Le Rouge et Le Noir #08

Começo o mês de agosto (mês esse que promete muitos posts no Un Quimera) falando do Flamengo. Com mais um post da série Le Rouge et Le Noir.

Escrever sobre o Flamengo as vezes é sinônimo de cobrança, de tentar ver o que está errado e quem sabe ajudar. Isso é muito interessante. Mas escrever quando está tudo “numa relax, numa tranquila, numa boa” também é muito bom. Esse grande momento que vive o Flamengo, alavancado principalmente pelo duelo contra o Santos na última quarta-feira, foi o assunto que tratei no meu post lá no Confio no Mengão. Reproduzo aqui o texto “Construindo a História”:

Construindo a História

O futebol é algo que se encerra no terreno da temporalidade.

Na semana passada escrevi aqui o post que falava da questão do Flamengo ser o último invicto do Brasileirão, mas que ao mesmo tempo vacilava dentro de casa em jogos teoricamente mais fáceis, como no duelo contra o Ceará.

Hoje, uma semana depois, a história é outra. A confiança depositada no time, mesmo depois do empate contra o Ceará dentro de casa, foi válida, em dois jogos depois disso (Santos e Grêmio), duas belas vitórias, históricas.

Muito se falou nesse ponto também. Adjetivando essas duas vitórias como históricas, pelo fato do grande número de gols e do belo futebol apresentado nos dois lados, no duelo da Vila Belmiro, e pelo reencontro de R10 com seu primeiro time, no duelo do Engenhão, têm-se a sensação de algo grandioso dentro da história do futebol e do Flamengo, e realmente é essa a ideia.

Foi pensando nesse aspecto histórico que tive a ideia do que escrever no post de hoje. Como o Diogo bem falou, há muito tempo não se via um Flamengo tão inspirado, tão determinado e com uma sequência tão boa. Começamos hoje o mês de agosto e do início do ano até hoje o Flamengo só perdeu uma partida.

As expectativas criadas em cima desse time não foram pequenas, as vindas de Ronaldinho Gaúcho e Thiago Neves animaram muito a torcida e desde o começo, como é de praxe quando de trata do clube com a maior torcida do mundo, a cobrança foi enorme.

E a equipe foi sendo montada aos poucos, evoluindo, e já tem uma autonomia, já é com certeza uma das melhores equipes do Brasil. O duelo contra o Santos foi crucial pra poder afirmar isso sem medo. Aquele jogo não será esquecido tão cedo e é uma mostra de que o Flamengo tem padrão de jogo, tem elenco, tem raça e respeita os adversários, entrar de salto alto é coisa do passado.

E a cada vitória e cada empate, e até mesmo na única derrota do ano, os pequenos erros e acertos foram sendo avaliados e aos poucos a equipe foi crescendo cada vez mais, até chegar no que parece ser o auge desse time.

Mas é aí que mais uma vez foco no aspecto histórico. Todo esse bom momento pode passar batido caso a equipe faça com que esse bom momento se torne o seu melhor momento. Ainda há muito a evoluir, sem falsa modéstia, todos sabem que o que se quer é a conquista do hepta nesse ano e muito mais nos anos seguintes.

E para conseguir tudo isso o time precisa continuar focado, mostrando esse bom futebol, agressivo, ofensivo e competitivo e com a tranquilidade de saber que no caminho para os títulos derrotas fatalmente virão, mas terão que ser contornadas por mais e mais vitórias.

Encerro o post com a alegria de ver o Flamengo jogando um bom futebol, vencendo e convencendo, e com a calma e a sensatez de saber que ainda tem muita bola pra ser jogada.

#ConfionoMengãoINVICTO , #RumoaoHepta

SRN

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: