Le Rouge et Le Noir #05

O post de hoje, quinto da série Le Rouge et Le Noir, não poderia falar de outra coisa que não o 32º título carioca da história do Flamengo (o quinto de maneira invicta).

Depois de vencer a Taça Guanabara, o Flamengo venceu também a Taça Rio e, unificando os dois títulos, sagrou-se campeão carioca com antecedência.

A final ontem foi contra o Vasco e botou em jogos dois tabus que já são muito grandes: a síndrome de vice do Vasco para o Flamengo e a invencibilidade rubro-negra em decisões por pênaltis, nenhum dos tabus foi quebrado e o Flamengo ficou com a taça.

Nos 90 minutos nada de muito interessante, foi um jogo sem um nível técnico muito bom. Pelo lado do Vasco muita defesa e marcação em uma ou outra chegada perigosa, Felipe assustou num chute de fora da área e o zagueiro Dedé, de cabeça, por pouco também não fez o gol.

Pelo lado do Flamengo a volta de Ronaldinho, uma falta cobrada pelo camisa 10 no começo do segundo tempo foi talvez o grande lance do Flamengo no jogo, Fernando Prass fez grande defesa. Outro bom momento também foi a triangulação entre Ronaldinho, Thiago Neves, Deivid e Bottinelli, ainda no primeiro tempo, a bola foi de pé em pé e sobrou com o argentino que finalizou bem e obrigou Fernando Prass a fazer outra boa defesa.

Fora isso muita correria e marcação forte dos dois lados, um jogo bem truncado, no fim Allan e Willians se desentenderam e ainda foram expulsos.

O 0 x 0 no placar levou a decisão do título para os pênaltis. Sem querer deixar o lado torcedor falar mais alto, mas acredito que a resposta para a indagação do goleiro Felipe (não sei se foi respeito ou medo) é medo.

Em qualquer decisão por pênaltis é lógico que os treinamentos e a condição física são de extrema importância, porém o fator psicológico também é tão ou até mais importante nesses momentos.

Os jogadores rubro-negros foram para as cobranças determinados, sem medo e sem muito a perder, afinal, se por acaso perdessem o título da Taça Rio ainda teriam mais dois jogos para buscar o título carioca.

Já os cruzmaltinos não. Foram pra bola com uma pressão enorme em cima deles, precisando vencer pra forçar a decisão, com a síndrome de vice ecoando da arquibancada e com um goleiro chamado Felipe como seu adversário. Dava pra perceber na fisionomia dos caras que eles não estavam seguros com tudo isso pesando, e na tentativa de tirar a bola do goleiro Felipe ou chutaram no canto demais (Felipe Bastos e Elton) ou chutaram alto demais (Bernardo).

Isso tudo não deixa de ser mérito do Flamengo, que conquistou essa “fama” toda em disputas de pênaltis anteriores, quem tenta desmerecer esse título é um utópico, por mais que o time ainda esteja se formando e realmente não tenha apresentado um futebol encantador até agora a superioridade do Flamengo dentro do Rio de Janeiro é incontestável. Nos últimos 5 anos foram 4 títulos e um vice-campeonato.

Porém não se pode pensar também que essa superioridade toda valha muita coisa. O Flamengo é grande demais pra se contentar com títulos cariocas e é por isso que agora é hora de focar de vez na Copa do Brasil em busca de mais um título e da vaga na Taça Libertadores 2012.

Apesar de alguns jogos entediantes e de alguns empates duvidosos o Flamengo é campeão carioca invicto e continua invicto na temporada 2011 como um todo, não tem do que reclamar, nas decisões até agora mostrou que tem time e venceu. O primeiro momento da temporada 2011 se encerra. Vem agora a reta final da Copa do Brasil e o Brasileirão. Vai pra cima deles Mengo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: