Le Rouge et Le Noir #02

Guardei o post da série Le Rouge et Le Noir desse mês pro último dia do mês, em virtude da final da Taça Guanabara disputada ontem.

É natural que o tom seja de euforia após a conquista de mais um título do Flamengo, a 19º Taça Guanabara de sua história (assim como acontece no Campeonato Carioca, o Flamengo é também o maior vencedor da Taça Guanabara).

Mas vou tentar ser contido e analisar a campanha rubro-negra na Taça Guanabara como um todo, falando em especial da final de ontem contra o Boavista.

Antes de mais nada o que chama a atenção é a campanha invicta do Flamengo. Se no começo da competição os resultados vinham meio arrastados, como no jogo contra o Americano e na estreia de Ronaldinho Gaúcho contra o Nova Iguaçu (em ambos o raçudo Wanderley foi quem decidiu), mais pro fim da competição os resultados continuaram muito magrinhos, não teve nenhuma goleada, porém ficou nítido também a evolução do time, já apresentando um futebol mais consistente na semi-final contra o Botafogo e na final de ontem contra o Boavista.

É interessante ressaltar que o time ainda está em formação, são pouquíssimos os remanescentes da equipe titular do ano passado, equipe que merece ser esquecida.

Por causa disso e também pela pressão que sempre existe num clube do tamanho do Flamengo, considero natural e até saudável esse começo de temporada não tão estrondoso.

Importante era ganhar o título. E isso o Flamengo ganhou de forma invicta.

Não quero dizer que está tudo perfeito, mas até agora esse time vem se mostrando como um típico rebatedor de críticas.

Quando Ronaldinho chegou, depois daquela longa e fastidiosa novela, os torcedores rivais torciam o nariz e destilavam críticas vagas como a de que Ronaldinho cairia na farra assim como fez Adriano em 2010, ou então que Ronaldinho, por ter um salário muito superior, também teria regalias dentro do clube e despertaria inveja nos outros jogadores, causando rachas ou coisas parecidas.

Ledo engano. Acontece que Ronaldinho nem sequer deu ouvidos para isso, acontece que Ronaldinho está focado e é só mais um jogador, aliás, não é só mais um jogador, minto, é um líder desse time. Já tem braçadeira de capitão, já puxa o bonde sem freio e já exibe o característico sorriso.

Ainda falta muito na parte técnica, falta. Mas a determinação de Gáucho é notável e da estreia até o jogo de ontem ele já evoluiu muito, o gol do título de ontem, numa falta que lembrou outros camisas 10 da Gávea, como Zico e Pet, foi a coroação desse primeiro ato do principal jogador do elenco rubro-negro.

Além desse ponto, outra crítica comum que surgiu no começo da temporada tanto de torcedores rivais quanto da imprensa foi a questão do elenco rubro-negro, principalmente a defesa.

Talvez ainda falte mesmo um lateral-esquerdo e mais um zagueiro. Mas como disse, esse time é um rebatedor de críticas.

Além de ter sido campeão de forma invicta foi também a defesa menos vazada da Taça GB. A tão criticada dupla de zaga Wellinton e David Braz foi praticamente perfeita na final e no decorrer da competição também teve pouquíssimos erros, estão jogando com seriedade, sem medo de dar chutão.

Na lateral-esquerda, Egídio seria o titular, mas durante a competição ocorreram as improvisações de Renato Abreu e Ronaldo Angelim pra falar a verdade, vejo isso como um ponto positivo e aí que falo ainda mais sobre o elenco.

Apesar da carência na lateral-esquerda, Vanderlei Luxemburgo ainda está encaixando o time e por isso testa, improvisa e tenta coisas novas sempre, até chegar a formação ideal. Só pode fazer isso quem tem elenco bom, do meio pra frente o Flamengo é hoje muito forte.

Opções de banco como Fernando, Fierro, Bottinelli, Negueba, Diego Maurício, Marquinhos, Vander, Wanderley, não é qualquer time que tem tantas e com essa qualidade, nenhum desses é um grande craque, mas são ótimas peças para compor elenco e com potencial até para se tornar um titular absoluto.

Falando ainda de jogadores individualmente, Felipe vem sendo muito seguro até agora, as defesas na disputa por pênaltis, na semi-final contra o Botafogo foram seu ponto alto, mas em todos os jogos não teve praticamente nenhuma falha e quando foi acionado esteve muito bem.

Pra fechar, não dá pra esquecer de elogiar Vanderlei Luxemburgo, muito, mas muito criticado pela temporada ruim no Atlético-MG ano passado, ele, assim como o Flamengo, se reconstruiu esse ano, e não ligando pra críticas nem nada, vem trabalhando com seriedade, lembrando o Vanderlei multicampeão de outros tempos.

Enfim, esse foi um balanço geral da Taça Guanabara 2011, é só o começo de temporada e muita coisa ainda vai rolar, mas só de ter garantido a vaga na final do Carioca e a vaga na segunda fase da Copa do Brasil já valeu muito a pena. Esse time ainda tem muito que evoluir, mas o começo está sendo dos melhores.

Em março tem mais Le Rouge et Le Noir.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: