Arquivo da categoria: Arnaldo Antunes

QuimeraTube #53

…é que meu notebook pifou geral no sábado e aí, querendo ou não, o acesso à internet fica um tanto quanto limitado…

Mas não é por isso que eu vou deixar de postar por aqui, aí vai Arnaldo Antunes e toda sua paixão por uma “Americana”:

“gosta de uma maluquice, mas de caretice ela tem horror!”

QuimeraTube #20

A dois tudo fica mais fácil, a genialidade de Arnaldo Antunes e Marisa Monte que o diga:

QuimeraShare #08

O oitavo QuimeraShare permance em São Paulo e fala de um cara foda, um dos maiores expoentes da música e da literatura brasileira na contemporaneidade.

O ex-titã, ex-tribalista e para sempre influenciador da minha cultura, Arnaldo Antunes.

Antes das canções e poemas, o que já chama atenção é o característico corte de cabelo, outra particularidade é a voz, e mais do que tudo isso é como Arnaldo consegue reunir simplicidade e complexidade em seus poemas e canções.

Surge nos Titãs e é um dos membros mais ativos dos dois melhores discos da banda na minha opinião: Cabeça Dinossauro e Õ Blésq Blom, depois parte para a carreira solo e além de reler canções de outros grandes nomes da MPB também deixa suas canções serem gravadas por outras vozes.

Até que surge o tribalismo no pilar da construção, ao lado de Marisa Monte e Carlinhos Brown, no começo da década, Velha Infância, Já Sei Namorar, entre outras, são as canções consagradas pelo trio, que se desfaz e Arnaldo volta a carreira solo.

Carreira solo não menos sólida, regada a muitos álbuns bons como Qualquer, Paradeiro e Iê Iê Iê.

Paralelo a isso a produção literária também vai surgindo, flertando com o concretismo Arnaldo lança vários livros, o único que já li até hoje foi As Coisas.

Em meio a tudo isso, tem também o álbum de hoje do QuimeraShare: Ninguém, de 1995.

Turbinado pela guitarra do parceiro Edgard Scandurra, o álbum é um dos melhores de Arnaldo na minha opinião.

Além de Budismo Moderno (uma releitura do poema de Augusto dos Anjos) e Judiaria (de Lupicínio Rodrigues) o álbum conta com outras 12 canções, destaque para Alegria, O Seu Olhar e Inspirado.

“Eu vou te dar alegria, eu vou parar de chorar, eu vou raiar um novo dia, eu vou sair do fundo mar, eu vou sair da beira do abismo e dançar, e dançar, e dançar!”

É só baixar e ouvir: