Le Rouge et Le Noir #17

Dia de post da série Le Rouge et Le Noir. E hoje o post, publicado lá no Confio do Mengão, como de costume, vem pra dizer o óbvio: o Flamengo está sim em crise, a “coisa tá preta” como diz o provérbio popular e se mostra cada vez mais complicada.

Aí vai:

Crise

No futebol, e ainda mais em clubes da magnitude do Flamengo, qualquer empatezinho, qualquer disse me disse que escapa já vira motivo pra imprensa falar em crise e fazer uma verdadeira tempestade em copo d’água.

Dessa vez, contudo, penso que crise é a palavra que melhor define o momento do Flamengo. É complicado dizer e admitir isso, mas na atual temporada o Flamengo ainda não fez um jogo sequer em que nós torcedores pudéssemos sentir orgulho do time e projetar algo maior no horizonte.

Se pegarmos todos os jogos até o momento os mais marcantes, possivelmente, serão as duas eliminações para o Vasco nas semi-finais da Taça Guanabara e da Taça Rio e dois empates em 3 x 3. O primeiro contra o Olimpia, que foi o grande impulsionador da eliminação precoce na Libertadores e agora esse do último sábado contra o Inter, no mesmo Engenhão, tendo uma mesma boa vantagem e deixando ela escorrer pelos dedos até o fim do jogo. Não bastassem as atuações ruins e sem brilho dentro de campo, fora dele o ambiente de desorganização permanece.

O último episódio mais marcante foi a “compra” de Assis, irmão de R10, numa loja do Flamengo. O irmão do camisa 10 levou várias camisas do Flamengo e na hora de pagar disse que não pagaria, afinal, o Flamengo não paga os salários do seu irmão. Esse episódio, além de totalmente ridículo, lembra um pouca uma época longínqua, onde o Flamengo contratou vários medalhões e nada funcionou.

Entre os medalhões estava o famoso volante Vampeta, que na época, perguntado sobre a situação do time respondeu categoricamente: Eles finjem que me pagam e eu finjo que eu jogo. Episódios como esse do Vampeta não deveriam jamais ter acontecido, mas depois de ter acontecido o mínimo que a diretoria e todo o departamento financeiro do Flamengo deveriam fazer era tomá-lo coamo um exemplo pra que coisas do tipo jamais voltassem a acontecer. Mas como já disse, esse episódio do Assis é bem parecido.

E aí fica esse sentimento de que independente dos títulos e das conquistas dentro de campo, da paixão da torcida e tudo mais, fica o sentimento de que o Flamengo enquanto instituição nunca vai conseguir se organizar de fato e ser um clube grande também financeiramente, e deixar de ser um dos líderes da lista dos times que mais têm dívidas e etc…

Se fora de campo as coisas não se resolverem, infelizmente dentro dele também vai ser muito difícil algo bom acontecer. A bola da vez é Joel Santana. Nessa que, de longe, parece ser a pior passagem dele pela Gávea, Joel coleciona declarações contra os próprios jogadores e a saída dele comando técnico já se torna uma questão de tempo. Mas e aí? Sai Joel entra um outro qualquer e os jogadores continuam sem tesão? Sai Joel e entra um outro qualquer e a diretoria continua desorganizada e arcaica? Crise. Essa é a palavra. E a cada momento que passa essa crise parece ser mais insolúvel, maior.

Sair dela vai ser difícil. O que me resta é, independente de qualquer coisa, torcer e muito pras vitórias desse time dentro de campo e do lado fora escrever aqui e ver alguém consegue enxergar o óbvio: é preciso organização e profissionalismo pras coisas irem pra frente no futebol, enquanto isso não existir na Gávea estaremos fadados a crises e mais crises…

SRN

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: