear e transferência de tecnologias, com exceção da nuclear (que por acaso é uma das maiores e mais evoluídas matrizes de energia francesas).
Tudo isso pela “bagatela” de R$ 25 bilhões. Além disso foi acordado também a compra de 36 caças Rafale, pelo valor aproximado de R$ 7 bilhões.
Bem, é muita grana!
É lógico que o investimento nessa área é muito importante, mas até por isso mesmo é necessário fazer uma melhor pesquisa de preços e de posteriores vantagens que o país poderá ter: é mais ou menos como pesquisar em vários supermercados o melhor preço. Ao invés de fazer isso, Lula escolheu um “supermercado”, entrou nele e comprou tudo de uma vez lá.
Acho que deu pra entender a brincadeira do parágrafo acima, o que quero dizer é que um acordo do tamanho desses ser feito assim da noite pro dia é algo meio estranho, talvez fosse melhor pensar mais um pouco.
Sarkozy é quem agradece, pois além de lucrar muito com esse acordo ainda se livra dos Rafale, um caça que não deu muito certo, e precisava de alguém pra comprá-lo, esse alguém foi o Brasil.
Mas, acordos militares a parte, Vive la France!
Caso Briatore Renault

Continuamos com um pé na França, afinal agora o acontecimento tem como um de seus principais personagens a escuderia francesa de Fórmula 1, Renault.
Na verdade o acontecimento ocorreu há um ano, no Grande Prêmio de Cingapura: o piloto brasileiro Nelsinho Piquet acatou ordens de seus superiores (entenda-se Flávio Briatore, o então homem forte da Renault) para forjar um acidente, que beneficiaria seu companheiro de equipe Fernando Alonso, arriscando-se fisica e moralmente.
Mas aí o leitor pode se perguntar: mas por que isso só veio a tona agora?
É simples: Nelsinho foi mandado embora da Renault, enquanto ainda corria pela equipe não queria revelar isso ao público, depois da demissão ficou “livre”disso e enfim foi tudo revelado.
É meio deprimente ver coisas assim, foram muitas discussões em relação às punições a Briatore, Piquet e outros envolvidos, acredito que nenhum tipo de punição é válida, o que foi feito é algo realmente baixo, que teoricamente não deveria ser feito de maneira alguma, ainda mais em um campeonato da grandeza da F1.
E aí fica o questionamento mais uma vez: práticas como essa podem ser comuns dentro da Fórmula 1? Será que foi a primeira vez que isso aconteceu?
Sinceramente, creio que não em ambas as perguntas.
Porém o que fica é a impressão de que o dinheiro definitivamente ultrapassou as barreiras do esporte, hoje não é mais corrida pra ver a bandeira quadriculada antes de todo mundo, a corrida é pelo dinheiro.
Soa materialista demais, mas essa é a realidade.
*Mês que vem tem Honduras nos acontecimentos…

…ou morte!

Um texto para os 187 anos de Independência do Brasil:
…ou morte!

Sim, há exatos 187 anos o Brasil tornava-se independente da Coroa Portuguesa.

Ouviram do Ipiranga às margens plácidas…

Ouviram D. Pedro I praticamente “acordar” a independência tupiniquim, na verdade a dependência em relação à Portugal apenas foi transferida para a Inglaterra, que passou a deter ainda mais controle sobre o comércio brasileiro e permaneceu assim por alguns anos.

É duro dizer isso, mas a poesia das independências de outros países, como a dos Estados Unidos, por exemplo, não existe em relação ao Brasil, toda a mística de conquista de algo na verdade foi fabricada, não existem verdadeiros heróis brasileiros.

As maquiagens de D. Pedro I e II, Tiradentes e por aí vai, são meras ilustrações que tentam passar para a grande massa a idéia de heróis.

Mais uma vez se cai na idéia da fácil alienação da população brasileira, que chega a considerar até os jogadores do escrete canarinho grandes heróis. Não querendo tirar o mérito de grandes seleções como a de 58 ou 70 e até mesmo a de 82, que apesar de não ter trazido o título deixou muita história pra contar, mas as camisetas amarelas devem ser consideradas lúdicas e não supervalorizadas.


A cada linha que passa sinto que quem lê esse texto me considera um antipatriota ou coisa parecida, não é nada disso, o que acontece é que cada vez mais vejo o Brasil com olhos desiludidos, o que antes era “dia de marchar com a escola” hoje já é dia de pensar em como mudar a situação em que vivemos.

E diga o verde louro desta flâmula: Paz no futuro e glória no passado…

A glória do passado é difícil de ser visualizada, a história está escrita e os longos anos de escravidão, a ditadura militar e os escândalos parlamentares não podem ser apagados, mas paz no futuro é algo que eu desejo muito!

E pra ter essa paz está na hora de mudar, e uma boa chance de mudar é votar conscientemente, 2010 está aí e é nessa hora que muita coisa pode ser mudada e a paz do futuro possa ficar mais próxima da realidade.

Por tudo isso, nesse dia de independência, parafraseando D. Pedro I, pra não falar também que não dou valor nenhum a ele ou a outras figuras históricas brasileiras, desesperadamente eu grito em português: Voto consciente ou morte!
Rogério Arantes

Argentina 1 – 3 Brasil

Sim, Maradona falou muito, a Argentina se inflamou para esse duelo contra o Brasil, revestindo o povo de Rosário de toda a rivalidade que esse confronto possui, o gigante de Arroyito parecia ser o palco ideal para os hermanos conseguirem se recuperar nas Eliminatórias.
Mas o Brasil chegou lá muito tranquilo, não caiu nas provocaçãoes verbais e dentro de campo soube controlar muito bem toda a pressão do time e da torcida argentina, e em dois lances de bola parada abriu 2 x 0 e foi para o vestiário com uma ótima vantagem.
Primeiro Elano cobrou falta da direita e o zagueiro Luisão subiu livre, totalmente livre e marcou de cabeça. Depois, em nova cobrança de falta de Elano a bola rebateu e sobrou com Kaká que girou e rolou para o chute de Maicon, o goleiro Andújar conseguiu defender mas deu rebote, o Fabuloso Luís Fabiano não perdoou e marcou seu oitavo gol nas Eliminatórias.
Na volta para o segundo tempo a Argentina foi pra cima tentando pelo menos diminuir, e conseguiu.
Em um chute meio despretensioso do meia Dátolo a bola entrou no ângulo de Júlio César, que ainda conseguiu relar a luva na bola, mas não dava pra pegar.
O que se esperava depois disso era uma enorme pressão argentina em busca do empate, mas aí quem tem de fazer a diferença fez a diferença.
Em jogada rápida pelo meio, o camisa 10 Kaká descolou um lançamento perfeito para Luís Fabiano, o artilheiro chegou na frente do zagueiro e com um toquinho muito lúcido tirou completamente de Andújar, Brasil 3 x 1, classificado matematicamente para a Copa de 2010 em solo argentino.

