Arquivo mensal: dezembro 2010

Os “acontecimentos” de dezembro/2010

Hoje é 31 de dezembro, teoricamente dia de “acontecimentos” no Un Quimera. Só que não, hoje não teremos “acontecimentos”, vão ficar só no título do post mesmo.

O post de hoje é uma despedida dessa série, que foi uma das primeiras pensadas pro Un Quimera, mas que acho que já tava na hora de acabar, apesar de ser talvez o maior atalho para visitas do blog. Nem pensei em nada pros “acontecimentos” desse mês.

Enfim, ano que vem pensei em algumas coisas novas, outras nem tão novas assim e o blog vai dar uma mudada.

Será o terceiro ano de Un Quimera e a cada ano que passa a vontade de continuar escrevendo e postando é ainda maior, comecei em ano de vestibular, depois teve primeiro ano na faculdade e agora num segundo ano de faculdade já um pouco mais maduro espero que o blog possa amadurecer também e trazer coisas que realmente valham a pena ser lidas, ouvidas e vistas.

É isso, um feliz 2011 pra todo mundo e amanhã o Un Quimera 3.0 dá as caras!

Ode à Vida

A cada minuto que passa

a vida vai ficando pra trás

como gotas que caem

de uma esquecida torneira

uma a uma elas atingem a superfície

e dali não passam.

Cada gota tem seu caminho.

Cada vida tem sua história.

Vida, vida, vida!

O que se faz dela? O que se vive?

Tomar a atitude e seguir em frente

encarar os problemas, admitir os erros

não ficar paralisado

frente a tudo que não presta

o que não presta

é o que não te leva além

o que te deixa no comum

no falso, no “sem sal”.

O tempo é pontual

e exigente demais

não vale a pena perdê-lo

escolher o que te levará além

o que subverterá.

A conversa que começa cedo

e não tem hora pra terminar

o livro emprestado

lido com atenção e vontade

o peixe pescado e frito

com limão, molho e alegria

a dose de cachaça

que desce quente e fatal

o beijo bom da boca da menina

que resolve vários problemas

o futebol com a galera

de 5 minutos ou 2 gols

A galera, o pessoal, a rapaziada.

Viva a rapaziada!

Aquelas pessoas que estão sempre ali

que te engrandecem

ajudam e te divertem.

Quando a noite chega

e você para pra pensar

é mais um dia que se foi

e não voltará jamais.

É o tempo que vai dando

vida à vida

ela pode ser plena ou vazia

“it’s up to you”

enquanto isso

mais uma gota cai da torneira.

O resto é silêncio

Rogério Arantes

QuimeraTube #24

Último QuimeraTube do ano, em 2011 tem mais:

Mundo à milanesa

Ontem foi disputada a final do Mundial de Clubes da FIFA, versão 2010.

Acredito que todos, principalmente os brasileiros queriam ter assistido ao tão esperado duelo de “Inters”, entre o de Milão e o de Porto Alegre.

Porém não foi bem assim. O Inter de Porto Alegre, como todos sabem, acabou ficando pelo caminho, sendo eliminado nas semi-finais pela grande zebra africana, o Mazembe.

Mazembe que soube se comportar muito bem nas semi-finais, o favoritismo do Inter era enorme, e logo no começo do jogo a equipe gaúcha perdeu boas chances, mas os africanos se seguravam e esperavam brechas na defesa vermelha, que apareceram.

2 x o pra Kidiaba (um dos grandes nomes desse Mundial) e cia. O Inter teve que se contentar com a disputa do terceiro lugar contra o Seongnan Ilhwa.

Na disputa do terceiro lugar o Colorado se impôs e com dois gols de Alecsandro, um de Tinga e um D’Alessandro venceu o Seongnan por 4 x 2, os outros dois gols do jogo foram anotados por Molina, ex-Santos.

Na grande final um jogo atípico para uma final de Mundial de Clubes.

Vale lembrar que essa foi a última final em Abu Dhabi, ano que vem o Mundial volta para sua ” casa”, no Japão.

Atípico pois foi o confronto entre um gigante europeu que chegou  com uma certa desconfiança para o Mundial e uma enorme zebra africana, o Mazembe possivelmente nunca teve seu nome escutado em outro continente que não o africano e agora é um dos times mais falados em todo mundo, querendo ou não, mesmo com o vice, esse Mundial foi uma grande vitrine para os congoleses.

Logo com 17 minutos a equipe de Rafa Benítez (que estava pressionado e em caso de derrota possivelmente seria demitido) já abriu 2 x 0. Com gols de Pandev, após rápida jogada e de Samuel Eto’o. O camisa 9 que foi comemorar com o banco e com as sacolas acabou sendo eleito o melhor jogador do Mundial, de maneira merecida! Esteve muito bem na final, ajudando inclusive a defesa em alguns momentos e na frente sempre insinuante e raçudo.

Depois desse forte golpe inicial o Mazembe não conseguiu nenhuma real reação, até tentou chegar, buscar o gol, mas a disparidade técnica era notável, a zebra teria que se contentar mesmo com o vice.

No segundo tempo o jogo continuou parecido, com a Inter sem muito volume ofensivo, mas tendo algumas ótimas chances, e o Mazembe tentando buscar o ataque, mas sem muita eficiência.

No fim, o jovem reserva Biabiany ainda recebeu na frente, tirou de Kidiaba e fez o terceiro gol pra fechar a conta. A Inter termina a competição com dois 3 x 0 e com o seu terceiro título mundial.

Mérito da equipe dos brasileiros Julio Cesar, Maicon, Lucio, Thiago Motta e Phillipe Coutinho. Que mesmo sem ter sido brilhante e mesmo tendo chegado à Abu Dhabi com muita desconfiança por parte da torcida e da imprensa conseguiu se impor e vencer bem.

Vale deixar registrado também uma menção honrosa à equipe africana, jogou com muita raça e até onde deu foi, como já falei Kidiaba com certeza foi um dos grandes personagens desse Mundial, além do cabelo exótico (característica de boa parte do time) sua dancinha de comemoração de gols é característica e muito engraçada.

Ao Inter de Porto Alegre resta as lamentações de um time que entrou na competição como favorito para muitos e acabou ficando com um triste 3º lugar. Ao Inter de Milão a sensação de que mesmo desacreditado, o time tem capacidade para ir longe e os títulos da Liga dos Campeões e do Mundial coroam a ótima temporada milanesa.

QuimeraShare #12

Hoje é dia do último QuimeraShare.

Já pensando em coisas novas pro Un Quimera 3.0, resolvi fechar hoje o QuimeraShare.

Fui colocando os primeiros e meio que naturalmente o QuimeraShare acabou sendo exclusivamente de música brasileira, aí então resolvi fazer algo especial pra esse último.

Sempre ouço dizer que a música brasileira de qualidade não existe mais, que hoje em dia é só som ruim e coisa e tal…

Gostos a parte, acredito e penso que hoje em dia ainda existe muita coisa boa dentro do cenário nacional e justamente por isso resolvi fazer uma coletânea, de variados ritmos musicais, mas só de música brasileira presente em álbuns de bandas, cantores e cantoras que surgiram pós 2000, ou perto disso, não dá pra fazer uma classificação exata disso também.

É uma compilação de 14 músicas e mais uma bonus track que não deram trabalho quase que nenhum, pois são todas muito maneiras, músicas que eu gosto, já estava familiarizado com todas…

Vou mandar a playlist e um pequeno comentário de cada uma das canções:

1. Balanço das Horas – Max de Castro

Vai dar pra perceber que começo o álbum com alguns filhos importantes. Max de Castro, filho de Wilson Simonal, manda aquela música suingada e característica, Balanço das Horas está presente no álbum homônimo de 2006.

2. Tô Fazendo a Minha Parte – Diogo Nogueira

Filho de João Nogueira, Diogo é um dos grandes nomes do samba contemporâneo, dono do Samba na Gamboa, ótimo programa de samba. Tô Fazendo a Minha Parte está presente no álbum homônimo de 2009.

3. Muito Pouco – Maria Rita

Filha de Elis Regina, Maria Rita é sensacional. Com 3 álbuns de estúdio lançados, cada um com suas particularidades, Maria Rita canta canções de vários compositores com maestria. Muito Pouco, de Paulinho Moska, está presente no álbum Segundo de 2005.

4. Tudo Diferente – Maria Gadú

Maria Gadú surgiu meio repentinamente e hoje já é uma das grandes cantoras do país. Estilo único. Tudo Diferente está presente no álbum Maria Gadú, de 2009.

5. Baú – Vanessa da Mata

Já são vários os hits de Vanessa da Mata, desde o início da década vem fazendo bons álbuns. Essa versão de Baú é do Multishow – Ao Vivo, de 2009.

6. Misterio Stereo – Curumin

No QuimeraShare de julho já marcou presença com o Japan Pop Show, e é justamente desse álbum que vem Misterio Stereo, uma canção cristalina, não podia faltar Curumin nessa lista.

7. Tijolo a tijolo, dinheiro a dinheiro – Lucas Santtana

Som muito bacana o do Lucas Santtana, com parcerias com caras como Arto Lindsay, o cantor e compositor une vários ritmos e faz uma música bem brasileira. Tijolo a tijolo, dinheiro a dinheiro cita Nação Zumbi e está presente no álbum 3 Sessions In a Greenhouse.

8. Dry Freezing Tongue – Mallu Magalhães

Em 1992, mesmo ano de nascimento do blogueiro que vos fala, nascia Mallu Magalhães. A cantora, com uma voz muito linda, surgiu via internet e mostra muita música boa, são dois álbuns lançados até agora, Dry Freezing Tongue é uma canção pouco conhecida dela, presente no seu primeiro álbum, Mallu Magalhães, de 2008.

9. Malemolência – Céu

Sucesso absoluto nos EUA, Céu possui dois ótimos álbuns, música brasileira de muita qualidade e como disse, reconhecida lá fora. Malemolência está presente no álbum Céu, de 2005.

10. Na Veia – Cordel do Fogo Encantado

Já falei do Cordel do Fogo Encantado aqui no Un Quimera, misturando literatura, teatro e música o grupo nordestino exalta a cultura brasileira como um todo. Essa versão de Na Veia, está presente no álbum MTV Apresenta, de 2005

11. Debaixo do Chapéu – Cachorro Grande

Entrando no campo do rock, falo da banda gaúcha Cachorro Grande. Formada até antes de 2000, teve todos os seus discos lançados pós 2000. Debaixo do Chapéu não é muito conhecida, mas muito vibrante, presente no álbum Cachorro Grande, de 2001.

12. Hemisfério – Vanguart

A banda matogrossense, liderada por Helio Flanders, faz um ótimo folk-rock, estilo pouco apreciado no Brasil. Essa versão de Hemisfério está no álbum Multishow – Registro de 2009.

13. Bem-me-leve – Apanhador Só

Banda gaúcha, liderada por Alexandre Kumpinski, me lembra, particularmente os Los Hermanos, um rock muito bom de se ouvir, Bem-me-leve é uma das melhores canções do álbum Apanhador Só, lançado esse ano.

14. Fracasso – Pitty

Dona de vários hits, a cantora baiana talvez seja o grande nome do rock brasileiro nessa década. Fracasso está presente no álbum Chiaroscuro, de 2009.

15. A Depender de Mim – Zeca Baleiro (Bonus Track)

Zeca Baleiro não se enquadraria na seleção, afinal seu primeiro álbum, que já apareceu no QuimeraShare inclusive, é de 1995. Porém achei justo colocar como bonus track, pois o cantor maranhense continua na ativa e A Depender de Mim, do novíssimo álbum Concerto, lançado esse ano, é uma das melhores músicas dele na minha opinião, principalmente por causa da letra fantástica.

Esse é o álbum montado por mim, mas na verdade tá faltando aí uma banda paulista, formada em Osasco, em 2003.

Falo do Teatro Mágico, a exemplo do Cordel do Fogo Encantado, a banda reúne música, teatro, literatura e por aí vai…

A questão é que, sinceramente, não consegui escolher uma só música deles pra colocar, e também acho que no geral, o Teatro Mágico foi a grande banda brasileira dessa primeira década do Século XXI.

Suas canções povoam orkuts e twitters de muita gente, e a qualiade musical é muito grande. Além de uma papel social interessante também desempenhado por Fernando Anitelli e sua trupe, dentro e fora dos palcos o Teatro Mágico é raro e engrandece a música brasileira.

Então pra terminar os QuimeraShares fica o link pra baixar o BR 00’10 e o vídeo do já épico show do Teatro Mágico na Virada Cultural de 2007:

“Here goes another secret song, that’s me palying my dry freezing tongue, here goes another boy i keep and here goes another job i quit”

QuimeraShare #12 – BR 00’10 – Rogério Arantes.rar – Tamanho: 62.20 MB

QuimeraTube #23

Do nada, nesse quente dia de férias acordei com essa música na cabeça.

Do pai Simonal na voz dos filhos Max de Castro e Wilson Simoninha:

 

Brasil Tricolor

Como de costume, ao fim dos grandes campeonatos de futebol coloco um post aqui falando sobre o campeonato em geral, o campeão, a final ou os jogos decisivos.

No caso do Brasileirão, como no ano passado o Flamengo foi campeão o post foi mais uma comemoração, hoje, sem comemoração nenhuma, devido a péssima 14ª colocação do Flamengo no Brasileirão desse ano, falo sobre o título do Fluminense, para alguns bi e para outros tricampeão brasileiro.

O Campeonato Brasileiro desse ano teve algumas semelhanças com a edição passada.

Muito competitivo, levou a briga pelo título e por uma possível vaga na Libertadores até a última rodada, sem contar é claro a briga contra o rebaixamento, assim como no ano passado.

Dos 4 times que subiram da segunda divisão no ano passado, 3 permaneceram, o único a cair foi o Guarani, que ao lado de Grêmio Prudente, Goiás e Vitória vão disputar a Série B em 2011. O Prudente desde o início foi mesmo o time mais inofensivo da competição, para o Vitória a queda talvez tenha sido uma surpresa muito grande, o rubro-negro baiano havia chegado até a final da Copa do Brasil e feito boas campanhas nos anos anteriores, caiu muito de rendimento no fim do campeonato e sucumbiu, o Goiás oscilou bons e maus momentos, mas os últimos prevaleceram e o time esmeraldino cai para a segunda divisão, podendo realizar algo inédito no ano que vem: disputar, no mesmo ano, a Série B e a Copa Libertadores da América, é isso mesmo, basta confirmar sua vantagem, hoje, as 22h, contra o Independiente pela final da Sul-Americana, o jogo é na Argentina e no Serra Dourada o Goiás venceu por 2 x 0, as chances goianas de título são grandes.

Essa questão da Copa Sul-Americana, a partir desse ano dar ao campeão uma vaga na Libertadores do ano seguinte influiu muito no Brasileirão, caso o Goiás seja mesmo o campeão, apenas os 3 primeiros colocados do Brasileirão (Fluminense, Cruzeiro e Corinthians) irão a Libertadores. Caso o Goiás perca o quarto colocado Grêmio é quem vai.

Grêmio que garantiu essa vaga na última rodada, num confronto direto contra o Botafogo, que também buscava essa vaga, o Grêmio venceu por 3 x 0 e confirmou o ótimo segundo turno, o tricolor gaúcho depois da entrada de Renato Gaúcho no comando técnico subiu muito de produção, fez ótimos jogos e teve o artilheiro da competição, Jonas, com 22 gols.

Além de Grêmio e Botafogo, que depois de muito tempo fez um bom campeonato, mostrando a força do elenco e de Joel Santana, Atlético/PR, São Paulo e Palmeiras também chegaram a disputar verdadeiramente essa vaga, a equipe paranaense teve bons momentos na competição, principalmente quando estava sob o comando de Carpegiani, e até as últimas rodadas ainda tinha chances reais de conquistar a vaga na Libertadores, já a dupla paulista deu adeus a esse sonho um pouco antes, o Palmeiras na verdade depositava suas esperanças na Copa Sul-Americana, mas acabou sendo eliminado nas semi-finais pelo Goiás, o São Paulo, depois de muito tempo, não consegue essa vaga na Libertadores, fez um campeonato apenas comum e vem passando por uma reformulação nas mãos de Carpegiani.

Faltou falar de Santos e Inter, que por terem conquistado Copa do Brasil e Libertadores, respectivamente não se importaram muito com o Brasileirão, mas até que terminaram bem; Vasco, Ceará, Atlético-MG, Atlético-GO e Avaí tiveram participações bem discretas, os três últimos até certo ponto correram sérios riscos de rebaixamento, já Vasco e Ceará em nenhum momento nem correram reais riscos de rebaixamento nem aspiraram por algo maior.

O Flamengo, como já havia dito, terminou em 14º e apesar de ter corrido risco de rebxaimento não esteve dentro da zona de rebaixamento em nenhum momento nesse campeonato, com a entrada de Vanderlei Luxemburgo o time mostrou uma pequena melhora em relação ao time de Silas, mas ainda sim esteve muito mal e uma grande reformulação deve acontecer agora.

Enfim, esse é um panorama rápido do que foi o rebaixamento e a luta pela Libertadores e as posições discretas da tabela, mas o intuito principal do post é mesmo falar do campeão Fluminense.

O tricolor carioca, dois de 26 anos, conseguiu conquistar o maior título nacional. Alguns momentos foram decisivos dentro da competição para esse título e algumas polêmicas envolvendo os três candidatos ao título também apimentaram ainda mais a competição.

Mas antes disso vale dar os créditos ao Fluminense que vinha de um Brasileirão horrível, onde chegou a ter 99% de chances de cair pra segunda divisão, mas onde também se reergueu e com uma arrancada final exepcional  começou a moldar o que seria esse time campeão de 2010.

Com um primeiro semestre fraco no Carioca e na Copa do Brasil, Muricy Ramalho chegou como o nome que resolveria os problemas do Flu.

E ele mal começou a fazer isso veio um convite pra ser técnico da Seleção Brasileira. Não é qualquer um que recusaria isso, mas ele e o Fluminense recusaram, e o treinador então três vezes campeão brasileiro ficou nas Laranjeiras.

Isso acabou interferindo em outro concorrente ao título, o Corinthians. Quem assumiu a Seleção foi Mano Menezes deixando o Corinthians em ótima posição no Brasileirão, com uma campanha quase perfeita, nas mãos de Adilson Batista.

O ex-técnico do Cruzeiro não conseguiu encaixar seu estilo de jogo no Parque São Jorge, o que fez o Corinthians perder jogos importantes e cair um pouco dentro da competição.

Enquanto isso o Fluminense de Muricy ia ganhando pontos importantes e outro time começava a surgir como potencial candidato ao título, o Cruzeiro de Cuca.

A equipe mineira, comandada pelo argentino Montillo, um dos melhores jogadores desse campeonato, fez um final de primeiro turno e começo de segundo avassalador, jogando um futebol envolvente e chegando até a liderança em determinado momento da competição.

Mas se o Cruzeiro tinha Montillo, o Fluminense tinha Conca. O argentino do Flu jogos todos os jogos do campeonato e em muitos deles decidiu as coisas a favor do tricolor carioca, dentro das semelhanças do campeonato do ano passado com esse, além do campeão carioca, o campeão também contou com um estrangeiro que articulou muito bem o meio de campo e fez o time jogar.

Mas o Fluminense ao longo do campeonato foi tendo uma série de lesões e jogadores importantes como Fred, Emerson, Deco e Diguinho ficaram fora de vários jogos do Flu.

A campanha não foi só alegria, tiveram alguns tropeços e tropeços grandes inclusive, afinal, o Flu perdeu seus confrontos diretos contra Cruzeiro e Corinthians no segundo turno, para o time mineiro por 1 x 0 em Minas e para o Corinthians pro 2 x 1 no Rio, jogo que marcou o último gol de Washington na competição, o atacante que jogou boa parte da competição devido as lesões de Fred, caiu num inferno astral enorme no segundo turno e perdeu gols incríveis.

E nos tropeços do Fluminense, o Corinthians, agora com Tite no comando, aproveitava e chegou à 35ª rodada na liderança da competição, num jogo muito, mas muito polêmico.

Corinthians 1 x 0 Cruzeiro, no Pacaembu. O gol do jogo saiu de um pênalti duvidoso em cima de Ronaldo. O Cruzeiro reclamou muito do juiz nesse, que por acaso seria eleito o melhor árbitro do campeonato, Sandro Meira Ricci.

Depois desse jogo o Cruzeiro praticamente deu adeus ao título, embora tivesse lutado até o fim e conseguido a segunda colocação na última rodada, o moral celeste foi muito abalado e Corinthians e Fluminense pareciam ser os verdadeiros candidatos ao título.

Aí veio mais polêmica, nas rodadas 36 e 37, o Fluminense enfrentou São Paulo e Palmeiras, respectivamente, venceu ambos os jogos por 4 x 1 e 2 x 1, e surgiram as insinuações de que as equipes paulistas teriam entregado os jogos para não ver o Corinthians campeão.

