Arquivo da categoria: Argentina

QuimeraCast #05 – A perplexidade, a América e o Brasil

Caros leitores e ouvintes, o QuimeraCast está de volta!

Depois de três meses sem dar as caras por aqui, o podcast do Un Quimera enfim voltou. Como já disse desde o início a ideia do podcast sempre foi muito desejada por mim, mas por todo amadorismo e falta de condições mesmo, a ideia de soltar um por mês acabou ficando pra trás.

Com a periodicidade estourada, pelo menos por enquanto, vou ir lançando assim que der, espero poder voltar a ter uma periodicidade mais “garantida” em pouco tempo.

E hoje, o quinto QuimeraCast, a exemplo do primeiro, vai falar sobre futebol. Durante todo esse mês de julho e também agora na primeira semana de agosto, estou passando férias aqui em São Gonçalo do Sapucaí. Paralelamente a isso, também rolou a Copa América, aí conversando com o pessoal daqui resolvemos fazer um podcast falando essa Copa América e o papo acabou seguindo um pouco pros lados do Campeonato Brasileiro 2011.

Pra fechar de vez o assunto Copa América e já dar a deixa para um podcast de fim ano que falará mais especificamente sobre o Campeonato Brasileiro 2011, eu, Rogério Xablau, Mauro Boizão, Marcelo Cabeça, Guilherme Picolé, Lucas Moreno e João Otávio, Bota Fogo, falamos sobre um campeonato que colecionou zebras, frangos, pênaltis perdidos, perplexidade e cavadinhas além de pitacos sobre o início de outro campeonato com ótimas campanhas, algumas decepções, muitos gols e ainda um único invicto.

Duração: 59 min.

É só baixar e ouvir:

QuimeraCast #05 – A perplexidade, a América e o Brasil

Os “acontecimentos” de outubro/2010

Chega ao fim o mês de outubro e talvez o grande “acontecimento” do mês está acontecendo.

Sim, me refiro ao segundo turno das Eleições no Brasil, do duelo entre Dilma e Serra. Porém isso vai ser tratado posteriormente no Un Quimera.

Pra hoje coloco dois “acontecimentos” não brasileiros, mas sul-americanos.

O Resgate dos mineiros no Chile


Esse foi um daqueles “acontecimentos” que serão lembrados por muito tempo. Com certeza o ano de 2010 vai ficar marcado por ele.

No dia 5 de agosto um acidente na mina San José, no deserto do Atacama no Chile, próxima da pequena cidade de Copiapó, soterrou 33 mineiros que trabalhavam ali.

Só depois de duas semanas é que uma sonda identificou que os mineiros estavam ali e aí começaram as medidas para buscar o resgate.

Depois de muito esforço e com ajuda até da Nasa (que teve influência direta na confecção da Fênix 2, cápsula que resgatou os mineiros), os mineiros foram enfim resgatados no dia 13 desse mês.

É interessante ressaltar que todos os 33 mineiros saíram com vida.

Mas além disso o que mais me chama atenção é a festa feita pela populações de Copiapó, com bandeiras, hinos e gritos, a cidade que é caracterizada por ser uma cidade de mineiros, foi palco perfeito para a emoção do povo chileno.

E também a imensa cobertura midiática. O resgate foi atração em várias TVs em todo mundo, o que mostra preocupação em veicular esse importante “acontecimento”, mas também um certo sensacionalismo, porém aí já é outra discussão.

Enfim, o resgate dos mineiros acaba sendo mais um “acontecimento” que teve como palco o Chile. Apesar da alegria de todos os mineiros saírem com vida, uma preocupação também fica evidente: terremotos, acidentes em minas, será tudo azar, coincidência ou falta um pouco de estrutura ao país de Pablo Neruda?

Morre Néstor Kirchner

No dia 27 faleceu em El Calafate, Patagônia, o ex-presidente argentino Néstor Kirchner.

Um “acontecimento” em todos os sentidos, pois envolve alguém que já influenciou muito a Argentina e que ainda influenciará, sua morte já traz influências políticas e sua figura dentro da Argentina ainda será muito lembrada.

Além de tudo, Néstor era marido da atual presidente argentina, Cristina Kirchner, que o sucedeu no posto.

Néstor foi eleito em primeiro turno em 2003, em meio ao turbilhão da crise que se instalava na Argentina, diferindo de seus predecessores no cargo, Néstor se mostrou mais sociável e preocupado com as classes mais baixas, isso lhe rendeu uma enorme popularidade e já começou a moldar o “kirchnerismo” que tem por base outro ismo, o “peronismo”.

Além de quitar a dívida externa argentina, Néstor também se alinhou com Hugo Chávez e Lula, buscando relações mais regionais para a Argentina.

Em 2007, Cristina assumiu a presidência e Néstor passou a exercer dentro do país uma função quase de primeiro ministro, e era o atual secretário-geral da UNASUL.

Desde 2004 vinha passando por alguns problemas de saúde e no dia 27 uma parada cardíaca foi o derradeiro problema, aos 60 anos Kirchner deixa a Argentina, faltando menos de um ano para as próximas Eleições no país, aliás, seu nome era cotado para a uma nova candidatura à presidência.

Com sua morte possivelmente Cristina será candidata à reeleição, e a confiança na força da figura de Néstor será, com certeza, uma das armas da atual presidente para a reeleição.

Dentro do povo argentino existe essa forte idolatria por certas figuras nacionais, Perón e Maradona são os principais, mas Kirchner talvez possa se tornar algo parecido, em menores escalas é claro, e com isso influenciar o jogo político no país do Tango.

É isso, em novembro o Un Quimera está de volta.

Os “acontecimentos” de setembro/2010

Chega ao fim o mês de setembro e é hora do post dos “acontecimentos”.
Acho que vai ficar até estranho, em tempo de Eleições e tudo mais, mas escolhi dois “acontecimentos” esportivos.
Talvez não tenham tanta importância assim num olhar mais geral, porém acredito que são legítimos “acontecimentos”.
O Mundial de Basquete na Turquia e a tão polêmica demissão de Dorival Júnior do Santos.
EUA soberanos na Turquia
O Mundial de Basquete da Turquia realizado entre os dias 28 de agosto e 12 desse mês contou com 24 seleções
divididas em quatro grupos de seis (com quatro times classificados em cada grupo).
Do grupo A classificaram-se para as Oitavas Sérvia, Argentina, Austrália e Angola.
Do grupo B Estados Unidos, Eslovênia, Brasil e Croácia.
Do grupo C Turquia, Rússia, Grécia e China.
E do grupo D Lituânia, Espanha, Nova Zelândia e França.
Os maiores destaques foram os EUA, que já mostravam toda sua força, contando com a experiência de jogadores como
Chauncey Billups e Lamar Odom, e comandados pelo ótimo ala do Oklahoma City Thunder, Kevin Durant. Também a
Lituânia de Linus Kleiza, do Denver Nuggets e os donos da casa, comandados por Ilyasova e Hedo Turkoglu.
O Brasil fez uma campanha mediana, não empolgou muito nos primeiros jogos contra Irã e Tunísia, mesmo vencendo. No terceiro jogo o grande adversário: os Estados Unidos. Em um jogo muito disputado a Seleção Brasileira acabou
perdendo por detalhes, 70 x 68. Depois disso veio uma derrota pra Eslovênia e uma vitória sobre a Croácia, valeu
a classificação pras Oitavas.
Nas Oitavas um grande jogo entre Sérvia e Croácia, 73 x 72 para o time do pivô Nenad Krstic. Além disso a
confirmação das boas campanhas de Turquia, EUA e Lituânia, com todas se classificando para as Quartas, além das
vitórias de Espanha e Eslovênia sobre Grécia e Austrália, respectivamente.
E o embate sul-americano entre Brasil e Argentina. O jogo, revestido de rivalidade, ganhou um tempero a mais, pois
foi disputado justamente no dia da Independência do Brasil, 7 de setembro.
Um bom jogo, em que o Brasil esteve a frente do placar por algum tempo, mas que mais uma vez, assim como tinha
acontecido contra os EUA, perdeu por detalhes. 93 x 89. O grande destaque foi o pivô do Houston Rockets, Luis
Scola. O “sósia” de El “Loco” Abreu fez uma partida muito sólida e cresceu no fim da partida convertendo cestas
importantes. Além disso o aproveitamento da linha dos 3 pontos por parte dos hermanos foi sensacional.
O Brasil teve em Marcelinho Huertas seu principal destaque, o armador que vinha bem desde o início da competição
se superou, fez um belo jogo e depois da derrota saiu chorando de quadra. Leandrinho não conseguiu demonstrar o
seu melhor basquete e a equipe do treinador argentino Ruben Magnano acabou parando nas Oitavas. Mais uma vez o
Brasil sai precocemente de um Mundial, isso é muito ruim, a história do basquete brasileiro é linda e nas últimas
décadas parece estar sendo manchada, valores individuais ainda existem, mas ainda falta algo mais pra essa Seleção.
O Mundial seguiu e nas Quartas os argentinos também voltaram pra casa, tomando um baile da Lituânia, 104 x 85. Os
EUA continuaram seu caminho rumo ao título passando pela Rússia e os turcos eliminaram a Eslovênia. A Sérvia mais
uma vez protagonizou um emocionante jogo contra os então campeões mundiais, a Espanha e mais uma vez venceu por um placar apertado: 92 x 89.
Nas semi-finais em um bom jogo os EUA superaram o bom time de Linas Kleiza e venceram por 89 x 74, cravando sua
vaga na final, apesar da derrota para os EUA nas semi é de se destacar o desempenho da Lituânia nesse Mundial, que
viria ser confirmado na disputa do terceiro lugar, com a vitória por 99 x 89 sobre a Sérvia.
É, a Sérvia foi chegando com vitórias apertadas e nas semi-finais acabou provando do próprio veneno. Derrota para
a Turquia por 83 x 82, com uma cesta no último segundo de jogo, de Tunçeri. Foi talvez o lance mais emocionante
desse Mundial.
Com a classificação para a final a seleção turca fez história! Pela primeira vez chegou a final e coroou sua
torcida, que compareceu em peso nos jogos e o seu treinador Bogdan Tanjevic, um dos símbolos dessa campanha de
superação da Turquia, que não contou com um de seus principais jogadores, o pivô do Utah Jazz, Mehmet Okur.
E enfim chegou 12 de setembro e a grande final. Sinceramente, como era de se esperar, devido a grande soberania
técnica estadunidense, deu Estados Unidos campeão. Com uma vitória de 81 x 64 na final, Durant e cia. quebraram um
tabu de 16 anos se título no Mundial e recolocaram os EUA no topo do basquete.
Interessante ver também que astros como Kobe Bryant, LeBron James e Dwayne Wade sequer jogaram. Contra o Dream Team é realmente muito difícil uma vitória.
O Caso Dorival-Neymar
Vamos combinar que não é qualquer dia que um treinador que conquista dois títulos em seis meses é despedido de um
time por causa de um único jogador. Por isso a demissão de Dorival Júnior é sim um “acontecimento”.
Tudo começou na partida entre Santos x Atlético-GO na Vila Belmiro, no fim do jogo, após pênalti para o Santos,
Neymarr pediu pra bater e não foi atendido, discutiu muito então com o treinador Dorival Júnior. Isso foi o fato.
E a partir desse fato o que se deve ter claro em mente é que nem Neymar nem nenhum outro jogador tem o direito de
sair discutindo assim com o seu treinador.
Isso gerou uma certa tensão dentro do clube e Dorival Júnior decidiu punir o “craque” deixando ele de fora do
próximo compromisso do Peixe contra o Guarani no Brinco de Ouro. O jogo terminou no 0 x 0 e Neymar apenas o
assistiu das cabines.
O próximo jogo do Santos seria na Vila Belmiro contra o rival Corinthians, na quarta, dia 22. Até na terça, Neymar
não jogaria e Dorival era o treinador do Santos, mas uma reunião da diretoria santista decidiu passar por cima das
ordens do comandante, despediu ele e colocou Neymar pra jogar. O resultado do jogo foi 3 x 2 para o então líder
Corinthians, mas o segundo gol do Santos foi dele, Neymar.
Enfim, o que entra em questão aqui é a atitude de Neymar e como ela repercutiu tanto e tomou proporções tão
grandes. Quem sou eu pra fazer qualquer julgamento ou coisa parecida, mas na minha opinião o ato da diretoria
santista foi extremamente infeliz.
Aí vão dizer: Neymar foi um grande investimento para o Santos, sua permanência no Santos após uma oferta milionária
do Chelsea foi algo louvável e ele é a principal atração do time, consequentemente a principal renda do clube
também.
Porém se Neymar é tudo isso e é também indiscutivelmente um bom jogador, com muito futuro, suas atitudes também
deveriam condizer com tudo isso. A responsabilidade e a humildade deveriam entrar em campo junto com o menino de 18 anos, que acabou perdendo até sua vaga na Seleção Brasileira por conta desse incidente.
Dorival, hoje treinador do Atlético-MG, vinha fazendo um belo trabalho no Santos e acabou sendo demitido. Não é o
que ele merecia.
A atitude da diretoria santista cheira mesmo a um pai que vai mimando seu filho, que por melhor que seja não pode
e não deve ser mimado assim. Volto a afirmar, Neymar tem muito potencial e possivelmente estará representando o
Brasil na próxima Copa do Mundo, mas não é nenhum gênio, já existiram muitos outros jogadores do seu nível ou até
superior que souberam ser mais humildes e tiveram grandes conquistas durante a carreira.
Não é querer crucificar o menino, mas sim dizer que ele precisa crescer.
Vale citar a frase que saiu no New York Times sobre essa polêmica toda: “O medo de que ele possa desenvolver mais
hábitos de Maradona do que de Pelé exercita a mente de um país onde o futebol está tão enraizado”.
Acho que é isso, os “acontecimentos” de setembro ficam por aqui. Até outubro.

E vamos às Quartas…


Chegou ao fim hoje a fase de Oitavas de Final da Copa do Mundo de 2010.

E pra quem ainda torcia o nariz pra essa Copa acredito que essa fase foi o suficiente para mudar de ideia, agora sim tivemos bons jogos, golaços e, infelizmente, muitos erros claríssimos de arbitragens.

As Quartas reservam ainda mais jogões e golaços e é tentando dar uma prévia das Quartas, falando das Oitavas, que vou mandar esse post:

URUGUAI x GANA

A Copa mostra uma superioridade latino americana incrível e o Uruguai talvez seja a equipe das Américas que mais surpreendeu positivamente.

Invicto e mostrando um futebol bem ao velho estilo uruguaio a equipe celeste vai repousando em sua força ofensiva todas as suas esperanças: Forlán é o principal jogador do time e faz a diferença, no jogo das Oitavas o destaque maior foi de outro atacante: Luis Suarez, que anotou os dois gols contra a Coreia (o segundo gol, aliás, um golaço!), além dos dois Alváro Pereira e a sólida zaga que conta com Lugano e Godín formam a base desse time que tem condições de chegar as semi-finais.

Já Gana continua sendo a “resistência africana” nessa Copa. A suada vitória nas Oitavas diante dos EUA deu ainda mais força a essa seleção que foi pouco falada mas que vai demonstrando sua qualidade e raça jogo a jogo. Os incansáveis Gyan e Ayew dão trabalho a qualquer defesa e Prince Boateng dá todo gás e velocidade ao meio campo.

Jogão! Meu palpite: Uruguai 1 x 0 Gana

BRASIL x HOLANDA

Já pode ser considerado um clássico. Todos os confrontos entre essas duas seleções proporcionaram momentos históricos para os amantes do futebol, e o jogo dessa sexta promete não ser diferente.

A Seleção Brasileira confirmou as expectativas nas Oitavas e mandou os chilenos de volta pra casa sem grandes dificuldades. Mesmo sem Elano e Felipe Melo, Dunga conseguiu armar um meio de campo que apesar de não muito criativo conteve bem o ataque chileno e com a fortíssima defesa bem como sempre ficou fácil para o ataque emplacar e naturalmente sairam os 3 gols.

Para as quartas novos desfalques aparecem, mas a base do time será mantida e a evolução de Kaká, aliada ao constante bom momento da defesa são os trunfos dessa seleção que busca o hexa.

Já os holandeses vem com nada mais, nada menos do que 100% de aproveitamento nessa Copa.

Nas Oitavas não foram assim tão brilhantes, a burocrática vitória por 2 x 1 sobre a Eslováquia contrasta com a grande qualidade técnica da “Laranja Mecânica”.

E não tem o que se esconder, a grande força desse time está no ataque, principalmente na dupla Robben/Sneijder. O primeiro aliás, pelo menos na opinião do blogueiro, é hoje um dos 3 melhores jogadores do mundo.

A expectativa é grande e o meu palpite é: Brasil 3 x 2 Holanda.

ALEMANHA x ARGENTINA

Deve ser o melhor jogo das Quartas e talvez até o melhor da Copa.

Ambas as equipes foram pivôs de confusões nas Oitavas, pois ambas foram claramente favorecidas nos duelos contra Inglaterra e México. Porém, apesar disso ambas também acabaram demosntrando um bom futebol e mereceram e muito suas classificações.

A Alemanha aplicou uma goleada nos ingleses jogando no erro deles. Özil, Schwensteiger e Müller municiam muito bem a dupla Klose/Podolski, o time de Joachim Löw não é brilhante mas tem opções de banco e está muito bem entrosado.

Já os hermanos vem demonstrando muita raça! No jogo contra o México não jogaram o melhor futebol do mundo, mas coroada com o golaço de Tevez a classificação chegou e mostrou que eles estão muito vivos nessa Copa.

A esperança de vingar a eliminação na mesma fase (Quartas) para o mesmo adversário (Alemanha) na Copa de 2006 repousa principalmente nos pés de Lionel Messi, assim como nos gols do artilheiro Higuaín. A exemplo da Alemanha o banco da Argentina é fortíssimo e a figura de Maradona, quase messiânica pra eles, é outro fator que bota ainda mais fogo nesse jogão.

Palpite: Alemanha 1 x 1 Argentina – Pênaltis: Alemanha 3 x 4 Argentina

PARAGUAI x ESPANHA

O Paraguai é outra grata surpresa que vem da América do Sul. Pela primeira vez nas Quartas de uma Copa do Mundo a vaga veio depois de longos 120 minutos sem gols contra o Japão e de uma emocionante disputa de pênaltis, a qual venceu por 5 x 3.

Nas Quartas os paraguaios confiam em seu forte sistema defensivo (apenas dois gols sofridos nessa copa) e na versatilidade de seus atacantes: Barrios, Santa Cruz, Cardozo. Como franco atirador total o Paraguai enfrenta talvez o grande favorito para essa Copa.

Que é a Espanha. Depois de uma derrota na estreia, que alarmou a todos, o time espanhol parou de brincar e veio mostrando um futebol bem melhor.

Nas Oitavas a vítima foi Portugal. Cristiano Ronaldo e cia. não foram capazes de parar Villa, que marcou o gol da vitória e se igualou a Higuaín na tábua de artilheiros.

Além de Villa, o meio de campo com Xavi, Iniesta e Xabi Alonso é a grande fortaleza dessa favoritassa Espanha.

Contra toda lógica, aposto na zebra: Paraguai 2 x 1 Espanha.

Bem, é isso, agora são dois dias sem Copa do Mundo e na sexta começam as Quartas, passa muito rápido e não dá pra perder nada.

Passada Rápida

Copa do Mundo é sempre muito corrida e o Un Quimera neste que é o seu mês mais ativo até então deixa só alguns comentários rápidos sobre os jogos de sábado, domingo e ontem, afinal, daqui a pouco o blogueiro estará saindo pra ver a tão esperada estreia da Seleção Brasileira na Copa, que será comentada aqui amanhã.

Futebol de verdade mesmo até agora quem apresentou foi a Alemanha.

Com uma convincente vitória sobre a fraca austrália por 4 x 0, os alemães mostraram que assim como de costume brigarão por mais um título mundial. No outro jogo desse grupo Gana venceu a Sérvia por 1 x 0, e por enquanto é a única seleção africana que vai bem na Copa.

No sábado a Argentina estreou também com vitória de 1 x 0 sobre outro africano, a Nigéria, os argentinos mostram sua característica marcante desde já: a raça. No outro jogo desse grupo uma sólida Coreia do Sul venceu bem a Grécia por 2 x 0.

Teve também o empate entre Inglaterra e EUA por 1 x 1, o primeiro e maior frango dessa Copa até agora comido pelo goleiro inglês Green. Outro frango veio em Argélia e Eslovênia, 1 x 0 para o time europeu.

A Itália não saiu do empate contra Paraguai, a Holanda contou com um pouco de sorte e venceu a Dinamarca e o Japão passou por Camarões pelo placar mínimo.

Até amanhã…

Argentina 1 – 3 Brasil

Sim, Maradona falou muito, a Argentina se inflamou para esse duelo contra o Brasil, revestindo o povo de Rosário de toda a rivalidade que esse confronto possui, o gigante de Arroyito parecia ser o palco ideal para os hermanos conseguirem se recuperar nas Eliminatórias.
Mas o Brasil chegou lá muito tranquilo, não caiu nas provocaçãoes verbais e dentro de campo soube controlar muito bem toda a pressão do time e da torcida argentina, e em dois lances de bola parada abriu 2 x 0 e foi para o vestiário com uma ótima vantagem.
Primeiro Elano cobrou falta da direita e o zagueiro Luisão subiu livre, totalmente livre e marcou de cabeça. Depois, em nova cobrança de falta de Elano a bola rebateu e sobrou com Kaká que girou e rolou para o chute de Maicon, o goleiro Andújar conseguiu defender mas deu rebote, o Fabuloso Luís Fabiano não perdoou e marcou seu oitavo gol nas Eliminatórias.
Na volta para o segundo tempo a Argentina foi pra cima tentando pelo menos diminuir, e conseguiu.
Em um chute meio despretensioso do meia Dátolo a bola entrou no ângulo de Júlio César, que ainda conseguiu relar a luva na bola, mas não dava pra pegar.
O que se esperava depois disso era uma enorme pressão argentina em busca do empate, mas aí quem tem de fazer a diferença fez a diferença.
Em jogada rápida pelo meio, o camisa 10 Kaká descolou um lançamento perfeito para Luís Fabiano, o artilheiro chegou na frente do zagueiro e com um toquinho muito lúcido tirou completamente de Andújar, Brasil 3 x 1, classificado matematicamente para a Copa de 2010 em solo argentino.

A capa do jornal argentino Olé (acima) é um belo retrato do jogo.
Kaká praticamente decidiu o jogo com esse lançamento para Luís Fabiano e durante todo o jogo sempre deu trabalho aos argentinos, estava jogando com muita raça e disposição, assim como todo time brasileiro, que em momento algum se intimidou com o que era pra ser um caldeirão da torcida argentina.
Outros destaques individuais da Seleção Brasileira foram Luís Fabiano, autor de dois gols e que a cada jogo passa confirma sua titularidade nessa seleção em uma posição que tem muitos selecionáveis; além do Fabuloso destaco também Júlio César que nem foi muito acionado, mas quando o time precisou dele ele estava lá, fazendo defesas importantes e confrimando o título de
melhor goleiro do mundo.
Além deles todo time jogou muito bem, o mais importante era não cair na já famosa catimba argentina e o time brasileiro definitivamente não caiu.
Já Maradona e seus comandados estavam apáticos.
A equipe argentina do meio pra frente possui muitos valores individuais interessantíssimos: o lúcido Mascherano, o experiente Verón, o esperto Tevez e por aí vai, além é claro de Lionel Messi, que fez uma temporada quase perfeita pelo Barcelona e deverá ser eleito o melhor jogador do mundo no fim do ano.
Mas isso não é o suficiente. Maradona está no comando da Seleção Argentina há quase um ano e ainda não conseguiu definir um time, com esquema tático, jogadas ensaiadas e tudo mais, o time do meio pra frente não se encontra em campo e quando o assunto é a defesa, aí chega a ser deprimente.
Com exceção do bom goleiro Andújar, a defesa argentina que jogou contra o Brasil ontem é pífia!
Por tudo isso a vitória argentina era algo que só aconteceria se o Brasil não soubesse suportar a
pressão, parece fácil falar isso depois do jogo, mas é a verdade.
Agora, como já disse o Brasil, com 30 pontos, está classificado para a Copa do Mundo de 2010 e a Argentina, com 22 pontos ainda terá que jogar muita bola nesses últimos três jogos para conseguir seu passaport para a África do Sul.
Mais uma vez em um jogo difícil e importante a seleção de Dunga não afinou, jogou muito bem e
conseguiu um ótimo resultado.
As críticas a Dunga cada vez mais vão diminuindo, quando o assunto é resultado essa seleção de
Dunga é quase perfeita, foram apenas 4 derrotas de 2006 pra cá e vem numa sequencia de 10 vitórias seguidas.
Por tudo isso, assim como a própria seleção, Dunga também está dentro dessa Copa da África e
diferentemente da seleção de Parreira que entrou muito bem na Copa de 2006, essa seleção atual não está naquela euforia toda, pode parecer estranho mas ainda existe uma certa desconfiança.
Mas o mais importante é que dessa vez não tem história quadrado mágico ou coisa parecida, o mestre do time é Kaká, pois ele é superior, mas todo time está em sintonia e existem várias posições em aberto ainda, o que fomenta uma dipsuta maior, diferentemente da seleção da
Copa de 2006 que estava praticamente fechada um ano antes da disputa na Alemanha.
Ou seja, essa seleção é mais forte do que a de 2006 e tem tudo pra fazer muito mais na Copa do que ser eliminada nas quartas-de-final.