Arquivo diário: 6 de novembro de 2010

XVIII Semana de Filosofia (UFJF)

Como prometido em posts anteriores, faço hoje um post (com um certo atraso já) pra falar exclusivamente da XVIII Semana de Filosofia da Universidade Federal de Juiz de Fora.

O evento ocorreu entre os dias 26 e 29 de outubro no Instituto de Ciências Humanas da UFJF e teve como tema e slogan o “Arte à Filosofia”.

Antes de falar do evento propriamente dito, acho que vale a pena falar também do curso como um todo.

Na verdade Filosofia não era minha primeira opção, acabei entrando e no começo tinha um certo de não gostar ou coisa parecida.

Bastou uma semana pra que esse medo se dissipasse, e eu começasse a gostar verdadeiramente do curso.

O tempo passou, o 2º período já vai chegando ao fim e eu continuo gostando muito da Filosofia. Não digo que “não me vejo fazendo outro curso”, mas digo com toda certeza do mundo que com a Filosofia eu mudei muito minha visão de mundo, me abri a novos pensamentos e hoje sou uma pessoa melhor.

Enfi, particularidades do blogueiro a parte, a Semana de Filosofia contou com palestras, oficinas, minicursos e Comunicações Filosóficas, como não participei de tudo não vou falar detalhadamente de tudo, mas vale citar.

Dentre as Oficinas, rolou uma de Poesia com o Grupo Encontrare, de Juiz de Fora. Uma de Teatro, com o pessoal do Teatro Universitário da UFMG e uma de Stencil, com o professor João Paulo Paes, do Centro de Ensino Superior (CES) de Juiz de Fora. Apesar de não ter participado de nenhuma, rolou um feedback interessante da galera que participou.

As Comunicações Filosóficas, que são minipalestras, onde os “palestrantes” são alunos do curso de Filosofia também foram interessantes, destaco as de Carlos Mário Paes Camacho (meu colega de sala), que abordou a questão da Liberdade Individual no Contrato Social de Jean Jacques Rousseau.

Minicursos foram dois: “Arte e Verdade em Heidegger”, do professor Paulo Afonso, das Ciências da Religião.

O pensamento heideggeriano é muito complexo (pelo menos pra mim) e eu acabei não participando desse minicurso.

O outro, do qual participei foi “Industria Cultural x Cultura Popular x Alta Cultura” do professor Pedro Rocha, da Filosofia.

Um dos pontos altos de toda a Semana de Filosofia na minha opinião. Pedro Rocha, abordou questões relacionadas à Cultura (Indústria Cultural, Alta Cultura, etc..) tendo como base o pensamento de Walter Benjamin e da Escola de Frankfurt como um todo.

O minicurso foi muito interessante pela interatividade que rolou com os ouvintes e pela autenticidade da tese de Pedro Rocha.

Não poderia faltar o “Filoplex – Cinema sem preço”, foi apresentado o curta “O Artista da Fome”, curta baseado no conto de Franz Kafka, e depois do curta, comentários de Nathan Santos, presidente do C.A. de Filosofia.

Mesmo não tendo conhecido o conto antes de assistir o curta, gostei muito do que vi, e as reflexões em cima do curta, por serem as mais variadas possíveis, foram muito interessantes, a polissemia do pensamento sendo cada vez mais acentuada é algo perfeito de se ter em uma Semana de Filosofia.

E rolaram também as palestras: “Liberdade de Expressão” com o professor Luiz Antônio da Filosofia e o professor Paulo Roberto Leal da FACOM. Talvez essa tenha sido a melhor de todas as palestras, onde o conceito de Liberdade de Expressão foi destrinchado, e temas como até onde vai a liberdade dentro da internet foram abordados.

“A questão do Si em Paul Ricoeur”, com Victor Hugo de Castro Dutra.

“Ontologia e Pintura em Merleau-Ponty: Ontologia selvagem em Cezanne”, com Tarcisio Lage Louzada.

“Reescrevendo a História… em outras palavras: Literatura e Filosofia”, com o professor da Faculdade de Letras Wagner Lacerda.

“O Inteligível e o Sensível na Música Eletroacústica e na MPB”, com o professor Paulo Motta.

E também “Poesia Contemporânea: Implicações e Implicâncias ou: se o devir vier que não fique devendo”, com André Capilé.

Além de tudo isso também rolou uma Mesa Redonda mediada pelo professor Pedro Rocha com representantes de Movimentos Sociais com o tema “Arte, Cultura e Movimentos Sociais”.

Acho que só citando e destacando algumas coisas sobre o que rolou é algo bem superficial, mas vale a pena pra tentar pelo menos passar um pouco do que foi a Semana de Filosofia.

Por fora do Anfiteatro também tinha a “incansável” mesa de xadrez e um bom café, pra ambientar ainda mais a Semana de Filosofia.

Por falar do lado externo da coisa, a foto acima é de um dos corredores do ICH, onde foi prosposta a seguinte ideia: deixe sua ideia.

Valia de tudo, escrever, pintar, desenhar. Isso gerou certas polêmicas dentro do ICH, mas valeu muito a pena.

Pra fechar tudo o ICH também foi palco de uma festinha, mas aí eu estava no show da Pitty (já comentado aqui no Un Quimera).

O mais importante é mesmo ilustrar um pouco do que foi a Semana de Filosofia e dizer que ela só aumenta ainda mais a minha sede de Filosofia, como disse no início estou gostando muito do que estou fazendo, e eventos como esses, bem feitos e bem organizados, com uma proposta interessante e gente boa participando servem principalmente de motivação.