Arquivo diário: 6 de agosto de 2011

Poético Existencial

Enquanto aquela canção

não parar de ecoar

não será meu o poema.

Será esse o meu dilema?

Destilando toda poesia

nesta sala vazia

Lembro da história perdida

da conversa esquecida

da fala sofrida.

Enfim, de toda Ana e toda Maria

de todo Zé e todo João

do outro.

Da presença viva

que altera minha vida.

Dessa existência cruel

efêmera e inconstante

que sobrevoa o mundo

carne, osso e dinheiro

que penetra o diálogo

tese, síntese e antítese

que transa o poético

sutileza, amor e veracidade.

Rogério Arantes