Essa é outra semelhança com o campeonato do ano passado, quando o campeão Flamengo venceu Corinthians e Grêmio nas rodadas 37 e 38, por 2 x 0 e 2 x 1, e os rivais sugeriram que as duas equipes também entregaram os jogos para não verem São Paulo ou Inter campeões.

Na boa, em ambos os casos é óbvio que as torcidas de São Paulo, Palmeiras, Corinthians e Grêmio não queriam ver seus rivais campeões, mas os times não tinham mais nenhuma ambição dentro do campeonato e não teriam porque jogar tudo e vencer, podem até ter entregado sim, mas queriam que eles jogassem o jogo da vida deles? E também tem aquela, se os times que supostamente entregaram não tivessem em uma situação sem nenhuma ambição maior dentro do campeonato, seriam adversários fortíssimos para os campeões, a questão aí é de tabela, de pontos corridos.

Acredito que isso é um grande problema do sistema de pontos corridos e aconteceu dois anos seguidos, isso traz a tona outra discussão que é sobre a volta do sistema de mata-mata, aí já é outro assunto que talvez mereça até um post próprio, mas desde já me posiciono a favor dessa volta.

Depois disso tudo chegamos a última rodada com o Fluminense na liderança precisando apenas vencer o já rebaixado Guarani dentro de um Engenhão lotado de tricolores. Outra polêmica pra rechear mais um pouquinho o campeonato: a tal falada Mala Branca. O Corinthians teria pago o Guarani para endurecer o jogo, acho que nem preciso comentar sobre isso, se é válido ou não, não importa, o que penso é que se o Fluminense jogar o seu futebol o Guarani, recebendo quantas malas brancas for, não é capaz de vencê-lo, não á atoa que um terminou em primeiro e o outro foi rebaixado, não é querer desmerecer a equipe de Campinas é apenas uma constatação óbvia. O Flu venceu, com gol de Emerson e o Corinthians apenas empatou com o também já rebaixado Goiás no Serra Dourada, o Cruzeiro venceu de virada o Palmeiras e terminou na segunda colocação.

Pra fechar o campeonato e as polêmicas, o presidente corintiano Andres Sanches relembrou que o Fluminense, campeão da terceira divisão em 1999 subiu direto para  primeira em 2000, simplesmente pulando a segunda divisão, isso é outro fato, que realmente aconteceu e que gera sim uma certa revolta.

Mas apesar disso o Fluminense de 2010 era outro, que contava com um bom elenco que soube segurar a barra de tantas lesões e que tinha, principalmente no craque Conca, a grande referência que foi o grande nome do campeonato.

Em 2011 tem mais.

O Un Quimera volta ainda esse ano falando de futebol com post falando sobre a final do Mundial de Clubes da Fifa.

Karma, Capetada!

Bem, talvez comece até a parecer uma espécie de diário de um caipira, mas na verdade é a minha vida mesmo.

Depois de um post falando sobre a minha primeira ida ao Cultural Bar, o post de hoje fala da minha primeira ida ao Café Muzik, outra casa de shows de Juiz de Fora, muito boa por sinal.

E foi na ida ao Cultural, para o show da Pitty que eu conheci a Martiataka.

O show de ontem no Muzik foi deles, lançamento do novo EP Karma, Baby!

Vale a pena já dar uma olhada no site dos caras: http://www.martiataka.com, lá tem todas as músicas disponíveis pra baixar.

O ambiente do Muzik é bem interessante, de fora dá aquela impressão de ser algo bem pequeno mesmo e na realidade é, porém são dois ambientes, ambos muito undergrounds, o som é de muita qualidade também, antes da banda entrar o que rolava nas caixas já me animava muito.

Quando Del Guiducci, Fabricio Barreto, Thiago “Jim” Salomão, Victor Fonseca e Tiago Sarmento entraram no palco ficou melhor ainda.

Antigas canções da banda como Mundo Bar e Asas misturadas a sucessos do Matanza e também da Rita Lee deram a tônica do show.

Mas o principal era o novo EP, as quatro canções foram tocadas na sequência: Quer Saber, Bem Perto, Karma Baby e a faixa bônus e não menos aguardada Eu Não Matei Joana D’arc, com um pequeno mix de Beth Morreu, ambas do Camisa de Vênus, de Marcelo Nova.

Enfim, um show puro rock n’ roll que me remeteu a antigas bandas, antigos sons e que hoje se fazem presente com bandas como a Martiataka. Além de tudo ainda ganhei camiseta da banda e EP autografado com vários xablaus!

Uma grande noite em Juiz de Fora.

“Tropa de Elite 3”

Como prometido no post dos “acontecimentos” de novembro, o Un Quimera volta ao tema Rio de Janeiro.

A brincadeira Tropa de Elite 3 pegou e acho até interessante virar título do post.

O que se vê no Rio é algo que daqui a alguns anos vai ser ainda muito lembrado e comentado e já gerou inúmeras repercussões.

Não sei se é vício de quem um dia já quis ser jornalista (e de uma forma ou de outra ainda quer), mas acho que é muito válido e importante ressaltar o papel da imprensa em “acontecimentos” tão grandiosos quanto esse.

Para isso vou me utilizar de alguns sites e links nos quais deposito extrema confiança e credibilidade e mostrar pontos positivos e negativos da imprensa nessa bagunça toda.

Uma análise mais profunda do “acontecimento” em si é coisa séria e acredito não estar apto para tal, é assunto muito mais complexo do que se imagina e sair opinando no “susto” não é coisa muito boa de se fazer.

Primeiro, esse post do Blog do Tas, que fala sobre como essa crise no Rio fez com que, dentro do meio da internet, surgissem novas formas de se informar, com criatividade e seriedade.

Começando pela internet, um meio mais aberto e maleável (mas não por isso a salvação da informação como muitos proclamam) novas ideias são difundidas e ajudam a transmitir e uma maneira melhor.

Usando agora dos sempre ótimos textos do Observatório da Imprensa, de Alberto Dines, coloco aqui o link do texto de Muniz Sodré, Reality Show em Tempo Real.

Vale a pena ler e compreender com a grande imprensa vem fazendo disso um grande espetáculo, comparado até com a Copa do Mundo, diga-se de passagem, colocando uma polaridade inexistente na cabeça da população, esquecendo da corrupção muito existente.

Ainda no Observatório, o seu big boss Alberto Dines também cita um outro importante texto, talvez o “marco literário” dessa crise no Rio, que é o texto do antropólogo Luiz Eduardo Soares: A crise no Rio e o pastiche midiático.

Enfim, pode até parecer chato ficar só linkando textos, mas acho que de tudo que eu vi e ouvi nesses últimos dias, o que citei aqui é o que há de melhor e mais interessante, vale a pena ler e analisar e aí então tentar entender o que acontece.

Em tempo: as fotos também vêm diretamente do Blog do Tas e são todas de casas de traficantes, de Justin Bieber a piscinas de luxo, essas imagens vão construindo um importante capítulo da história do Brasil.

Quem não gosta de samba…

…bom sujeito não é, é ruim da cabeça ou doente do pé.

É com essa citação sagaz e irônica que começo o post de hoje, post de homenagem a algo não menos sagaz e irônico, o Samba.

Hoje é comemorado o Dia do Samba. Acredito ser válido um post de “comemoração”, abrindo um parênteses nos posts sobre a violência no Rio, pra quem acha que isso é alienação, conformismo ou coisa parecida, tudo bem, como já disse acredito ser muito válido falar sobre o Samba, a data é apenas simbólica, mas o gênero musical, verdadeiro e bem usado, é uma das grandes manifestações culturais brasileiras, legítimas e originais.

O samba, como todos sabem, é um gênero musical brasileiro de fortes origens africanas e que surgiu mais ou menos no começo do século passado, de lá pra cá, foram muitos sambas e sambistas, variações como o Samba de Partido Alto, Samba-Canção, Samba-Enredo e por aí vai foram compondo a história desse ritmo musical.

Como já disse em outros posts considero a linguagem do Samba, inteligentíssima e muito simples, além de ser muito irônica em alguns momentos.

São inúmeros os grandes sambistas brasileiros, mal conheço todos, acho que vale citar alguns deles aqui, mas ressaltando que são apenas alguns dentro tantos e tantos: Noel Rosa, Cartola, Paulinho da Viola, Candeia, Nelson Sargento, Arlindo Cruz, Jorge Aragão, Leci Brandão, João Nogueira, Bezerra da Silva…

Enfim, um vídeo de um samba de raiz, puro e verdadeiro fica pra fechar o post e a homenagem: