Os Web Hits

A cada dia que passa os chamados “web hits” vão se consolidando como uma das maneiras de comunicação cultural, possibilidade de sucesso (mesmo que efêmero) e característica marcante da sociedade contemporânea, da geração apartamento, da geração internet.

Forçando um pouco a memória, vou lembrar de Jeremias José, o bêbado entrevistado pelo programa Sem Meias Palavras, preso e alcoolizado, Jeremias deu uma entrevista que gerou muitos risos meus e de muitas outras pessoas também. Esse vídeo talvez tenha sido um dos pioneiros dessa onda de web hits que veio surgindo no Brasil e no Mundo.

São inúmeros exemplos de outros web hits que foram surgindo de 2006 pra cá, nessa linha “bêbada” podemos colocar o bêbado da nave espacial, Caninha e suas “freegelis” de melão, o inesquecível truco valendo o toba e por aí vai…

Mas não é só de bêbados que se compõem os web hits, geralmente engraçados (depende do conceito de engraçado de cada um), também existem os musicais, que serão o foco principal deste post, falando só de hits mais recentes, podemos citar Rebbeca Black, a Larica dos Mulekes, a avassaladora hecatombe do SOU FODA e muitos outros.

O web hit do momento que, aliás, me motivou a escrever este post é A Banda Mais Bonita da Cidade, uma mistura de hippies com Beirut, que particularmente me agrada muito, mas que assim como todos os web hits recebe críticas tanto positivas quanto negativas, mas vou deixar pra falar mais dessa banda depois.

O que quero dizer agora é de como esses web hits, num sentido bem amplo, são o reflexo da cultura, das vivências e das “cotidianidades” da sociedade contemporânea, essa constatação, boa ou má, trata de algo que merece ser discutido e problematizado e engloba a esfera de como se dá o sucesso nos dias de hoje e de como a cultura dos dias de hoje se apresenta a nós. Seja em relação aos meios (no caso a internet), seja em relação aos conteúdos.

Acredito que em relação a internet é uma confirmação de como este meio na última década definitivamente se consolidou como um meio de comunicação de massa, atingiu grande parte da população, é algo totalmente popular hoje em dia. Isso de certa forma reflete o conteúdo dos vídeos postados, praticamente todos os chamados web hits (não patrocinados) são de pessoas anônimas, que em outros tempos jamais teriam nenhum tipo de sucesso midiático.

Falando agora do conteúdo, o que o senso comum prega é que, em geral, o conteúdo é de qualidade extremamente questionável, afirmação com a qual concordo, porém dizer que o conteúdo não é dos melhores não altera muito isso, justamente por essa questão dos vídeos serem feitos e postados por pessoas “de carne e osso” e não por nenhum pop star é que a qualidade do conteúdo dos vídeos acaba sendo também reflexo do dia-a-dia dessas pessoas.

Quando digo isso quero sim afirmar que a qualidade desses web hits é reflexo da qualidade de pensamentos e ideias nossas – do blogueiro, do estudante, do trabalhador, do cidadão geração internet como um todo – não quero dizer que todos temos que elevar nossa qualidade cultural e transformar a internet num meio de difusão cultural de altíssimo nível. Não é por aí. Web hits de qualidade questionável sempre existirão, como já disse, web hits são quase sempre engraçados e rir deles é uma atividade que eu pratico. Mas ficar SÓ nessa mediocridade não dá!

Por tudo isso é que falei que foi A Banda Mais Bonita da Cidade que me motivou a escrever esse post, atando as pontas e falando agora mais especificamente dessa banda, vejo nela uma possibilidade de um web hit se transformar em algo mais sólido culturalmente e realmente influenciar com uma maior qualidade o pensamento de espectadores de web hits (ou seja, quase todo mundo).

O som de Oração (do vídeo que já conta com mais de 2 milhões de visulizações) é singelo e cristalino, a fotografia e estruturação do clip como um todo são elogiáveis, e os outros vídeos da banda seguem a mesma linha. A possibilidade de elevação desse web hit a algo maior é uma possibilidade que se abre a qualquer web hit, basta que o web hit em si ofereça qualidade para essa possibilidade se concretizar.

As minhas otimistas expectativas em relação A Banda Mais Bonita da Cidade podem ser desfeitas com o tempo, as minhas atribuições de qualidade podem ser errôneas ou equivocadas, mas o mais importante desse post é ressaltar o papel cada vez mais forte dos web hits dentro da cultura contemporânea e tentar questionar sobre como esses web hits podem ser algo além, ou ao menos diferente, do que um sinônimo de mediocridade, zombaria e/ou retrocesso.

Um pensamento sobre “Os Web Hits

  1. Ivan disse:

    Concordo com a crítica ao reducionismo frente aos web hits.
    E gostei da Banda mais bonita da cidade. Ótima a ideia do clip.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: