Arquivo da categoria: Bahia

Salve a molecada rubro-negra!

Como já havia adiantado no primeiro post da série, os posts sobre o Flamengo não se restringirão apenas à série Le Rouge et Le Noir, ocasiões especiais como a conquista de título, por exemplo, terão seu post a parte.

E não foi isso que aconteceu ontem, no Pacaembu (Pacaembu que, diga-se de passagem, estava parecendo um estádio sitaudo no Rio de Janeiro, a massa rubro-negra invadiu o estádio e provou mais uma que independente da categoria, a Magnética sempre tá lá)?

O Flamengo, com seu time sub-18, conquistou o primeiro título de 2011, campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior, a competição mais importante da categoria em território nacional.

Tem muita coisa pra ser lembrada e destacada.

O Flamengo começou a competição com um empate, não empolgando muito, porém, logo na segunda rodada, aplicou uma sonora goleada de 7 x 1 sobre o Gurupi-TO, na terceira rodada outra boa vitória, mas não o suficiente para se classificar como primeiro colocado do grupo, conseguiu vaga na segunda fase como um dos melhores segundos colocados.

Na segunda fase, logo de cara, o confronto contra o Cruzeiro, um dos favoritos ao título, depois de um bom jogo a decisão foi para os pênaltis e o Flamengo conseguiu a vaga nas Oitavas.

Nas Oitavas duelo contra o São Paulo, campeão da edição de 2010 da Copa SP, outro jogo duro e vitória magra do Flamengo, com gol já nos minutos finais, 1 x 0.

Nas Quartas um dos grandes jogos dessa Copinha, o Flamengo não tomou conhecimento do Coritiba e aplicou 6 x 2, garantindo a vaga nas semi-finais.

Contra o Desportivo Brasil mais sofrimento e nova decisão por pênaltis. O Flamengo venceu mais uma vez e se classificou para a grande final.

E ontem, diante do Bahia, jogo difícil e mais uma vitória rubro-negra, dessa vez por 2 x 1, garantindo assim o bi-campeonato da Copa SP, o outro título tinha sido conquistado em 1990 pela geração que contava com Djalminha, Paulo Nunes, Marcelinho Carioca, Júnior Baiano e Nélio.

Citando esses nomes, acho que fica claro, pra quem ainda não tinha percebido isso, que eu falei de toda a campanha do Flamengo na competição em 2011 sem citar nenhum nome de jogador, isso é porque queria falar de uma maneira mais especial deles, não só falar quem fez o gol da classificação ou coisa assim.

É muito díficil (eu pelo menos nunca tinha visto antes) ver um time de futebol júnior ser inteiro bom, com toda sinceridade, é lógico que existem alguns destaques individuais que vou ressaltar daqui a pouco, mas o time como um todo é muito bom. Teve falhas sim, e inclusive reclamações dos próprios jogadores após o título das condições de treino e etc, mas mesmo assim é um timaço.

César no gol, foi o heroi da final, fazendo grandes defesas e também se destacou nas disputas por pênaltis contra Cruzeiro e Desportivo Brasil.

Nas laterais os irmãos Alex e Anderson, ambos com bom porte físico, apoiam muito bem o ataque.

A zaga tem Marllon e Frauches. Muito segura e destaque para o segundo, autor de gol na final, exímio batedor de pênaltis (por incrível que pareça) e capitão do time.

No meio Luis Felipe “Muralha” e Lorran ficam mais atrás, Muralha, que pelo nome foi meio discriminado não é aquele volante brucutu, também sabe sair jogando, prova disso foi a jogada que resultou no pênalti que deu o título ao Flamengo. Lorran também sabe jogar e tem bom posicionamento.

Mais a frente no meio, Negueba e Adryan, talvez os dois maiores destaques do time. Negueba já tinha feito partidas no profissional no fim do ano passado e fez uma ótima Copa SP, fazendo inclusive o gol do título num pênalti muito bem batido. Adryan é o caçula do time, com apenas 16 anos, ele vestiu uma coisa chamada camisa 10 da Gávea e não decepcionou, fez um ótima Copa SP também.

Na frente Rafinha e Lucas. O primeiro acabou ficando no banco vários jogos, mas sempre que entrava fazia a diferença e Lucas é o camisa 9 típico que se destacou muito na partida contra o Coritiba com 3 gols.

Destaque também pra Thomas e Victor Hugo que tiveram uma participação efetiva dentro da competição.

De todos esses acredito que Negueba, Frauches, César, Luis Felipe e Anderson já podem subir direto para o time profissional e, com cuidado para não serem queimados, irem sendo aproveitados por Vanderlei Luxemburgo, que acompanhou de perto essa decisão.

Os outros com certeza futuramente também estarão no profissional, a não ser que algum empresário venha vendê-los para a Europa.

Enfim, é muito bom ser campeão e quando se é campeão de uma competição que revela jogadores, a sensação é diferente, a esperança de um futuro melhor é renovada e o ditado de que “craque o Flamengo faz em casa” mais ainda.

Que tenha sido primeiro de vários outros títulos nesse 2011 que promete pro Mengão!

SRN