Arquivo mensal: fevereiro 2010

Os "acontecimentos" de fevereiro/2010


Chega ao fim o menor mês do ano e chega hora dos “acontecimentos”.
Um é até antigo, vem se desenrolando há algum tempo e já foi até tratado aqui no Un Quimera, o outro é super atual, aconteceu ontem e tamanha a importância dele já coloco aqui no post, vamos a eles:
Prisão de Arruda
Um dos “acontecimentos” de dezembro e 2009, foi o afastamento de José Roberto Arruda do governo do Distrito Federal, após acusações de corrupção investigadas na Operação Caixa de Pandora, Arruda foi afastado.
Depois disso as investigações continuaram acontecendo e nesse mês o ex-governador foi preso.
O motivo: participação na tentativa de suborno ao jornalista Edmilson Edson Santos, o Sombra.
Arruda e mais cinco envolvidos foram presos de maneira preventiva no dia 11 de fevereiro, foi a primeira vez na história do Brasil que um governador foi preso.
O Superior Tribunal de Justiça teve como fator preonderante para decretar a prisão de Arruda o episódio que flagrou o funcionário aposentado Antonio Bento da Silva entregando R$ 200 mil ao jornalista Edson Sombra.
Antonio Bento revelou que foi procurado por Rodrigo Arantes, sobrinho de Arruda, e convendio de intermediar a entrega do dinheiro, assessores de Arruda também declararam que Rodrigo só agiria a mando do governador.
Por tudo isso Arruda acabou preso. Seu advogado Nélio Machado tenta um habeas corpus, mas por enquanto Arruda está vendo o sol nascer quadrado.
No post de dezembro, em que me referi a este fato cheguei a dizer: agora é esperar o desenrolar disso e torcer pra que não acabe em pizza dessa vez.
Como as investigações continuaram e Arruda foi realmente preso, a pizza dessa vez não saiu do forno, acho importante ressaltar isso e continuar sempre ligado nesses casos.
Terremoto no Chile
Na madrugada de ontem algo extraordinário abalou o Chile.
Um terremoto de 8.8 graus na Escala Richter que teve epicentro na região central do país (Concepción) e atingiu praticamente todo o país.
Igrejas, prédios, pontes e construções foram destruídas e tremores foram sentidos até em países vizinhos, inclusive no Brasil.
A Argentina foi o país vizinho que mais sentiu o tremor, Paraguai, Peru e Brasil sentiram o tremor com menor intensidade.
A atual presidente chilena Michelle Bachelet declarou estado de catástrofe nas regiões de Maule, Bio Bio e La Araucanía.
O presidente eleito Sebástian Piñera declarou na tarde de ontem que até então pelo menos 122 mortes foram confirmadas, o número correto é ainda desconhecido devido a grande força do tremor.
Na Ilha Robinson Crusoé, situada na Costa Chilena ocorreu um tsunami e alertas de tsunami na Ilha de Páscoa e no Arquipélago do Havaí também foram dados.
É tudo muito alarmante e a repercussão disso tudo ainda vai dar muito o que falar, por enquanto o Un Quimera fica por aqui, fechando o segundo mês do ano com a segunda tragédia: primeiro no Haiti, agora no Chile.
Vale lembrar também que a magnitude do terremoto sofrido no Chile chega a ser de 32 vezes maior do que o sofrido pelo Haiti no mês passado.
*Fica a imagem com o mapa ilustrando as regiões mais atingidas pelo terremoto.

Rabo de Urna #02

O segundo Rabo de Urna abre uma série de três “rabos de urna” que falarão sobre os principais candidatos à presidência da República na minha visão: Dilma Rousseff, José Serra e Marina Silva.
Muitos podem até estranhar, ainda é fevereiro e já vou falar dos candidatos, mas a ideia é essa mesmo. Falar sobre cada um com antecedência, antes do início das propagandas eleitorais.
Tentarei ser o mais imparcial possível, ainda não tenho candidato definido, e escrevendo esses posts vou procurar inclusive ir moldando a minha própria opinião e decidir em quem votar.
Começo com a candidata da situação, que teve candidatura anunciada no último dia 20 inclusive, Dilma Rousseff:
Já cheguei até a escutar o trocadilho “Lula Nova” fazendo menção ao filme Lua Nova e a Dilma. E a ideia é essa: Dilma entra para ser uma sucessora do que
Lula construiu nesses oito anos de mandato.
Se eleita, pouca coisa deve mudar, as mudanças seguirão os mesmo rumos dos programas de Lula.
Essa continuidade, aliada ao discurso feminista poderão ser explorados como os pontos positivos da campanha de Dilma.
Atual ministra da Casa Civil, e considerada também a “mãe” do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Dilma já foi também ministra de Minas e Energia.
Porém nem tudo são flores para essa mineira de Belo Horizonte, que depois de ter sido presa reconstruiu sua vida em Porto Alegre, e é justamente esse período pré-prisão que a grande maioria da população não conhece.
Dilma foi guerrilheira dos grupos COLINA (Comando de Libertação Nacional) e VAR Palmares, esse momento da vida de Dilma poderá ser explorado tanto positiva quanto negativamente.
Aqui vão dois textos, de opiniões completamente diferentes, falando sobre a candidata:
Ainda que eu tivesse cometido algumas injustiças com Lula, coisa de que discordo, de uma certamente eu o teria poupado: jamais o considerei um idiota. Nunca! Até aponto a sua notável inteligência política, coisa que não deve ser confundida, obviamente, com cultura. O governo vive, a despeito das negativas, uma crise militar. Que é muito mais grave do que se nota à primeira vista. Ela foi originalmente pensada nas mentes travessas de Tarso Genro, ministro da Justiça, e
Paulo Vanucchi, titular da Secretaria Nacional de Direitos Humanos. Mas tomou consistência e corpo nos cérebros não menos temerários da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), candidata do PT à Presidência, e de Franklin Martins, ministro da Comunicação Social, hoje e cada vez mais o Rasputin deste rascunho de czarina que pretende suceder Lula.
“Teus ombros suportam o mundo e ele não pesa mais que a mão de uma criança”. O bonito trecho da poesia de nosso conterrâneo Carlos Drummond de Andrade foi a senha hoje para a ministra Dilma Rousseff assumir, perante milhares de petistas, sua candidatura à presidência da República pelo PT e aliados. Foi, também, uma auto-definição com a qual ela transmitiu o estado de espírito com que se lança na disputa eleitoral.
É isso, no mês que vem o Rabo de Urna falará de José Serra.

Sawubona #02

No segundo post da série Sawubona, falo dos “anfitriões” da Copa de 2010.
Não considero apenas os bafana-bafana como os anfitriões, mas sim todas as seleções africanas que participarão da Copa.
Como nunca antes na história uma Copa do Mundo de futebol foi realizada no continente africano não dá pra saber exatamente o quão longe poderão chegar as equipes africanas na competição.
O que dá pra ter certeza é que de uns 20 anos pra cá o futebol africano cresceu muito e teve seus bons momentos, o Camarões de Roger Milla, a Nigéria de Kanu e atualmente a Costa do Marfim de Drogba são seleções que podem até não ter grandes conquistas mas sempre dão muito trabalho.
Uma pequena análise de cada um dos africanos:
África do Sul
Os donos da casa além do verde e amarelo na camisa tem muito mais de Brasil
nessa Copa do Mundo.
Foram treinados por dois técnicos brasileiros de 2006 pra cá. Primeiro Carlos Alberto Parreira que treinou os bafana-bafana até meados de 2008 e decidiu dar um tempo ele mesmo indicou Joel Santana para o seu lugar.
O novo treinador durante o período a frente da seleção da África do Sul ficou famoso pelo seu inglês, mas além disso também fez uma boa Copa das Confederações levando a sua seleção até as semi-finais da competição, a derrota foi justamente para o Brasil, 1 x 0, belíssima cobrança de falta de Daniel Alves nos últimos minutos de jogo.
Depois disso Joel não conseguiu bons resultados, a pressão pra cima dele ficou muito grande e ele acabou sendo demitido. Para seu lugar de novo Parreira.
O treinador campeão mundial em 94 tem a responsabilidade de treinar os donos da casa e apesar do mando de campo não é uma missão das mais fáceis.
O time sul-africano nunca teve muita tradição e atualmente conta um plantel esforçado mas sem grandes destaques individuais, o maior deles talvez seja o meio-campista Pienaar, do Everton da Inglaterra.
E além disso o grupo da África do Sul também não é dos mais fáceis. Conta com Uruguai, México e França. Dois campeõies mundiais e uma seleção que sempre incomoda.
Argélia
As Raposas do Deserto, como são chamados os jogadores argelinos, são uma grande surpresa.
A última participação em Copas do Mundo foi em 1986 (enfrentou o Brasil inclusive), de lá pra cá o futebol argelino pouco conseguiu e até quatro anos atrás era uma das seleções mais fracas da África.
Do nada o time cresceu e muito e nas eliminatórias para a Copa tirou a seleção do Egito, atual campeã africana.
A festa foi grande e as expectativas para a Copa do Mundo são expectativas de um franco-atirador. Ainda mais depois da eliminação nas semi-finais da Copa das Nações Africanas desse ano para o Egito, por 4 x 0.
Em um grupo que conta com Inglaterra, Estados Unidos e Eslovênia, as chances de classificação são mínimas.
Camarões
A seleção camaronesa talvez seja a de mais tradição dentre todas as do futebol africano.
Muito dessa história se deve a Roger Milla e a seleção da Copa de 1990. De lá pra cá os Leões Indomáveis tiveram muitos altos e baixos e depois de ficarem de fora do mundial da Alemanha vão pra África do Sul querendo algo mais do que a primeira fase.
O principal destaque é Samuel Eto’o, o atacante da Internazionale que fez história no Barcelona, além dele nomes como Alexandre Song, Makoun e Kameni formam a base dessa seleção.
O grupo não é dos mais fáceis, na minha opinião aliás é o chamado grupo da morte: Japão, Dinamarca e Holanda.
Muito se esperou de Camarões na Copa das Nações Africanas, mas a seleção de Eto’o caiu nas quartas de final para o campeão Egito, na Copa do Mundo a esperança é de que não aconteça outra decepção.
Costa do Marfim
A Costa do Marfim é considerada por muitos a maior força do futebol africano atualmente.
Apesar de também ter decepcionado na Copa das Nações Africanas, perdendo nas quartas de final para a Argélia, as expectativas para a Copa são as melhores possíveis.
É nítida a evolução do futebol marfinense de uns oito anos pra cá. A classificação e o bom futebol mostrado na Copa de 2006, fizeram dos marfinenses uma das sensações daquela Copa, o time de Drogba no entanto não passou da primeira fase.
O perigo de isso acontecer de novo na África do Sul é grande, mais uma vez os marfinenses não deram sorte no grupo, Coreia do Norte, Portugal e Brasil compõem o grupo, e a briga promete ser boa.
Didier Drogba, maior artilheiro da história de seu país é a principal arma, porém dentre todas as seleções africanas classificadas para a Copa do Mundo, a Costa do Marfim é a que possui o elenco mais qualificado: Boka, Eboué, Yaya Touré, Kalou, dentre outros fazem parte dessa seleção que deve dar muito trabalho.
Gana
A seleção de Gana, depois de boa participação na Copa de 2006, sendo eliminada pelo Brasil nas oitavas de final vem com moral para a Copa de 2010.
O grupo não é dos mais difíceis, conta com Alemanha, Austrália e Sérvia. Uma nova classificação é muito esperada, ainda mais depois do bom desempenho na Copa das Nações Africanas.
Sem muito alarde os Estrelas Negras eliminaram os donos da casa (Angola) e também a Nigéria, conquistando o vice-campeonato após uma derrota de 1 x 0 para o Egito na final.
Michael Essien, meio-campista do Chelsea é o principal jogador da seleção de Gana que conta também com Appiah, Muntari e Asamoah Gyan.
É interessante também citar o ótimo desempenho ganês nos últimos mundiais sub-17, é a atual campeã inclusive, após vitória nos pênaltis pra cima do Brasil na final realizada no ano passado, sinal de continuidade e renovação para as próximas Copas do Mundo.
Nigéria
A seleção nigeriana ficou famosa na década de 90, principalmente por ter eliminado o Brasil das Olímpiadas de Atlanta em 96.
Nessas Olímpiadas surgiu para o mundo Nwanwanko Kanu, o grande jogador nigeriano de todos os tempos.
Na primeira década do Século XXI o desempenho do futebol nigeriano caiu muito, não conseguindo nem se classificar para a Copa do Mundo de 2006.
De volta agora a Copa, a Nigéria, dentre todos os países africanos talvez tenha sido o que deu mais sorte na hora do sorteio dos grupos, ao lado de Argentina, Coreia do Sul e Grécia, a exepectativa é a classificação para as oitavas de final.
Depois de um terceiro lugar na Copa das Nações Africanas desse ano, com vitória de 1 x 0 sobre a seleção da Argélia, as maiores esperanças nigerianas estão em Obinna (não é o famoso Obina não hein), Peter Odemwingie e Makinwa.
No mês que vem tem mais Sawubona.

QuimeraShare #02

O segundo QuimeraShare continua na música brasileira das antigas.
Migrando da Cachoeiro de Itapemirim, do capixaba Sérgio Sampaio e vindo as Minas Gerais.
Coloco hoje aqui o álbum Geraes, de 1976, do carioca mais mineiro de todos: Milton Nascimento.
Falar de Milton é falar da cultura brasileira que foi formada nas últimas décadas e falar principalmente de Minas.
Parece que a alma do meu estado está incrustada nas músicas de Milton, em todas as fases de sua carreira ele sempre buscou nas coisas daqui inspiração para suas canções.
Seja no trem e nas montanhas da capa de Gerares, seja na religião, na fazenda, nas festas populares e nos mineiros e mineiras em si. Pode até parecer meio blasé, mas a música de Milton reune tudo isso e muito mais, e até mesmo um mineiro não tão ligado a tudo isso como eu, entende perfeitamente o Bituca.
Por tudo isso considero esse álbum Geraes um marco, e são várias as músicas dele que marcaram história.
Incríveis parcerias como Volver a Los 17 com Mercedes Sosa e O Que Será (A Flor da Pele) com Chico Buarque; Circo Marimbondo, O Cio da Terra, Fazenda…
“água de beber
bica no quintal
sede de viver tudo
e o esquecer era tão normal
que o tempo parava
tinha sabiá, tinha laranjeira
tinha manga-rosa
tinha o sol da manhã
e na despedida
tios na varanda
jipe na estrada
e o coração lá”
Baixem aí e apreciem tudo isso e muito mais:

QuimeraTube #04

Hoje o QuimeraTube de número 4 vem em ritmo de carnaval.

A grande festa brasileira é cercada de muita alegria e vibração, e não é querer fechar os olhos para todos os problemas, mas Carnaval é hora de sair de casa e botar o bloco na rua!
E por essas e outras não poderia ter canção melhor pra retratar o perído, na parceria entre o fodástico Tom Zé e Ligiana, a canção do poeta maldito, Sérgio Sampaio:


Copa do Brasil 2010

Seguindo no ritmo do preview da Libertadores, e repetindo o ano passado, falo agora da Copa do Brasil 2010.
A competição, que reune 64 times, tem como grande atrataivo, além do título, é claro, a vaga garantida na Copa Libertadores do ano seguinte.
Esse ano conta com treze times estreantes e alguns dos grandes clubes brasileiros também.
Escolhi meus cinco favoritos e vou falar um pouco de cada um deles, no fim da
competição a gente vê se os meus palpites vão dar certo:
Atlético (MG)

O Galo mineiro definitivamente não começou bem a temporada, o futebol apresentado até agora no Campeonato Mineiro não deve ter convencido a torcida atleticana, mas as expectativas criadas para essa temporada são enormes.
Após a chegada de Vanderlei Luxemburgo para o comando técnico do Galo muita coisa mudou, e o horrível fim de 2009 parece ter ficado para trás também.
Com Luxemburgo vieram vários reforços, dentre eles a dupla de zaga estrangeira que, se bem entrosada, deverá ser um dos pontos fortes do Galo: o equatoriano Jairo Campos e o paraguaio Cáceres. Além deles vieram também o lateral-esquerdo Leandro, velho conhecido de Luxemburgo e para o ataque o bom Muriqui e o folclórico Obina.
Devido a tudo isso o time ainda está em formação, na busca da formação ideal, mas mesmo assim entra como favorito, pois além de contar com a força de sua torcida tem um elenco forte quando se fala de Copa do Brasil.
Vale lembrar também que o principal jogador do Galo na temporada passada permaneceu na equipe. A torcida espera ansiosa por mais ra-ta-ta-tas de Diego Tardelli.
A estreia do Atlético-MG será no dia 24, contra o Juventus do Acre.
Grêmio (RS)

O Tricolor gaúcho, depois de um ano com uma boa Libertadores (apesar da eliminação para o Cruzeiro, em pleno Olímpico) e com um Brasileirão ruim (apenas uma vitória fora de casa em toda a competição) vem bastante mudado para 2010, e mais forte na minha opinião.
Silas chega para ser o treinador. Depois de um ótimo trabalho pelo Avaí na temporada passada, levando o desacreditado time catarinense às primeiras colocações do Brasileirão, o técnico ganhou moral e chega ao Grêmio com maiores responsabilidades também.
Chegaram várias contratações, dentre todas quem mais se destaca até agora é o atacante Borges. Além deles o torcedor gremista também tem muitas esperanças no recém contratado Douglas, bom camisa 10, e em Hugo, de volta ao Olímpico.
Assim como o Atlético-MG, o Grêmio ainda é uma equipe que busca a formação ideal e por isso não teve um início de ano dos melhores, uma derrota no GreNal é algo que sempre abala o time tricolor.
Mas o elenco não é fraco e vale lembrar sempre: o Grêmio é copeiro!
A estreia é amanhã, no Mato Grosso, contra o Araguaia.
Palmeiras (SP)
O alviverde paulista este muito, mas muito perto mesmo da vaga para a Libertadores deste, mas deixou escapar na reta final do Brasileirão, onde nada parecia dar certo para a equipe de Muricy Ramalho.
Por essas e outras o Palmeiras entra na busca pelo título da Copa do Brasil.
Muitas mudanças foram feitas da temporada passada pra cá, poucos reforços chegaram e o começo de temporada também não foi muito bom. Tudo isso tenta ser esquecido por Muricy e seus comandados.
Que apesar de ainda não estarem jogando bem, possuem dois jogadores que fazem a diferença e quando jogam bem sempre trazem bons resultados para o Palmeiras. São eles Diego Souza e Cleiton Xavier, a permanência de ambos é algo a se ressaltar, mas vale lembrar também que fora isso o Palmeiras não tem grandes destaques individuais, salvo o experiente Marcos.
A estreia também é amanhã, no Piauí, contra o Flamengo local.
Santos (SP)

A equipe alvinegra que vinha de duas temporadas bem abaixo da expectativa, sendo um mero figurante no Campeonato Brasileiro, reencontrou o bom futebol, unindo peças que já estavam no time mas não vinham rendendo, a bons reforços e a um ótimo treinador: Dorival Júnior.
Mas a grande arma santista é Robinho. O jogador, que surgiu de uma maneira extraordinária no próprio Santos e não vinha funcionando no Manchesetr City decidiu voltar à Vila Belmiro e logo na sua reestreia, no clássico contra o São Paulo no último domingo, já deixou um golaço de letra, mostrando que não veio pra brincadeira.
Além dele, a jovem e promissora dupla Neymar e Paulo Henrique Ganso também tem apresentado um ótimo futebol. E pra quem pensa que o Santos é só poder ofensivo é bom lembrar que a experiente zaga seja talvez um dos outros pontos fortes da equipe, Edu Dracena e Durval dão enorme segurança ao jovem e inconstante goleiro Felipe.
A estreia do Santos na Copa do Brasil será dia 24, contra o Naviraiense, no Mato Grosso do Sul.
Vasco (RJ)

Ressucistado. Acho que essa é a palavra que melhor define esse Vasco de começo de temporada. Depois de disputar a Segundona em 2009 e subir bem para a Primeira Divisão a equipe cruzmaltina manteve a base campeã, mas também modificou algumas coisas.
Dorival Júnior acabou saindo para o Santos e quem veio para o comando técnico foi Vágner Mancini. Além dele várias contratações também chegaram. A de maior impacto foi o atacante Dodô.
E o começo de temporada foi arrasador, ainda invicto nesse ano o ponto alto que chamou mais atenção de todos foi a humilhante goleada pra cima do Botafogo por 6 x 0, jogo em que Dodô meteu três gols.
Mas além desse ataque positivo, que tem Dodô, o jovem Phillipe Coutinho e Carlos Alberto como peças principais, o Vasco também tem um setor de meio-de-campo, que auxilia tanto a defesa, comandada pelo bom goleiro Fernando Prass, como o ataque.
São os vários os volantes que disputam posição e jogam bem: Souza, Nilton, Léo Gago, Rafael Carioca. A Copa do Brasil é uma prova de fogo para esse Vasco que começou muito bem a temporada provar se Dodô é mesmo o poder.
A estreia é amanhã contra o Souza da Paraíba.
Agora é esperar pra ver, a Copa do Brasil começa amanhã, dia 10 e a disputa pelo título e pela consequente vaga na Libertadores tem tudo pra ser muito interessante.
Vale lembrar também que nas duas primeiras fases vitória do visitante por dois gols ou mais eliminam o jogo de volta.

Copa Libertadores 2010

Assim como no ano passado, quando fiz um preview da Copa Libertadores, faço esse ano novamente.
A maior competição de clubes das Américas começa pra valer nesta terça, dia 9.
Até agora já tivemos confrontos pela chamada Pré-Libertadores, onde o Cruzeiro, único time brasileiro que teve que disputar a Pré-Libertadores conseguiu passar e bem pelo boliviano Real Potosí.
O favoritismo dos times brasileiros na edição deste ano é gritante. Os perigosos Boca Juniors, River Plate e LDU não vão nem disputar a competição e além disso todos os cinco brasileiros são clubes de tradição (com exceção do Corinthians todos já venceram a Libertadores pelo menos uma vez) e que vem com um objetivo claro: o título.
Por essas e outras, ao invés de arriscar os favoritos dessa vez, vou apenas falar um pouco mais de cada um dos cinco times brasileiros, querendo ou não vou falar de algum favorito nessa brincadeira:
Corinthians

A equipe paulista, que completa 100 anos nesta temporada seja talvez, dentre todos os brasileiros, a equipe que mais busca esse título, por vários motivos, mas principalmente por estar em ano centenário e por nunca ter conquistado a Libertadores.
Para que isso aconteça pela primeira vez o Corinthians investiu pesado. Manteve praticamente todo o time que venceu o Paulista e a Copa do Brasil do ano passado e trouxe várias contratações.
De todas as contratações os nomes de Roberto Carlos e Danilo são os mais badalados. O primeiro por estar reeditando a dupla com Ronaldo, que permance no Parque São Jorge. O segundo pelo seu bom futebol e experiência, um legítimo camisa 10, coisa que o Corinthians não tinha desde a saída de Douglas, em meados do ano passado.
Mas o Timão não é só badalação. Mano Menezes é um ótimo treinador, que está no comando do alvinegro há um bom tempo e que tem o time na mão.
O Corinthians é com certeza um dos grandes favoritos ao título. Experiência, aliada a muita técnica e uma torcida que espera por este tíutlo há muito tempo.
A caminhada alvinegra começa no dia 24 contra o Racing de Montevidéu, em São Paulo.
Cruzeiro

A Raposa vem calejada para essa Libertadores.
Depois de ser derrotada nas Oitavas da Libertadores de 2008 para o Boca Juniors e na final da Libertadores de 2009 para o Estudiantes, ambas em pleno Mineirão, a equipe mineira, bem mais experiente e testada vem em busca do tri em 2010.
A campanha, como eu já disse, já começou, foram dois confrontos contra o Real Potosí pela Pré-Libertadores, 1 x 1 na altitude de Sucre e um massacre de 7 x 0 no Mineirão.
Adilson Batista, contestado por parte da torcida em outros tempos, hoje parece ter torcida e time a seu lado. Apesar do Cruzeiro não ter se reforçado muito, a base de 2009 foi mantida e o principal jogador do time, Kléber, que estava praticamente acertado com o Porto, voltou atrás para disputar a Libertadores.
Ano passado muitos subestimaram, o Cruzeiro foi crescendo e chegou a final, esse ano essa história pode se repetir e quem sabe o título pode chegar à Toca da Raposa.
A estreia do Cruzeiro é uma parada difícil, contra o Vélez Sarfield, na Argentina, quarta-feira agora, dia 10.
Flamengo

Flamenguista que sou, estou confiante para essa Libertadores.
Depois de duas eliminações rídiculas, ambas nas Oitavas de Final, em 2007 e 2008, e um ano sem dipsutar a Libertadores, o Flamengo chega à competição como campeão brasileiro e com grandes chances.
Deevido a falta de reforços e ao começo ruim da defesa na temporada 2010, muitos torcem o nariz e não acreditam que o Flamengo possa brigar pelo título, mas, sinceramente, não é porque eu torço não, o Flamengo é sim candidato ao título.
As maiores atenções se concentram no chamado “Império do Amor”, a forte dupla de ataque formada por Adriano e Vagner Love, que vem se entendendo muito bem e promete ainda mais.
Além deles, apesar dos poucos reforços, a base é a mesma do hexacampeonato brasileiro, e ainda tem o fator Maracanã, os últimos jogos do Flamengo no estádio (antes dele ser fechado para as reformas visando a Copa de 2014) serão na Libertadores, apesar de ter sido eliminado lá dentro na última partipação na Libertadores, é bom não subestimar o poder da maior do mundo dentro do maior do mundo (deu pra entender, né?)
A estreia do Flamengo será no Maracanã, no dia 24, contra o vencedor do duelo entre Colón de Santa Fé x Universidad Católica.
Internacional

Vice-campeão brasileiro (do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil), o Inter está de volta a Libertadores e vem querendo o título.
Para isso foi buscar no Uruguai talvez a sua maior contratação para a temporada, o técnico Jorge Fossati.
Campeão da última Copa Sul-Americana pela LDU, o treinador uruguaio chegou, usou do jovem time B do Inter no começo do Gaúchão e depois colocou pra jogar os titulares que não decepcionaram, uma ótima campanha na temporada até agora.
Vieram peças para setores que o Colorado carecia, como o lateral direito Nei e o atacante Kléber Pereira. Além deles, a permanência dos outros principais destaques (Guiñazu, D’Ale, Kléber) faz do Inter um forte candidato.
A estreia colorada é no dia 23, no Beira-Rio contra o vencedor de Emelec x Newell’s Old Boys.
São Paulo

O Tricolor paulista, detentor de três títulos da Libertadores, vem em busca do tetra. O título da Libertadores é quase uma obsessão para a grande maioria dos torcedores são-paulinos e por isso o foco é total nesta competição.
Depois de um começo irregular na temporada 2010, o São Paulo tenta mostrar que o time pode melhorar muito. Chegaram vários reforços, como Marcelinho Paraíba, Cléber Santana, Rodrigo Souto, Alex Silva, dentre outros.
Depois do fim da hegemonia no futebol brasileiro o Tricolor vem se reconstruindo e continua com boa estrutura e um bom plantel, jogadores como Hernanes, Jorge Wagner e Rogério Ceni, que estão na equipe há um bom tempo são os pilares deste sem um destaque individual muito grande, mas com várias peças interessantes.
A estreia do São Paulo é no dia 10, no Morumbi, contra o Monterrey.
Bem, é isso. Agora é esperar a Libertadores começar e ver se o favoritismo brasileiro se confirmará ou não. Durante a competição falarei um pouco mais aqui no Un Quimera, principalmente sobre os jogos do Flamengo.

QuimeraTube #03

O QuimeraTube de hoje vem no ritmo do reggae e quando se fala em reggae quase que obrigatoriamente não se pode esquecer de Robert Nesta Marley, ou simplesmente, Bob Marley.

Ele é indiscutivelmente um ícone da música e sua obra merece todo o respeito.
Coloco aqui no QuimeraTube uma canção nem tão conhecida do Bob, mas que já foi regravada várias vezes, inclusive pela banda brasileira Ponto de Equilíbrio, Soul Rebel:

Fluminense 3 x 5 Flamengo


Na boa, ontem eu vi um dos melhores jogos de futebol da minha vida!

Um jogo digno no nome e da importância dele, um Fla x Flu daqueles que vai ficar pra história.
E aí vai o texto que eu postei no Confio no Mengão:
Diferentemente do último jogo contra o Americano, esse é um jogo que dá muita vontade de escrever sobre. Mas antes de ir para o jogo especificamente queria dizer sobre o que estava sentindo nas vésperas da partida.

Em todos os blogs e sites que visitei no sábado e hoje de manhã, as previsões para o jogo eram muito parecidas: o Flamengo está com uma defesa ruim, que toma muitos gols, não é mais o mesmo do time do hexa, etc…

E o Fluminense? O Fluminense é o grande time carioca, está jogando muita bola! Não toma gols, faz lindas jogadas, Conca é o melhor jogador em atividade no Brasil, etc…

Sinceramente, até parecia que o Flamengo passou todo o Brasileirão de 2009 lutando pra não cair e o Fluminense foi campeão (será que foi isso mesmo?)

Mas como todos sabem o futebol é resolvido dentro das quatro linhas e nos primeiros quarenta e cinco minutos o Fluminense confirmou tudo o que se falava sobre ele.

Mesmo sem seu principal destaque, Fred, a equipe comandada por Cuca jogou muito bem, Maicon era o melhor em campo, sempre escapando pelos buracos da defesa rubro-negra.
Não demorou muito e saiu o gol do Flu. Enfiada de Diguinho para Alan ser mais rápido do que a zaga do Flamengo e abrir o placar.

O Flamengo bem que tentava mas o Flu era superior, e sempre que chegava, chegava com perigo.

Aos 40 minutos, Angelim cometeu pênalti (?) em Alan. Conca cobrou bem e aumentou a vantagem do Flu.
Dois minutos depois, talvez o único bom lance do Flamengo em todo o primeiro tempo. Juan fez boa jogada pela esquerda e sofreu pênalti claríssimo, cometido por Diguinho.
Adriano bateu e diminuiu.

Mas três minutos depois, aos 45 do primeiro tempo, bola na área do Fla, o zagueiro Cássio chuta, e com muita sorte a bola desvia em Álvaro e entra no gol. 3 x 1 para o Flu, as previsões dos sabichões se confirmando e o Flamengo mal, muito mal! Mostrando todas as fragilidades da defesa e sem força para reagir lá na frente.
Mas como eu já disse e todos sabem, futebol se decide dentro das quatro linhas, mas em certas ocasiões também fora dela, não sei o que Andrade falou naquele vestiário, só sei que o Flamengo perdido e fraco do primeiro tempo não voltou para o segundo tempo, voltou o verdadeiro Flamengo: forte, com raça e vibração, aquela camisa rubro-negra, quando vestida assim, cresce e muito.

As substituições de Andrade foram sensacionais. Willians, que voltava de lesão e Vinícius Pacheco entraram muito bem em campo e foram decisivos.

Como já disse a atitude do Flamengo no segundo tempo foi outra, literalmente passou por cima do bam-bam-bam Fluminense, que simplesmente sumiu em campo no segundo tempo, era hora do Flamengo mostrar porque foi hexacamepão brasileiro e porque é candidato fortíssimo ao tetra carioca.

Com 7 minutos, após bate-rebate na área, a bola sobrou para Vágner Love, o artilheiro do amor não deu bobeira e marcou seu quarto gol em três jogos pelo Flamengo, pra quem desconfiava dele é bom rever as opiniões.

Não demorou nem mais um minuto pro empate chegar. Belíssima jogada de Vinícius Pacheco pela direita, cruzamento na área e gol de Kléberson, era o empate do que já tinha pinta de virada, a raça que o Flamengo demonstrava no segundo tempo era algo fora do comum.

Mas toda essa euforia foi contida aos 15 minutos. Álvaro fez falta no meio de campo, recebeu seu segundo amarelo e foi expulso. David entrou de imediato no lugar de Fierro. E o Flamengo que buscava o gol da vitória teve que se segurar lá atrás, pois o Fluminense agora com um a mais voltava ao ataque com força.

Mas a raça rubro-negra continuava e mesmo com um a menos a virada chegou.

Aos 37 do segundo tempo um belo gol: Vágner Love arrancou, fez boa jogada e rolou para Vinícius Pacheco, o camisa 22 que definitivamente jogou muita bola, apenas rolou para Adriano finalizar e fazer o quarto.

Mas não parou por aí, aos 45, Adriano recebeu em posição legal belo lançamento de Vinícius Pacheco (de novo ele) e fechou a conta: Flamengo 5 x 3 Fluminense. De virada e com um a menos. E só pra lembrar o “Império do Amor” já tem oito gols na competição.

Olha, o Flamengo não é nunca foi perfeito. AS deficiências na defesa continuam, o time novamente tomou muitos gols, sim, tudo isso é verdade, mas uma coisa é certa: esse time é muito forte e tá na briga por tudo que disputa.
E jogos como esse ficam pra história e dão mais orgulho ainda de dizer: Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer!

Se quiserem continuar subestimando não tem problema, dentro das quatro linhas a gente mostra o nosso futebol.

SRN