A capa do jornal argentino Olé (acima) é um belo retrato do jogo.
Kaká praticamente decidiu o jogo com esse lançamento para Luís Fabiano e durante todo o jogo sempre deu trabalho aos argentinos, estava jogando com muita raça e disposição, assim como todo time brasileiro, que em momento algum se intimidou com o que era pra ser um caldeirão da torcida argentina.
Outros destaques individuais da Seleção Brasileira foram Luís Fabiano, autor de dois gols e que a cada jogo passa confirma sua titularidade nessa seleção em uma posição que tem muitos selecionáveis; além do Fabuloso destaco também Júlio César que nem foi muito acionado, mas quando o time precisou dele ele estava lá, fazendo defesas importantes e confrimando o título de
melhor goleiro do mundo.
Além deles todo time jogou muito bem, o mais importante era não cair na já famosa catimba argentina e o time brasileiro definitivamente não caiu.
Já Maradona e seus comandados estavam apáticos.
A equipe argentina do meio pra frente possui muitos valores individuais interessantíssimos: o lúcido Mascherano, o experiente Verón, o esperto Tevez e por aí vai, além é claro de Lionel Messi, que fez uma temporada quase perfeita pelo Barcelona e deverá ser eleito o melhor jogador do mundo no fim do ano.
Mas isso não é o suficiente. Maradona está no comando da Seleção Argentina há quase um ano e ainda não conseguiu definir um time, com esquema tático, jogadas ensaiadas e tudo mais, o time do meio pra frente não se encontra em campo e quando o assunto é a defesa, aí chega a ser deprimente.
Com exceção do bom goleiro Andújar, a defesa argentina que jogou contra o Brasil ontem é pífia!
Por tudo isso a vitória argentina era algo que só aconteceria se o Brasil não soubesse suportar a
pressão, parece fácil falar isso depois do jogo, mas é a verdade.
Agora, como já disse o Brasil, com 30 pontos, está classificado para a Copa do Mundo de 2010 e a Argentina, com 22 pontos ainda terá que jogar muita bola nesses últimos três jogos para conseguir seu passaport para a África do Sul.
Mais uma vez em um jogo difícil e importante a seleção de Dunga não afinou, jogou muito bem e
conseguiu um ótimo resultado.
As críticas a Dunga cada vez mais vão diminuindo, quando o assunto é resultado essa seleção de
Dunga é quase perfeita, foram apenas 4 derrotas de 2006 pra cá e vem numa sequencia de 10 vitórias seguidas.
Por tudo isso, assim como a própria seleção, Dunga também está dentro dessa Copa da África e
diferentemente da seleção de Parreira que entrou muito bem na Copa de 2006, essa seleção atual não está naquela euforia toda, pode parecer estranho mas ainda existe uma certa desconfiança.
Mas o mais importante é que dessa vez não tem história quadrado mágico ou coisa parecida, o mestre do time é Kaká, pois ele é superior, mas todo time está em sintonia e existem várias posições em aberto ainda, o que fomenta uma dipsuta maior, diferentemente da seleção da
Copa de 2006 que estava praticamente fechada um ano antes da disputa na Alemanha.
Ou seja, essa seleção é mais forte do que a de 2006 e tem tudo pra fazer muito mais na Copa do que ser eliminada nas quartas-de-final.

Brasil Tri-Campeão da Copa das Confederações


Chegou ao fim ontem, a Copa das Confederações, um ensaio para a competição mais importante do mundo do futebol, a Copa do Mundo.

E até parecia que as pequenas listras da camisa estadunidense eram listras de uma zebra, e até certo ponto foram.
Depois de duas derrotas (para a Itália por 3 x 1 e para o Brasil por 3 x 0), a seleção comandada por Donovan e Dempsey estava praticamente fora da competição, mas ainda tinha a última rodada da primeira fase. O que aconteceu? O Brasil deu um chocolate em cima da Itália, 3 x 0 e os Estados Unidos fizeram o mesmo placar sobre o Egito, com esses dois resultados, a seleção do Tio Sam acabou se classificando pelo número de gols marcados.
Aí chega a semi-final contra a favoritíssima Espanha, eu mesmo já dava como certo a final entre Brasil x Espanha, mas o EUA conseguiram segurar a Fúria, e com um bom 2 x 0 garantiram vaga no Ellis Park, na finalíssima de domingo.
E pra quem pensava que na final os EUA novamente levariam um baile da Seleção Brasileira, se enganou. Sabendo jogar no contra-ataque e fechando bem a defesa conseguiu fazer 2 x 0 no primeiro tempo, gols dos dois craques do time: Dempsey e Donovan.
Pois bem, chegou a hora da zebra ir pra casa. No segundo tempo o Brasil voltou diferente, mais vibrante, melhor como um todo e com um gol achado de Luís Fabiano, com menos de um minuto já diminuiu a vantagem dos EUA para 2 x 1.
O Brasil continuou melhor e chegou a empatar com Kaká, a bola entrou mas o juiz não marcou. Logo depois o empate veio verdadeiramente: Kaká fez boa jogda pela esquerda e cruzou rasteiro pro meio, Robinho tocou pro gol mas a bola não entrou, no rebote, Luís Fabiano cabeceou para empatar o jogo e marcar o seu quinto gol na competição, isolando-se ainda mais na artilharia.
E já aos 39 da etapa final, escanteio para o Brasil, Elano bateu muito bem e o gigante Lúcio subiu pra cabecear e dar números finais ao jogo.
Lúcio que mesmo sem clube, afinal não renovou seu contrato com o Bayern de Munique, mostra que não é a toa que desde 2001 é titular absoluto dessa Seleção, a garra demonstrada por ele é a cara do time brasileiro e depois do jogo, quando Lúcio recebeu a taça de Blatter e Zuma e a levantou bem alto, o reconhecimento do trabalho dele e de todo time foi exposto a todo mundo.
Mais um título na Era Dunga, que apesar de todas as contestações vem conseguindo resultados impressionantes, uma Copa América em cima da Argentina, uma Copa das Confederações e a liderança nas Eliminatórias, apesar de ser um tanto defensivo, coisa que não é característica da Seleção Brasileira, o time de Dunga tem um bom esquema, e além de tudo muitos jogadores que jogam no Brasil foram convocados, o que eu acho importante.
E já que o post é Copa das Confederações não podíamos deixar de falar dele, um treinador, uma lenda, um mito: Joel Natalino Santana:

Copa das Confederações 2009

Daqui um ano na mesma África do Sul estará rolando a Copa do Mundo, enquanto a maior competição entre seleções do futebol não chega o negócio é a Copa das Confederações.
A Copa das Confederações, que está começando agora com o jogo entre o país sede África do Sul, do treinador brasileiro Joel Santana contra o Iraque, conta com 8 seleções, as seleções que se classificam para a Copa das Confederações são as seguintes:
– O país sede (no caso a ÁFRICA DO SUL)
– A atual campeã mundial (no caso a ITÁLIA)
– A atual campeã da Eurocopa (no caso a ESPANHA)
– A atual campeã da Copa América (no caso o BRASIL)
– A atual campeã da Copa da África (no caso o EGITO)
– A atual campeã da Copa da Ásia (no caso o IRAQUE)
– A atual campeã da Copa da Oceania (no caso a NOVA ZELÂNDIA)
– A atual campeã da Copa da CONCACAF (no caso os ESTADOS UNIDOS)
Divididos em:
GRUPO A – África do Sul, Iraque, Espanha e Nova Zelândia
GRUPO B – Brasil, Egito, Itália e EUA
Para a edição desse ano, os grandes favoritos são Brasil e Espanha (com a atual campeã mundial Itália e até mesmo (por ser país sede) a África do Sul.
Uma competição muito rápida, onde involuntariamente surge o favorito para a Copa do Mundo que virá.
Na última, em 2005, o Brasil foi campeão vencendo a dona da casa Alemanha na semi-final e goleando com gosto a Argentina na final. O status de favoritíssimo para a Copa de 2006 chegou, mas acabou sendo a desgraça que todos vimos.
A Seleção Brasileira de hoje é bem diferente daquela, acredito que vencendo ou não a Copa das Confederações chegará mais com os pés no chão para a Copa do ano que vem.
Os jogos do Brasil na 1ª fase são:
Amanhã, contra o Egito, as 11h (horário de Brasília)
Quinta, contra os EUA, as 11h (horário de Brasília)
Domingo, contra a Itália, as 15h30min (horário de Brasília)
Torço pra uma final entre Brasil x Espanha, são, na minha opinião, as duas seleções que estao jogando mais atualmente, seria interessante um confronto entre elas.
No mais, é já ir observando o clima da África do Sul nessa prévia da Copa de 2010 que promete.
Obs 1.: Em tempo – acabou o jogo de abertura, África do Sul 0 x 0 Iraque, o primeiro gol da Copa das Confederações deve ficar pro jogo das 15h30min entre Espanha x Nova Zelândia.
Obs 2.: A foto é da cerimônia de abertura da Copa das Confederações.

Brasil 4 – 0 Uruguai

Era pra ser só mais um jogo das Eliminatórias Sul-americanas para a Copa de 2010
na África do Sul.
Mas o jogo de hoje a tarde, em Montevidéu vai entrar pra história.
Vai entrar pra história porque hoje o Brasil quebrou um tabu de 33 anos.
Desde 1976 a Seleção Brasileira não vencia a Seleção Uruguaia em solo uruguaio.
Apesar disso, o jogo não foi dos melhores.
Logo no início, em uma falha clamorosa do goleiro uruguaio Viera, o Brasil abriu o placar com Daniel Alves, ótimo lateral que foi peça fundamental do “Tripete” do Barcelona na temporada, a briga na lateral direita é muito boa, entre Maicon e Daniel Alves.
O Uruguai teve algumas boas chances no primeiro tempo, Daniel Alves por duas vezes salvou a Seleção tirando bolas praticamente em cima da linha, mas quem salvou mesmo, e vem salvando sempre é Júlio César, ele diz estar vivendo o melhor momento de sua carreira, e é mesmo verdade, Júlio hoje é o melhor goleiro do mundo.
Aos 35 do primeiro tempo, bola na área uruguaia, o zagueiro Juan se antecipa ao goleiro Viera, para, de cabeça, aumentar o placar.
Na volta para o segundo tempo, na primeira boa chance que o Brasil teve já saiu o terceiro. Boa trama ofensiva entre Kaká, Elano e Luís Fabiano, que com um forte chute cruzado fez o terceiro do Brasil no jogo e o sétimo dele nas Eliminatórias, o “Fabuloso” é o artilheiro do Brasil na competição.
Mas aos 19, em um lance bobo Luís Fabiano foi expulso. Mas mesmo com um a menos o Brasil conseguiu marcar o quarto gol. Daniel Alves lançou Kaká que foi puxado dentro da área, pênalti. O próprio Kaká cobrou e deu números finais a partida.
É muito bom ver a Seleção Brasileira goleando, jogando bem, mas é bom lembrar que nem tudo são flores.
Apesar da liderança provisória nas Eliminatórias e da vaga na Copa do Mundo praticamente garantida, o adversário de hoje (Uruguai) que outrora já foi uma potência do futebol latino-americano atualmente tem uma seleção abaixo da média, poucos são os jogadores técnicos no time celeste, em contrapartida, muitos são os jogadores violentos e lentos, ou seja, a goleada não é tão exepcional assim.
Quem vê esse último parágrafo pensa que eu estou querendo criticar a seleção de Dunga, mas não é bem isso não. O que quero dizer é que essa seleção, tão contestada por todos, vem tendo resultados, venceu a Copa América de 2007, lidera as Eliminatórias e em amistosos contra seleções mais fortes (Portugal e Itália) venceu e bem. Além disso, Dunga voltou os olhos para o futebol brasileiro jogado no Brasil, no grupo da última convocação são 7 jogadores que atuam no Brasil, o que seria uma utopia alguns anos atrás.
Vendo o último parágrafo agora, pensam que eu sou totalmente a favor da seleção de Dunga, mas também não é bem assim. Acredito que é uma boa seleção, pelos motivos já citados, principalmente pelos resultados conquistados até agora, mas acredito também que essa seleção terá seu grande teste agora na Copa das Confederações, em que, excetuando a Espanha, o Brasil tem mais time e está jogando muito mais do que todas as outras seleções que vão disputar a Copa das Confederações.
Uma boa campanha nessa competição me convencerá de que Dunga pode sim treinar a Seleção Brasileira numa Copa do Mundo, algo que eu acreditava ser impróvavel quando ele assumiu, no longínquo agosto de 2006.