Arquivo da categoria: Adriano

Le Rouge et Le Noir #03

Hoje é dia do terceiro post da série Le Rouge et Le Noir.

E assim como fiz em janeiro, falo hoje de um assunto de fora das quatro linhas, envolvendo um dos grandes jogadores da primeira década do século XXI.

Falo do caso Adriano. O Imperador, depois de um desastrosa passagem pela Roma, onde ficou pouco menos de um ano e não conseguiu marcar um gol sequer em jogos oficiais, anunciou durante o Carnaval sua rescisão com o clube italiano.

Durante a semana ele desembarcou no Rio de Janeiro e agora, segundo seu empresário, Gilmar Rinaldi, deve ficar 45 dias sem jogar e sem treinar, apenas recuperando sua forma física e aguardando propostas dos clubes.

Assim que foi dada como certa essa rescisão, já surgiram fortes boatos na Gávea sobre a volta do Imperador (já seria a segunda volta), porém após a polêmica partida contra o Bangu, na última quinta, Vanderlei Luxemburgo afirmou enfaticamente que o Flamengo não vai jogar suas fichas no Imperador novamente, diz Luxemburgo que: “conversei com a Patricia e o Adriano está fora da filosofia do Flamengo, do que estamos implantando.”

A declaração de Luxemburgo gerou muita repercussão e é sobre ela e essa situação toda envolvendo o Adriano que falarei hoje.

Antes de mais nada acho que é válido elogiar Vanderlei Luxemburgo, independente de ter sido uma decisão correta ou errada essa que ele tomou, foi uma decisão. Ele agiu dizendo o que pensava e o que decidiu juntamente com a presidente Patricia Amorim, se impondo, mostrando que é sim um grande técnico. Devido as temporadas ruins dele nos últimos anos, parece que muitos se esqueceram disso, um bom treinador, ainda mais pra treinar o Flamengo, não tem que ter apenas bons conhecimentos táticos e moral dentro do campo com os jogadores, mas também fora, sabendo controlar e administrar problemas políticos que possam influenciar posteriormente dentro do campo, e nesse ponto Luxemburgo mostra porque é um grande técnico.

Dito isso, passo a uma análise mais profunda da declaração em si. Assim como muitas coisas, essa situação apresenta alguns prós e contras. Luxemburgo está correto em dizer que Adriano está fora da filosofia do clube, realmente está e olhando por esse lado é certo não contratá-lo. Todos sabem dos inúmeros casos de indisciplina do Imperador, coisa que dificilmente mudará agora e esse grupo do Flamengo, principalmente quando se olha pra Ronaldinho Gaúcho, tem como uma das marcas principais a disciplina.

Mas aí vem os prós. Sempre defendi que Adriano, mesmo indisciplinado, com noitadas, bebedeiras e tudo mais, dentro de campo joga e joga muito. Pode decidir a qualquer momento e jogadores assim estão ficando cada vez mais raros no futebol. Adriano em ritmo de jogo está anos-luz a frente de muitos centro-avantes, sua passagem no Flamengo em 2009 é a prova mais concreta disso.

Além disso, é fato a inexistência de um homem com as características de Adriano dentro do atual elenco rubro-negro. Deivid e Wanderley seriam esses homens, mas como já dito acima, Adriano num bom ritmo de jogo é superior a ambos. A questão é: Deivid e Wanderley, mostrando seu melhor, podem ser peças importantes e também fazer a diferença, mas será que é isso que acontecerá e um real centroavante ganhará espaço no time titular? Ou o esquema que vem sendo utilizado, com R10 como centro-avante e Bottinelli e Thiago Neves chegando sempre, será mantido? Com esse esquema funcionando bem, Adriano seria uma contratação não tão boa assim.

Outro ponto que acho que merece ser discutido é a questão financeira. Na volta de Adriano em 2009 foi feito todo um plano em conjunto com a Olympikus e outros patrocinadores para bancar o Imperador, agora o grande plano é R10, a Olympikus até já declarou que não poderia bancar também Adriano, então vale a pena pensar também se é mesmo tão necessário assim ter outro super-astro e começar a se complicar na parte financeira.

Enfim, são muitos pontos que podem ser abordados e defendidos, analisando tudo acredito que a volta de Adriano nesse momento não seria uma boa. Aceito a opinião que acredito ser da maioria, que é favorável a volta dele, mas penso que com Adriano nesse elenco os fatores extra-campo poderiam começar a pesar demais e dentro de campo também as coisas poderiam não funcionar tão bem, o time de 2009 é bem diferente desse de 2011 e o encaixe do Imperador pode não ser tão bom.

O mais importante é questionar esse assunto, que acredito ser de primordial importância pro Flamengo. Estou aberto a outras opiniões contrárias ou favoráveis a minha.

Os "acontecimentos" de abril/2009

Um terço do ano já se foi, 30 de abril, dia de post “acontecimentos” no Un Quimera.
Pra voltar ao costume dos dois primeiros meses, um político e outro esportivo:
Obama: Lula é o cara!

Essa frase gerou muita repercussão no mundo todo, e foi dita no dia 2 desse mês, num intervalo de uma das reuniões do G-20 (grupo dos 20 países mais ricos do mundo).
Antes de falar da frase especificamente, é bom falar o que foram essas reuniões do G-20 no início do mês, aifnal, sem elas, dificilmente a frase teria sido dita por Obama.
O motivo principal dessas reuniões é a crise mundial que assola a todos desde o segundo semestre de 2008. Foi o primeiro grande teste de Barack Obama como presidente estadunidense, desde sua posse foi a primeira reunião do G-20 que ele participou.
Basicamente as resoluções do G-20 decidiram que deverá ser feita uma vigilância econômica pelos países membros, pela Espanha e pela Comissão Européia, para que crises como a atual não voltem a acontecer. Além disso os 20 países mais poderosos decidiram também inejtar R$ 1 trilhão no FMI (Fundo Monetário Internacional), o dinheiro será usado para aumentar o caixa da instituição.
Como dá pra perceber as reuniões trataram de assuntos muito sérios e importantes para todo mundo, só que o grande acontecimento se deu em um momento de descontração quando Obama, em tom de ironia, brincando com o seu amigo Lula disse que ele é o cara.
Embora Lula atualmente não seja nem sombra daquele Lula de barba preta oposicionista e totalmente “canhoto” é legal ver essa ótima relação dele com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, não que isso vá garantir muita coisa ao Brasil, mas pelo menos algumas risadas ao escutar uma frase dessas por exemplo) isso renderá.
A queda do Império
Esse subtítulo pode até indicar algo relacionado a imperadores ou impérios antigos, mas na verdade trata de um imperador que abdicou de seu “poder”, e esse imperador é Adriano Leite Ribeiro.
O Adriano, ex-Flamengo e São Paulo, que usava a camisa 10 da Inter de Milão e que também já passou pela Seleção Brasileira, sendo peça fundamental nas conquistas da Copa América de 2004 e da Copa das Confederações de 2005.
Adriano anunciou no dia 9 desse mês que resolveu “dar um tempo” no futebol, descansar um pouco, voltar as suas origens, na favela de Vila Cruzeiro no Rio de Janeiro e anunciou também que, diferente do que muitos estão dizendo por aí, ele não está com depressão e muito menos envolvido com drogas.
Este é um assunto muito delicado, que ganhou muitos comentários na imprensa em geral. Eu particularmente quando vou me informar ou escrever sobre jogadores de futebol procuro não ficar buscando coisas relacionadas a vida particular deles, me atenho ao futebol que eles jogam, neste caso do Adriano porém, é necessário abrir uma exceção, pois os motivos que o levaram a dar um tempo são extra-campo até porque dentro do campo, embora ele não estivesse jogando atualmente nada em comparação ao Imperador de 2004/05, ele ainda estava em bom nível, sendo convocado para a seleção inclusive.
Muitos estão julgando essa atitude de Adriano, acredito que isso não é interessante, pra mim, o que deve ser analisado em relação a esse acontecimento é que a vida de jogador de futebol também deve cansr, o que parece ser muito bom as vezes pode frustrar e cansar algumas pessoas, como foi o caso de Adriano, não deve ser fácil manter a cabeça no lugar, quando, com 20 e poucos anos se pode ter tudo o que quiser: fama, carro, dinheiro e mulher.
Por essas e outras é que Adriano acabou resolvendo dar um tempo, certa ou errada a atitude do ex-imperador é de homem, de quem soube valorizar as coisas realmente importantes pra ele, e foi sincero e honesto com ele próprio.
Torço pra que ele possa recuperar a alegria de jogar e voltar a jogar em breve, se for no Mengão, como estão especulando, melhor ainda.