Domingo de clássicos

Independente dos resultados falei pra mim mesmo que iria escrever um post falando sobre os dois clássicos de ontem que envolviam meus times.

É lógico que eu queria estar de uma vitória do Liverpool e outra do Flamengo, mas vou falar mesmo é de uma derrota dos Reds e de um empate do Rubro-negro…

O vermelho diabólico se impõe no clássico vermelho

Começo de temporada na Europa, e logo na quinta rodada da English Premier League o maior clássico do país envolvendo os dois maiores campeões (cada um com 18 títulos): Manchester United e Liverpool.

O jogo foi em Old Trafford e teve um primeiro tempo onde o Manchester foi melhor. Um início com muita pressão por parte dos donos da casa parece ter assustado um pouco o Liverpool. Liverpool que mudou muito da temporada passada pra essa e ainda está se adequando a essas mudanças. Roy Hodgson prefere Gerrard como volante lá atrás, isso deixa o capitão da equipe ao lado do dinamarquês Poulsen a frente da zaga. Maxi Rodríguez, Raul Meireles e Joe Cole completam o meio deixando El Niño Torres sozinho lá na frente.

Esse esquema de jogo não é dos melhores para o Liverpool, os laterais Konchesky e Glen Johnson acabam ficando mais atrás também e a bola não chega com qualidade até Torres.

Tudo isso fez com o Manchester, mais compacto num 4-2-2-2 conseguisse jogar mais no primeiro tempo e no fim da primeira etapa abrir o placar com Berbatov.

Na volta para o segundo tempo o domínio do Manchester parece ter ficado maior ainda. Nani dava um baile em Konchesky e o meio campo dos Reds não conseguia criar. Até que veio o inevitável segundo gol, um golaço diga-se de passagem, Berbatov recebeu da direita e com uma linda bicicleta estufou as redes de Reina.

Hodgson decidiu então colocar N’Gog, o francês, muito criticado pela grande imprensa, vem melhorando consideravelmente e levando em conta só esse começo de temporada é o melhor jogador do Liverpool. A entrada do francês fez com que Torres não ficasse tão sozinho a frente e foi em cima de Torres que aconteceram duas faltas que mudaram o jogo.

A primeira dentro da área. Pênalti muito bem cobrado por Gerrard: 2 x 1.

A segunda na entrada da área. Falta bem cobrada por Gerrard, que ainda contou com um desvio na barreira que matou Van Der Sar: 2 x 2.

A reação do Liverpool parecia sem explicação porque apesar da melhora no ataque com a entrada de N’Gog, a defesa continuava mal. Não é atoa que o Manchester conseguiu o terceiro gol. Mais uma vez pela direita, só que dessa vez ao invés de Nani, foi O’Shea quem cruzou pra Berbatov anotar seu hat-trick e dar números finais ao jogo.

É muito ruim perder pro Manchester United, é um clássico que realmente mexe com o Liverpool e mesmo sendo assim em começo de temporada deixa uma sensação ruim. Mas como frisei o Manchester foi melhor e mereceu a vitória. Para o Liverpool não faltou raça, mas faltou futebol. O time de Hodgson ainda não se encaixou e a opção de deixar Gerrard mais atrás não é das melhores. Além disso Torres parece ter perdido seu futebol em algum lugar que tá difícil de encontrar, com as duas principais peças do time com problemas as coisas realmente ficam difíceis, acredito que as contratações até foram boas: Joe Cole, Raul Meireles, Milan Jovanovic são bons nomes que podem e devem evoluir muito ainda.

Resta esperar, o título já começa a se tornar algo difícil mais uma vez, mas ficar fora da Champions League dois anos seguidos seria o cúmulo!

Tudo igual no Fla x Flu

Mais tarde tivemos o clássico mais charmoso do Brasil: Fla x Flu.

Muita história e rivalidade colocadas a prova num momento importante do Campeonato Brasileiro. Os dois times em situações bem diferentes: o Fluminense brigando pelo título e o Flamengo lá atrás na tabela (ano passado as coisas eram diferentes…).

O jogo foi marcado por muito equilíbrio e muitos gols. Logo no início da partida após cobrança de escanteio de Conca o zagueirão Leandro Euzébio subiu de cabeça para abrir o placar. 1 x 0 Flu.

Mas o Flamengo não tinha começado mal o jogo e logo conseguiu o empate. Após falha do zagueiro Gum, Kleberson cruzou e Deivid, com um belo toque de primeira, deixou tudo igual. Foi o primeiro gol do atacante com a camisa do Flamengo. Ele tem muito potencial e sempre fez muitos gols por onde passou, no Flamengo não deve ser diferente e depois de 4 jogos sem marcar ele finalmente deixou o dele, que seja o primeiro de muitos.

Ainda no primeiro tempo veio a virada rubro-negra. Escanteio na esquerda a bola passou por todo mundo e sobrou para David (o zagueiro) emendar pro gol. O camisa 14 mostra que hoje é talvez o melhor zagueiro do Fla, não só pelo gol mas pela raça e pela boa atuação no jogo de ontem.

No segundo tempo o jogo que já era bom melhorou ainda mais. Os dois times mostravam muita disposição, e o Fluminense que chegava bastante conseguiu o empate aos 18 minutos. Jogada individual de Rodriguinho que cortou David e bateu pro gol, tudo igual.

Poucos minutos depois falta para o Flamengo e aí foi quase um dejávù. Renato Abreu que ainda está muito abaixo do que ele pode mostrar nessa sua segunda passagem pelo Flamengo pegou a bola e disparou o canhão de sua perna esquerda. Não tem como, quando ele acerta chutes assim não há goleiro no mundo que pegue. Belíssima cobrança de falta que relembrou seus velhos tempos no Flamengo, comemoração muito bonita também, Renato honra a camisa.

A vantagem no placar foi perdida pelo desgaste físico e pela ingenuidade defensiva. Mais uma vez em jogada ensaiada de escanteio do Flu o Flamengo sofreu um gol. De novo do camisa 10 Rodriguinho.

Com 3 x 3 no placar o Fluminense foi pra cima devido ao desgaste físico rubro-negro, pressionou e criou chances no fim, mas não conseguiu o quarto gol, o Flamengo foi quem acabou tendo a melhor chance nesse fim de jogo, com Deivid, mas o goleiro Rafael impediu o quarto gol rubro-negro.

Com o empate o Fluminense perde a liderança e começa a ouvir sussurros de “cavalo paraguaio”,  já o Flamengo perde uma posição (agora é o 15º) e continua lá no fundo da tabela. Silas ainda não conseguiu arrumar o time, mas desde sua chegada até hoje mostra evoluções, o elenco não é pra ficar na 15ª posição, acredito que o time pode melhorar ainda mais e buscar uma posição melhor. Mas o que vale lembrar é que o Flamengo, pelo menos pra mim, passa por um processo de renascimento.

Um grande ciclo que durou desde a arrancada contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro de 2005 até a eliminação na Libertadores 2010 acabou com essa eliminação. Depois disso acho que uma nova era começou, essa era é marcada por Zico no comando do futebol, a questão de melhoria do CT e das condições de trabalho como um todo passa a ser mais valorizada e o time é todo repaginado, com contratações (como Diogo, Deivid, Renato) e com a chance para jogadores da base (Diego Maurício, Galhardo, Wellinton…). Por tudo isso não reclamo da atual situação do Flamengo na tabela, espero sim dias melhores nas próximas temporadas.

Enfim, essas foram as minhas impressões desse domingo de clássicos, espero que os próximos clássicos sejam mais felizes para Flamengo e Liverpool.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: