Arquivo da categoria: Brasil

QuimeraCast #05 – A perplexidade, a América e o Brasil

Caros leitores e ouvintes, o QuimeraCast está de volta!

Depois de três meses sem dar as caras por aqui, o podcast do Un Quimera enfim voltou. Como já disse desde o início a ideia do podcast sempre foi muito desejada por mim, mas por todo amadorismo e falta de condições mesmo, a ideia de soltar um por mês acabou ficando pra trás.

Com a periodicidade estourada, pelo menos por enquanto, vou ir lançando assim que der, espero poder voltar a ter uma periodicidade mais “garantida” em pouco tempo.

E hoje, o quinto QuimeraCast, a exemplo do primeiro, vai falar sobre futebol. Durante todo esse mês de julho e também agora na primeira semana de agosto, estou passando férias aqui em São Gonçalo do Sapucaí. Paralelamente a isso, também rolou a Copa América, aí conversando com o pessoal daqui resolvemos fazer um podcast falando essa Copa América e o papo acabou seguindo um pouco pros lados do Campeonato Brasileiro 2011.

Pra fechar de vez o assunto Copa América e já dar a deixa para um podcast de fim ano que falará mais especificamente sobre o Campeonato Brasileiro 2011, eu, Rogério Xablau, Mauro Boizão, Marcelo Cabeça, Guilherme Picolé, Lucas Moreno e João Otávio, Bota Fogo, falamos sobre um campeonato que colecionou zebras, frangos, pênaltis perdidos, perplexidade e cavadinhas além de pitacos sobre o início de outro campeonato com ótimas campanhas, algumas decepções, muitos gols e ainda um único invicto.

Duração: 59 min.

É só baixar e ouvir:

QuimeraCast #05 – A perplexidade, a América e o Brasil

A PresidentA

Ontem, 1º de janeiro de 2011, fica marcado como a data da posse da primeira mulher presidente do Brasil, a petista Dilma Rousseff, apesar da extinção da série “acontecimentos”, esse não deixa de ser um.

A aguardada cerimônia de posse contou com algo em torno de 30 mil petistas, políticos, chefes de estado como Hugo Chávez e personalidades internacionais como Hillary Clinton.

Depois de oito anos no poder, Luiz Inácio Lula da Silva deixa Brasília nas mãos de sua aliada Dilma Rousseff, a entrega da faixa presidencial (como sempre) foi o momento mais marcante do dia, o ex-líder sindical, dono de um carisma extraordinário acompanhado de sua esposa Marisa Letícia entregou a faixa à Dilma que, muito emocionada, discursou ao lado de Michel Temer e da esposa dele, a já muito comentada pelos twitters afora, Marcela Temer.

Dilma, em seu primeiro discurso como presidente do Brasil, frisou a importância da “luta obstinada contra a pobreza”, fez elogios à seu antecessor, como era de se esperar, ressaltou também a figura de José de Alencar, que não pode comparecer à cerimônia de posse devido a problemas de saúde.

Outros destaques importantes do discurso foram a exaltação da mulher no território nacional e mundial e as “mãos estendidas” aos opositores, prometendo um governo de muito diálogo e abertura.

Após o discurso um coquetel, os primeiros cumprimentos à nova presidente e o empossamento dos ministros de Dilma.

Enfim, numa análise bem compacta da posse de Dilma, vale destacar a questão da mulher, uma abordagem mais profunda do tema geraria muitas e muitas linhas, mas bem resumidamente o que importa dizer é como a mulher vem ganhando força dentro do Brasil nas últimas décadas, isso é importante e só tem a ajudar o país a crescer, acaba sendo uma ampliação da democracia, uma mulher no poder reflete muito bem isso, porém não dá pra dizer que só por isso tudo será perfeito.

Fazendo uma pequena volta no tempo, após o impeachment de Collor o Brasil meio que foi voltando aos trilhos, a consolidação do Plano Real no governo Itamar foi de suma importância para isso, o então Ministro da Fazenda, principal defensor do Plano Real, Fernando Henrique Cardoso assume a presidência em 1995 e começa a estabilizar ainda mais o país, nos seus oito anos de governo alguns problemas surgiram, destaque para as polêmicas privatizações, o apagão de 2001 e por aí vai, mas numa visão mais geral os dois governos FHC foram de reconstrução, pavimentação de uma estrada esburacada.

Em 2003, Lula, depois de muito tentar, assume a presidência, muitos esperavam e apostavam numa ruptura total do estilo de governo de FHC, mas na verdade Lula acabou dando continuidade a algumas medidas de seu antecessor e soube criar outras.

Como já ressaltei no início do post, o carisma extraordinário de Lula fez muita diferença, principalmente nas relações internacionais, o Brasil cresceu nos seus oito anos de governo, sediou o Pan de 2007 e ficou com a vaga para a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016.

Mas problemas também estiveram presentes no governo vermelho. O principal deles, sem sombra de dúvida, foi o Mensalão.

Um ponto que as vezes passa despercebido foi a posição do Brasil durante a grande crise surgida nos EUA em 2008. Devido a atuação de Lula e de seu governo o Brasil acabou sendo um dos países menos prejudicados pela grande crise.

Chegou 2010 e com ele o fim dos mandatos de Lula, muito pelo seu grande apelo popular, Lula conseguiu eleger como seu sucessor Dilma Rousseff, vencendo José Serra nas Eleições de outubro.

E agora voltamos à posse e ao discurso de Dilma, o que se espera é mesmo uma continuação do governo Lula, que em alguns aspectos deu muito certo, porém o carisma de Lula é próprio e não transferível para Dilma, resta saber até que ponto ela saberá segurar a questão de que grande parte da população não a conhece tão bem quanto Lula.

De início seu discurso anima petistas e não faz com que oposicionistas tenham críticas mais contundentes. Com o passar do tempo o Un Quimera vai analisando, dentro do possível, o governo de Dilma.

Os “acontecimentos” de setembro/2010

Chega ao fim o mês de setembro e é hora do post dos “acontecimentos”.
Acho que vai ficar até estranho, em tempo de Eleições e tudo mais, mas escolhi dois “acontecimentos” esportivos.
Talvez não tenham tanta importância assim num olhar mais geral, porém acredito que são legítimos “acontecimentos”.
O Mundial de Basquete na Turquia e a tão polêmica demissão de Dorival Júnior do Santos.
EUA soberanos na Turquia
O Mundial de Basquete da Turquia realizado entre os dias 28 de agosto e 12 desse mês contou com 24 seleções
divididas em quatro grupos de seis (com quatro times classificados em cada grupo).
Do grupo A classificaram-se para as Oitavas Sérvia, Argentina, Austrália e Angola.
Do grupo B Estados Unidos, Eslovênia, Brasil e Croácia.
Do grupo C Turquia, Rússia, Grécia e China.
E do grupo D Lituânia, Espanha, Nova Zelândia e França.
Os maiores destaques foram os EUA, que já mostravam toda sua força, contando com a experiência de jogadores como
Chauncey Billups e Lamar Odom, e comandados pelo ótimo ala do Oklahoma City Thunder, Kevin Durant. Também a
Lituânia de Linus Kleiza, do Denver Nuggets e os donos da casa, comandados por Ilyasova e Hedo Turkoglu.
O Brasil fez uma campanha mediana, não empolgou muito nos primeiros jogos contra Irã e Tunísia, mesmo vencendo. No terceiro jogo o grande adversário: os Estados Unidos. Em um jogo muito disputado a Seleção Brasileira acabou
perdendo por detalhes, 70 x 68. Depois disso veio uma derrota pra Eslovênia e uma vitória sobre a Croácia, valeu
a classificação pras Oitavas.
Nas Oitavas um grande jogo entre Sérvia e Croácia, 73 x 72 para o time do pivô Nenad Krstic. Além disso a
confirmação das boas campanhas de Turquia, EUA e Lituânia, com todas se classificando para as Quartas, além das
vitórias de Espanha e Eslovênia sobre Grécia e Austrália, respectivamente.
E o embate sul-americano entre Brasil e Argentina. O jogo, revestido de rivalidade, ganhou um tempero a mais, pois
foi disputado justamente no dia da Independência do Brasil, 7 de setembro.
Um bom jogo, em que o Brasil esteve a frente do placar por algum tempo, mas que mais uma vez, assim como tinha
acontecido contra os EUA, perdeu por detalhes. 93 x 89. O grande destaque foi o pivô do Houston Rockets, Luis
Scola. O “sósia” de El “Loco” Abreu fez uma partida muito sólida e cresceu no fim da partida convertendo cestas
importantes. Além disso o aproveitamento da linha dos 3 pontos por parte dos hermanos foi sensacional.
O Brasil teve em Marcelinho Huertas seu principal destaque, o armador que vinha bem desde o início da competição
se superou, fez um belo jogo e depois da derrota saiu chorando de quadra. Leandrinho não conseguiu demonstrar o
seu melhor basquete e a equipe do treinador argentino Ruben Magnano acabou parando nas Oitavas. Mais uma vez o
Brasil sai precocemente de um Mundial, isso é muito ruim, a história do basquete brasileiro é linda e nas últimas
décadas parece estar sendo manchada, valores individuais ainda existem, mas ainda falta algo mais pra essa Seleção.
O Mundial seguiu e nas Quartas os argentinos também voltaram pra casa, tomando um baile da Lituânia, 104 x 85. Os
EUA continuaram seu caminho rumo ao título passando pela Rússia e os turcos eliminaram a Eslovênia. A Sérvia mais
uma vez protagonizou um emocionante jogo contra os então campeões mundiais, a Espanha e mais uma vez venceu por um placar apertado: 92 x 89.
Nas semi-finais em um bom jogo os EUA superaram o bom time de Linas Kleiza e venceram por 89 x 74, cravando sua
vaga na final, apesar da derrota para os EUA nas semi é de se destacar o desempenho da Lituânia nesse Mundial, que
viria ser confirmado na disputa do terceiro lugar, com a vitória por 99 x 89 sobre a Sérvia.
É, a Sérvia foi chegando com vitórias apertadas e nas semi-finais acabou provando do próprio veneno. Derrota para
a Turquia por 83 x 82, com uma cesta no último segundo de jogo, de Tunçeri. Foi talvez o lance mais emocionante
desse Mundial.
Com a classificação para a final a seleção turca fez história! Pela primeira vez chegou a final e coroou sua
torcida, que compareceu em peso nos jogos e o seu treinador Bogdan Tanjevic, um dos símbolos dessa campanha de
superação da Turquia, que não contou com um de seus principais jogadores, o pivô do Utah Jazz, Mehmet Okur.
E enfim chegou 12 de setembro e a grande final. Sinceramente, como era de se esperar, devido a grande soberania
técnica estadunidense, deu Estados Unidos campeão. Com uma vitória de 81 x 64 na final, Durant e cia. quebraram um
tabu de 16 anos se título no Mundial e recolocaram os EUA no topo do basquete.
Interessante ver também que astros como Kobe Bryant, LeBron James e Dwayne Wade sequer jogaram. Contra o Dream Team é realmente muito difícil uma vitória.
O Caso Dorival-Neymar
Vamos combinar que não é qualquer dia que um treinador que conquista dois títulos em seis meses é despedido de um
time por causa de um único jogador. Por isso a demissão de Dorival Júnior é sim um “acontecimento”.
Tudo começou na partida entre Santos x Atlético-GO na Vila Belmiro, no fim do jogo, após pênalti para o Santos,
Neymarr pediu pra bater e não foi atendido, discutiu muito então com o treinador Dorival Júnior. Isso foi o fato.
E a partir desse fato o que se deve ter claro em mente é que nem Neymar nem nenhum outro jogador tem o direito de
sair discutindo assim com o seu treinador.
Isso gerou uma certa tensão dentro do clube e Dorival Júnior decidiu punir o “craque” deixando ele de fora do
próximo compromisso do Peixe contra o Guarani no Brinco de Ouro. O jogo terminou no 0 x 0 e Neymar apenas o
assistiu das cabines.
O próximo jogo do Santos seria na Vila Belmiro contra o rival Corinthians, na quarta, dia 22. Até na terça, Neymar
não jogaria e Dorival era o treinador do Santos, mas uma reunião da diretoria santista decidiu passar por cima das
ordens do comandante, despediu ele e colocou Neymar pra jogar. O resultado do jogo foi 3 x 2 para o então líder
Corinthians, mas o segundo gol do Santos foi dele, Neymar.
Enfim, o que entra em questão aqui é a atitude de Neymar e como ela repercutiu tanto e tomou proporções tão
grandes. Quem sou eu pra fazer qualquer julgamento ou coisa parecida, mas na minha opinião o ato da diretoria
santista foi extremamente infeliz.
Aí vão dizer: Neymar foi um grande investimento para o Santos, sua permanência no Santos após uma oferta milionária
do Chelsea foi algo louvável e ele é a principal atração do time, consequentemente a principal renda do clube
também.
Porém se Neymar é tudo isso e é também indiscutivelmente um bom jogador, com muito futuro, suas atitudes também
deveriam condizer com tudo isso. A responsabilidade e a humildade deveriam entrar em campo junto com o menino de 18 anos, que acabou perdendo até sua vaga na Seleção Brasileira por conta desse incidente.
Dorival, hoje treinador do Atlético-MG, vinha fazendo um belo trabalho no Santos e acabou sendo demitido. Não é o
que ele merecia.
A atitude da diretoria santista cheira mesmo a um pai que vai mimando seu filho, que por melhor que seja não pode
e não deve ser mimado assim. Volto a afirmar, Neymar tem muito potencial e possivelmente estará representando o
Brasil na próxima Copa do Mundo, mas não é nenhum gênio, já existiram muitos outros jogadores do seu nível ou até
superior que souberam ser mais humildes e tiveram grandes conquistas durante a carreira.
Não é querer crucificar o menino, mas sim dizer que ele precisa crescer.
Vale citar a frase que saiu no New York Times sobre essa polêmica toda: “O medo de que ele possa desenvolver mais
hábitos de Maradona do que de Pelé exercita a mente de um país onde o futebol está tão enraizado”.
Acho que é isso, os “acontecimentos” de setembro ficam por aqui. Até outubro.

Como é?

Vou com uma canção de Celso Viáfora e Vicente Barreto, brilhantemente interpretada por Ney Matogrosso pra ilustrar o 7 de setembro:

A Cara do Brasil

Eu estava espamarrado na rede, Jeca Urbanóide de papo pro ar

Me bateu a pergunta meio à esmo: na verdade, o Brasil o que será?

O Brasil é o homem que tem sede ou que vive da seca do sertão?

Ou será que o Brasil dos dois é o mesmo o que vai é o que vem na contra-mão?

O Brasil é um caboclo sem dinheiro procurando o doutor nalgum lugar

Ou será o professor Darcy Ribeiro que fugiu do hospital pra se tratar?

A gente é torto igual Garrincha e Aleijadinho ninguém precisa consertar

Se não der certo a gente se virar sozinho decerto então nada vai dar

O Brasil é o que tem talher de prata ou aquele que só come com a mão?

Ou será que o Brasil é o que não come o Brasil gordo na contradição?

O Brasil que bate tambor de lata ou que bate carteira na estação?

O Brasil é o lixo que consome ou tem nele o maná da criação?

Brasil Mauro Silva, Dunga e Zinho que é  Brasil zero a zero e campeão

Ou o Brasil que parou pelo caminho: Zico, Sócrates, Júnior e Falcão

O Brasil é uma foto do Betinho ou um vídeo da Favela Naval?

São os trens da alegria de Brasília ou os trens do subúrbio da Central?

Brasil-Globo de Roberto Marinho, Brasil-Bairro: Carlinhos-Candeal?

Quem vê, do Vidigal, o mar e as ilhas, ou quem das ilhas vê o Vidigal?

O Brasil encharcado, palafita? Seco, açude sangrando chapadão?

Ou será que é uma Avenida Paulista? Qual a cara da cara da nação?

Os “acontecimentos” de agosto/2010

De uma maneira totalmente freestyle, muita correria nesse fim de mês (começo de 2º período na faculdade, ainda adequando horários, interesses, etc..) e ficou difícil de elaborar algo mais detalhado pro post dos “acontecimentos”, acabei optando por dividir os acontecimentos do mês em duas partes, bem diferentes uma da outra, vai ficar mais fácil de entender depois de ler:

Rio de Janeiro – Parte 1


A primeira parte (ou primeiro acontecimento) se deu entre os dias 4 e 8, na cidade histórica de Paraty, Rio de Janeiro.

Sim, foi mais uma edição da Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP), um evento que ocorre todos os anos, mas que merece estar aqui, como o próprio nome diz, uma festa que promove a Literatura (nesse momento meu ex-professor de Literatura acaba de entrar no MSN) é sempre bem-vinda, ainda mais no Brasil, um país tão carente nessa área.

A edição de 2010 teve como homenageado o sociólogo Gilberto Freyre, marcado por sua obra-prima Casa-Grande & Senzala.

Justa homenagem mas que gerou algumas polêmicas durante a festa, como por exemplo na noite de abertura do evento, onde Fernando Henrique Cardoso, sociólogo e ex-presidente do Brasil, soltou algumas críticas ideológicas em relação à obra do homenageado.

Achei isso até interessante, pra dar uma apimentada na coisa, fora isso várias outras participações interessantes e importantes: o historiador Peter Burke, a escritora Isabel Allende e o grande poeta Ferreira Gullar, foram para mim os grandes destaques.

Além deles várias outras atrações rechearam mais uma vez a FLIP de cultura, diversidade e muita alegria, combinação perfeita para uma festa. Mais uma vez fiquei com muita vontade de ir e poder presenciar tudo isso de perto, infelizmente, mais uma vez, não deu. Quem sabe ano que vem.

Enfim, o importante desse acontecimento é ressaltar a importância e a positividade dele para o país como um todo, mostrar que no Brasil existe potencial para eventos desse porte e quem sabe ainda maiores.

Rio de Janeiro – Parte 2


Mas ao mesmo tempo o Brasil também é lugar de tiroteio que mata inocentes e causa pânico na população em geral.

São Conrado, Rio de Janeiro capital, dia 21. Um tiroteio envolvendo traficantes e a PM, por volta das 8h, além de matar uma mulher identificada como Adriana Duarte de Oliveira dos Santos, desembocou ainda na invasão por parte dos traficantes ao Hotel Intercontinental, aonde fizeram 35 reféns.

Houve registros de feridos tanto entre os traficantes, quanto os PM’s e também civis. Ou seja, o que era pra ser apenas mais uma manhã de sábado acaba virando uma grande confusão que atrapalha a vida de muitas pessoas.

Não querendo entrar no mérito de culpados ou inocentes, o fato é que tiroteios como esse as vezes são tratados de uma maneira muito banal, porque sim, não é a primeira vez que isso ocorre, mas trago para os acontecimentos justamente por isso, não é qualquer coisa um tiroteio assim.

Gera, pelo menos em mim, muita indignação e vontade mudar isso, não é simples, querer dizer isso vai acabar assim de uma hora pra outra é utopia, a realidade é que talvez nunca acabe, mas é certo que se cada um fizesse sua parte isso poderia ao menos melhorar.

Assim como acredito que a Literatura da FLIP, e a Literatura do dia-a-dia têm que ser vividas por todos, o questionamento e a ação frente a problemas sociais como esse tiroteio também têm que ser vividos por todos.

É isso, o porquê de dividir os dois acontecimentos em Parte 1 e Parte 2 é justamente esse, mesmo tão distintos podem ser olhados e analisados juntos.

Até setembro.

Convocados


Esse é o primeiro post que fala sobre futebol depois da Copa do Mundo.

Com a eliminação do Brasil na Copa, Dunga foi dispensado pela CBF, e depois do não de Muricy Ramalho, que preferiu ficar no Fluminense, a Seleção Brasileira acertou com Mano Menezes, ex-treinador do Corinthians.

Sua primeira convocação para o amistoso contra os EUA, no próximo dia 10 em New Jersey, foi feita ontem, e esse post não passa de uma brincadeira.

Sim, vou sugerir quais seriam os meus 23 convocados, coisa que qualquer um pode fazer, afinal somos todos técnicos da Seleção…

GOLEIROS
Júlio César (Internazionale)
Fábio (Cruzeiro)
Victor (Grêmio)

LATERAIS
Maicon (Internazionale)
Daniel Alves (Barcelona)
Filipe Luís (Deportivo La Coruña)
André Santos (Fenerbahçe)

ZAGUEIROS
Lúcio (Internazionale)
Juan (Roma)
Thiago Silva (Milan)
David Luiz (Benfica)

VOLANTES
Lucas (Liverpool)
Ramires (Benfica)
Aírton (Benfica)
Fernando (Bordeaux)

MEIAS
Paulo Henrique Ganso (Santos)
Ederson (Lyon)
Elano (Galatasaray)
Carlos Eduardo (Hoffenheim)

ATACANTES
Alexandre Pato (Milan)
Nilmar (Villareal)
Hulk (Porto)
Fred (Fluminense)

45 não é 90


The dream is over.

O tão sonhado hexa vai ficar pra 2014, hoje mais cedo a Seleção Brasileira mais uma vez caiu num jogo de quartas-de-final, dessa vez para a Holanda que havia sido eliminada pelo mesmo Brasil em 94 e 98. Interessante lembrar também que pela terceira vez nas últimas quatro Copas o Brasil é desclassificado com gols bem parecidos: bola parada, uma certa indecisão dentro da nossa área e gol dos caras.

Enfim, é muito triste, vendo o jogo dentro de um bar lotado de gente e ver a decepção no rosto de todos, vi choro, vi raiva, vi toda a ilusão ser desfeita.

O que fazer agora? Tentar achar culpados e crucificar um ou outro? Não acho que isso seja o mais adequado, a mídia como sempre abusa disso, Dunga e Felipe Melo ainda serão muito massacrados por muitos.

Não acho que eles são culpados? Acho sim, grande parcela de culpa está com eles. Dunga por não ter convocado os melhores, se viu sem boas opções de banco em alguns jogos como o de hoje, e Felipe Melo pela atitude inconsequente no jogo de hoje, o pisão em Robben é uma pequena amostra do desespero que já pairava no time naquele momento do jogo.

E é aí que eu digo que não dá pra culpar só um ou outro. O título do post é a minha opinião sobre qual foi na realidade o maior problema. A Seleção Brasileira fez um ótimo primeiro tempo, o tão contestado Felipe Melo inclusive recebia muitos elogios pelo belo lançamento que deixou Robinho na cara do gol para o abrir o placar logo aos 10 minutos de jogo, pouco depois da Seleção ter um gol anulado.

Tudo parecia perfeito, a Holanda mais uma vez era um adversário forte que ficava pra trás.

Mas 45 não é 90. O segundo tempo foi completamente diferente, talvez até por essa superioridade no primeiro tempo a Seleção Brasileira entrou diferente no segundo tempo e a Holanda também.

O time de Bert Van Marwijk percebeu que estava ali não era atoa, com 100% de aproveitamento na Copa mostrou que a “Laranja Mecânica” não se resume aos ótimos Robben e Sneijder, mas tem outras peças que também jogam bem e começaram a jogar.

Sorte, sim, muita sorte eles tiveram, pois logo no início da segunda etapa uma saída horrível de Julio Cesar, que é o melhor goleiro do mundo mas que também erra, e um gol contra de Felipe Melo, tudo igual.

Nesse momento querendo ou não a derrota já se desenhava, a Seleção não conseguiu reencontrar o bom futebol que ficou perdido no primeiro tempo e a Holanda animada pelo gol de empate buscava a virada bem mais coesa e consistente dentro de campo.

Veio a expulsão de Felipe Melo, num lance deplorável, num pisão ridículo em cima de Robben, o desespero foi tomando conta da seleção, até que veio o gol da classificação holandesa.

A cabeça do pequenino Wesley Sneijder decidiu, num escanteio cobrado pela direita o camisa 10 holandês subiu sozinho e deu números finais ao jogo.

Depois disso muito desespero e pouco futebol por parte do Brasil. Ninguém, eu disse ninguém, conseguiu jogar bem, ninguém chamou o jogo e decidiu, o time se perdeu e a Holanda era senhora do jogo.

Enfim, o time todo perdeu, esqueceu que tinha um segundo tempo e um adversário pela frente, esqueceu que Copa do Mundo é um campeonato muito sério e que qualquer erro pode ser fatal.

A Copa das vuvuzelas deixa lições que não podem ser esquecidas daqui pra frente: o futebol brasileiro cada vez mais vai se europeizando, isso é ruim pois nos deixa no nível deles, o algo mais, a ginga, vão se perdendo e dando lugar pro “futebol funcionário público”, pro “futebol resultado” bem ao estilo europeu; é querer lutar contra a corrente mas talvez seja hora de repensar e mudar isso.

A Seleção Brasileira ainda é uma das melhores do mundo, mas existem adversários como a Holanda capazes de vencê-la, querer acreditar que perdemos somente por erros nossos é querer fechar os olhos para os méritos do adversário.

Apesar disso tudo, o Brasil é o único penta campeão mundial e pelo menos até 2014 sustentará este posto, é bom demais saber disso.

O Un Quimera voltará a falar da Copa, dos outros jogos da quartas e por aí vai, mas a grande vontade do blogueiro era poder soltar o grito de campeão, que fica entalado na garganta.

E vamos às Quartas…


Chegou ao fim hoje a fase de Oitavas de Final da Copa do Mundo de 2010.

E pra quem ainda torcia o nariz pra essa Copa acredito que essa fase foi o suficiente para mudar de ideia, agora sim tivemos bons jogos, golaços e, infelizmente, muitos erros claríssimos de arbitragens.

As Quartas reservam ainda mais jogões e golaços e é tentando dar uma prévia das Quartas, falando das Oitavas, que vou mandar esse post:

URUGUAI x GANA

A Copa mostra uma superioridade latino americana incrível e o Uruguai talvez seja a equipe das Américas que mais surpreendeu positivamente.

Invicto e mostrando um futebol bem ao velho estilo uruguaio a equipe celeste vai repousando em sua força ofensiva todas as suas esperanças: Forlán é o principal jogador do time e faz a diferença, no jogo das Oitavas o destaque maior foi de outro atacante: Luis Suarez, que anotou os dois gols contra a Coreia (o segundo gol, aliás, um golaço!), além dos dois Alváro Pereira e a sólida zaga que conta com Lugano e Godín formam a base desse time que tem condições de chegar as semi-finais.

Já Gana continua sendo a “resistência africana” nessa Copa. A suada vitória nas Oitavas diante dos EUA deu ainda mais força a essa seleção que foi pouco falada mas que vai demonstrando sua qualidade e raça jogo a jogo. Os incansáveis Gyan e Ayew dão trabalho a qualquer defesa e Prince Boateng dá todo gás e velocidade ao meio campo.

Jogão! Meu palpite: Uruguai 1 x 0 Gana

BRASIL x HOLANDA

Já pode ser considerado um clássico. Todos os confrontos entre essas duas seleções proporcionaram momentos históricos para os amantes do futebol, e o jogo dessa sexta promete não ser diferente.

A Seleção Brasileira confirmou as expectativas nas Oitavas e mandou os chilenos de volta pra casa sem grandes dificuldades. Mesmo sem Elano e Felipe Melo, Dunga conseguiu armar um meio de campo que apesar de não muito criativo conteve bem o ataque chileno e com a fortíssima defesa bem como sempre ficou fácil para o ataque emplacar e naturalmente sairam os 3 gols.

Para as quartas novos desfalques aparecem, mas a base do time será mantida e a evolução de Kaká, aliada ao constante bom momento da defesa são os trunfos dessa seleção que busca o hexa.

Já os holandeses vem com nada mais, nada menos do que 100% de aproveitamento nessa Copa.

Nas Oitavas não foram assim tão brilhantes, a burocrática vitória por 2 x 1 sobre a Eslováquia contrasta com a grande qualidade técnica da “Laranja Mecânica”.

E não tem o que se esconder, a grande força desse time está no ataque, principalmente na dupla Robben/Sneijder. O primeiro aliás, pelo menos na opinião do blogueiro, é hoje um dos 3 melhores jogadores do mundo.

A expectativa é grande e o meu palpite é: Brasil 3 x 2 Holanda.

ALEMANHA x ARGENTINA

Deve ser o melhor jogo das Quartas e talvez até o melhor da Copa.

Ambas as equipes foram pivôs de confusões nas Oitavas, pois ambas foram claramente favorecidas nos duelos contra Inglaterra e México. Porém, apesar disso ambas também acabaram demosntrando um bom futebol e mereceram e muito suas classificações.

A Alemanha aplicou uma goleada nos ingleses jogando no erro deles. Özil, Schwensteiger e Müller municiam muito bem a dupla Klose/Podolski, o time de Joachim Löw não é brilhante mas tem opções de banco e está muito bem entrosado.

Já os hermanos vem demonstrando muita raça! No jogo contra o México não jogaram o melhor futebol do mundo, mas coroada com o golaço de Tevez a classificação chegou e mostrou que eles estão muito vivos nessa Copa.

A esperança de vingar a eliminação na mesma fase (Quartas) para o mesmo adversário (Alemanha) na Copa de 2006 repousa principalmente nos pés de Lionel Messi, assim como nos gols do artilheiro Higuaín. A exemplo da Alemanha o banco da Argentina é fortíssimo e a figura de Maradona, quase messiânica pra eles, é outro fator que bota ainda mais fogo nesse jogão.

Palpite: Alemanha 1 x 1 Argentina – Pênaltis: Alemanha 3 x 4 Argentina

PARAGUAI x ESPANHA

O Paraguai é outra grata surpresa que vem da América do Sul. Pela primeira vez nas Quartas de uma Copa do Mundo a vaga veio depois de longos 120 minutos sem gols contra o Japão e de uma emocionante disputa de pênaltis, a qual venceu por 5 x 3.

Nas Quartas os paraguaios confiam em seu forte sistema defensivo (apenas dois gols sofridos nessa copa) e na versatilidade de seus atacantes: Barrios, Santa Cruz, Cardozo. Como franco atirador total o Paraguai enfrenta talvez o grande favorito para essa Copa.

Que é a Espanha. Depois de uma derrota na estreia, que alarmou a todos, o time espanhol parou de brincar e veio mostrando um futebol bem melhor.

Nas Oitavas a vítima foi Portugal. Cristiano Ronaldo e cia. não foram capazes de parar Villa, que marcou o gol da vitória e se igualou a Higuaín na tábua de artilheiros.

Além de Villa, o meio de campo com Xavi, Iniesta e Xabi Alonso é a grande fortaleza dessa favoritassa Espanha.

Contra toda lógica, aposto na zebra: Paraguai 2 x 1 Espanha.

Bem, é isso, agora são dois dias sem Copa do Mundo e na sexta começam as Quartas, passa muito rápido e não dá pra perder nada.

Fim de 1ª Fase


Chega ao fim a 1ª Fase da Copa do Mundo de 2010. Neste post uma pequena análise de cada grupo e um enfoque especial no jogo da Seleção Brasileira hoje de manhã.

GRUPO A

Um dos grupos mais equilibrados dessa Copa. O Uruguai foi indiscutivelmente o melhor time do grupo, passando invicto pela primeira fase e mostrando um futebol interessante, ofensiva e com uma sólida defesa a equipe celeste pode ir ainda mais longe na Copa.

O segundo colocado México passou com apenas 4 pontos mas deu a impressão de que pode crescer mais dentro da competição, muito azar ou muita sorte enfrentarão a Argentina logo nas Oitavas (repetindo o confronto de 2006).

Já África do Sul e França foram duas das grandes decepções dessa Copa, principalmente a equipe europeia.

Os anfitriões, comandados pelo brasileiro Dunga, não mostraram um bom futebol em nenhum jogo e acabaram merecendo ficar fora, mas a torcida para que avançassem um pouco mais era enorme.

A França vai querer esquecer essa Copa, onde tudo deu errado, 1 empate e 2 derrotas, apenas 1 gol feito e um péssimo futebol apresentado, não bastasse tudo isso ainda ocorreram brigas internas, entre Anelka e Domenech e Evra e um preparador físico, a França volta pra casa mal, muito mal! Au revoir, les Bleus.

GRUPO B

O grupo B é mais um dos grupos que teve um país latino americano terminando como líder. No caso a Argentina de Maradona, que mesmo jogando com time misto no último jogo contra a Grécia, passou com 3 vitórias e mostrando talvez o melhor futebol que essa Copa já viu até agora. O destaque principal é Messi, mas o time argentino não se baseia somente no camisa 10 e deve ir longe nessa Copa.

A segunda vaga do grupo ficou com a Coreia do Sul, que começou vencendo bem a Grécia mas que depois por pouco não ficou fora.

Grécia e Nigéria bem que tentaram beliscar essa segunda vaga, mas ambos bobearam contra a Coreia. A Grécia tomou um baile e a Nigéria que poderia ter vencido e se classificado ficou só no empate contra os asiáticos (chances pra vencer foi o que não faltou).

Méritos pra Park e companhia que já fizeram uma bela campanha em 2002 e agora tentam atrapalhar o caminho dos uruguaios.

GRUPO C

Grupo em que todos imaginavam Inglaterra e EUA classificados, mas em posições trocadas.

Esse foi um dos grupos de nível técnico mais baixo e contraditoriamente o que teve um dos jogos mais emocionantes até agora.

A favorita Inglaterra não mostrou um bom futebol até agora e pode se complicar nas Oitavas (onde teremos o clássico Alemanha x Inglaterra). Classificando-se com 2 empates e uma vitória o time de Fabio Capello ainda está longe do ideal.

Já os EUA, que também classificou-se com 2 empates e 1 vitória (mas com mais gols marcados) foram injustiçados na segunda rodada e estariam fora das Oitavas, deixando a classificação para a Eslovênia, mas aos 45 minutos do segundo tempo, no jogo da terceira rodada contra a Argélia, um gol do craque do time Landon Donovan deu aos estadunineses a vaga e de quebra a primeira posição do grupo, enfrentam agora Gana nas Oitavas, a única seleção africana que passou pra próxima fase.

Argélia e Eslovênia ficam pelo caminho sem deixar muitas coisas pra serem lembradas, a seleção africana inclusive não marcou um gol sequer.

GRUPO D

O grupo da Alemanha começou com uma sonora goleada dos alemães sobre a Austrália e com uma vitória de Gana sobre a Sérvia. Acabou de uma maneira parecida com Alemanha e Gana ficando com as duas vagas, mas no meio disso tudo coisas diferentes aconteceram e a impressão de uma Alemanha fortíssima foi desfeita.

Os comandados de Joachim Löw mostraram certa inconstância na derrota para Sérvia na segunda rodada e agora podem provar se estão tão bem como se está dizendo ou não nas Oitavas, no confronto contra os ingleses.

Já Gana enfrenta os EUA tentando manter a honra do futebol africano, que não foi bem nessa Copa “em casa”, mesmo sem Essien a equipe de Gana conseguiu avançar e pode ir mais além.

Sérvia e Austrália ficam com aquela sensação ruim de que ambos poderiam ter se classificado também, não demonstraram um futebol brilhante em nenhum momento, mas buscaram sempre a vitória e se estivessem nas Oitavas com certeza iriam dar trabalho.

GRUPO E

Outro grupo em que o líder termina com 100% de aproveitamento.

A Holanda confirmou seu favoritismo e classificada ainda na segunda rodada pode poupar alguns jogadores na última rodada quando venceu Camarões por 2 x 1. Tem pela frente agora a Eslováquia nas Oitavas.

A seleção africana acabou decepcionando também ,saiu da Copa com 3 derrotas e sem mostrar um bom futebol.

A Dinamarca pela primeira vez na sua história saiu da Copa ainda na primeira fase, não foi bem em nenhum dos três jogos, mostrando falhas infantis no duelo contra Camarões aliás, mas apesar disso esse jogo foi sua única vitória nessa Copa.

Essas duas eliminações são facilmente justificadas quando se fala do classifcado Japão. A equipe do atacante Honda (um dos destaques dessa Copa) mostrou um bom e convincente futebol, principalmente na última rodada contra a Dinamarca, e mereceu muito essa vaga. Enfrenta agora o Paraguai nas Oitavas e ficam as expectativas de um ótimo jogo.

GRUPO F

Mais uma grande decepção dessa Copa.

A Itália, atual campeã mundial e favoritíssima pra ficar com a primeira posição do grupo, não só não se classficou, mas também terminou a Copa sem vencer (2 empates e 1 derrota) e na última posição do grupo.

Quem passou foi Paraguai e Eslováquia.

Os latino americanos seguraram a Itália na primeira rodada e venceram bem a Eslováquia na segunda, com um empate chocho contra a Nova Zelândia na última rodada garantiram a primeira posição do grupo. Tem pela frente o Japão, que vem muito bem e pode complicar.

A Eslováquia foi quem terminou de vez com a Itália, com uma vitória por 3 x 2 na última rodada, o time europeu conta com um dos artilheiros da competição, o atacante Vittek e pega agora uma forte Holanda, tentando supreender mais uma vez.

E o grupo contou também com uma situação curiosa: a Nova Zelândia, que todos esperavam que fosse ser um saco de pancadas, conseguiu sair da Copa na primeira fase invicta, isso mesmo, foram três empates e nada mais.

GRUPO G

O grupo do Brasil. Aconteceu o que muitos esperavam, Brasil em primeiro e Portugal em segundo. A Costa do Marfim, considerada por muitos a melhor seleção africana da atualidade acabou ficando pelo caminho e a Coreia do Norte cumpriu o seu papel de saco de pancadas.

O jogo de hoje entre Brasil x Portugal não foi dos melhores, o placar em 0 x 0 confirma isso e talvez a certeza de ambos que estariam classificados com esse resultado possa ter contribuído também. O Brasil não contou com três de seus principais jogadores e Portugal também não entrou com força total.

Vale destacar a enorme falta que faz Kaká e a boa opção que é Nilmar. A Seleção Brasileira classificou-se invicta e sem maiores dificuldades num grupo que parecia ser mais difícil, o mata-mata começa agora e logo de cara um adversário bastante conhecido, o Chile.

Já Portugal, que aplicou a maior goleada dessa Copa (7 x 0 na Coreia do Norte) ficou a dura missão de encarar a Espanha, nesse que será um dos melhores jogos dessa Copa.

GRUPO H

O grupo H começou de maneira surpreendedora para muitos, com a derrota da Espanha para a Suíça logo na primeira rodada.

Enquanto isso o Chile vencia Honduras e ia cavando a sua vaga. A Espanha se recuperou na segunda rodada e o Chile confirmou o bom momento, até que hoje na terceira rodada tudo se decidiu e a Espanha se impôs, mostrando que o tropeço da primeira rodada já é passado, venceu o Chile por 2 x 1 e ficou com a primeira posição do grupo.

No duelo ibérico tudo pode acontecer e em outro “duelo doméstico” Brasil x Chile também devem fazer um bom jogo.

A Suíça sai da Copa tomando gol dessa vez, e Honduras cumpre o seu papel de mero figurante, terminando com apenas 1 pontinho.

Agora é pra valer, amanhã começam as Oitavas com Uruguai x Coreia do Sul e EUA x Gana, o Un Quimera continua acompanhando a Copa, deve rolar um Rabo de Urna agora no fim de semana e depois “acontecimentos”, o blogueiro segue pra jogar um futebolzinho logo mais, até.

Conseguimos conquistar com braço forte…


A Seleção Brasileira fez ontem seu segundo jogo na Copa do Mundo e ao contrário do que muitos esperavam o time comandado por Dunga jogou bem durante algum tempo e venceu sem maiores dificuldades aquela que é considerada a melhor seleção africana de futebol da atualidade (pelo que mostrou ontem o ramo das lutas pode abrigar também o time de Sven Goran Eriksson).

Logo no início do jogo Robinho teve uma grande chance e quase abriu o placar, porém nos minutos seguintes a seleção africana adiantou sua marcação e não deixou o Brasil jogar. Robinho e Kaká tinham de voltar a todo momento para auxiliar os volantes e dava a impressão de que a Costa do Marfim poderia complicar as coisas para a nossa seleção.

Porém não demorou muito para o ataque brasileiro funcionar, em boa jogada de Kaká, Luis Fabiano recebeu na frente e fuzilou o gol de Barry, aos 25 minutos do primeiro tempo, Brasil 1 x 0.

O gol deu mais segurança para a Seleção Brasileira e desanimou o time marfinense, até o fim do primeiro tempo o que se viu foi o Brasil buscando o segundo gol sem muita objetividade e os marfinenses sem aquela marcação tão forte do início do jogo.

Na volta para o segundo tempo o Brasil melhorou, mesmo sem nenhuma alteração o time pareceu mais ligado e logo aos 5 minutos um golaço que gerou muita polêmica.

Luis Fabiano recebeu na aŕea passou por vários marcadores, fez uma bela jogada e tocou de esquerda no cantinho do gol, fazendo talvez o gol mais bonito dessa Copa, porém em duas no lance ele usou o braço para dominar a bola, daí o título do post em tom de brincadeira, acredito que um gol tão bonito mesmo irregular não merecia mesmo ser anulado. Enfim, foi aí que o juiz Stephanne Lannoy começou a se complicar.

Pouco depois do segundo gol surgiu o terceiro, o Brasil dominava o jogo e em mais uma boa jogada de Kaká, Elano apareceu na aŕea como elemento surpresa e tocou no canto, Brasil 3 x 0.

A Costa do Marfim ainda conseguiu diminuir com um gol de cabeça do principal jogador do time, o atacante Didier Drogba, muitos reclamaram da imobilidade de Júlio César no lance, acho que essa reclamação não tem fundamento, a cabeçada foi perfeita, no chão, no canto, indefensável, Júlio não teve culpa, ainda é o melhor goleiro do mundo e está muito bem na Copa.

Tudo caminhava para um fim de jogo tranquilo, mais uma vitória brasileira e dessa vez, como era de se esperar com um futebol mais convincente, porém o time da Costa do Marfim começou a apelar para um futebol violente, inúmeras foram as chegadas maldosas dos marfinenses e o árbitro deixava isso rolar com conivência, se complicou ainda mais.

Kaká, visivelmente nervoso e incomodado por isso recebeu o cartão amarelo e poucos minutos depois, após um encontrão normal com o meio-campista Keita foi expulso por Lannoy, Keita simulou uma agressão e o árbitro caiu na dele, muita reclamação por parte dos brasileiros e o nosso camisa 10 fica fora do confronto contra Portugal.

Essa talvez tenha sido a maior polêmica do jogo, e a minha opinião sobre isso é a seguinte: está claro que Kaká não teve intenção nenhuma de agredir ninguém, nunca tinha visto ele ser expulso e não acho que seria numa Copa do Mundo que ele faria isso de propósito, nervoso é claro que ele estava e quem não estaria?

Aí então questionam Dunga, por que não tirar Kaká de campo? Concordo, essa seria a atitude mais correta, mas será que a culpa pela expulsão é exclusiva do treinador? Na minha opinião o grande vilão da história foi o árbitro, ele prejudicou a si próprio e também a nossa Seleção.

No fim a impressão que fica, pelo menos pra mim, é que esse time pode ir longe, são muitas as reclamações e as contestações, mas os resultados estão aí, a classificação já assegurada na segunda rodada desse grupo que não era tão fácil como os das Copas de 2002 e 2006. E o bom futebol, que eu também considero importante, aos poucos vai aparecendo.

Na sexta chega a hora do confronto mais complicado da primeira fase ,o duelo contra Portugal, é bom chegar a esse jogo já classificado, mas não é por isso que a Seleção pode se acomodar, jogar sem Kaká vai ser ruim por uma lado, afinal ele evoluiu nessa segunda partida e poderia dar prosseguimento a essa evolução jogando contra os lusos, mas bom por outro lado, será interessante ver como a seleção vai se portar sem o camisa 10 em campo. Com Júlio Baptista? Ramires mais recuado? Nilmar ao lado de Robinho e Luis Fabiano?

É esperar pra ver e enquanto isso durante a semana comento um pouco sobre os outros jogos, hoje já tivemos dois confrontos interessantes: o massacre luso na Coreia do Norte e a vitória chilena quebrando o forte bloqueio suíço, e confirmando a grande fase das seleções latinas nessa Copa do Mundo.