Argentina 1 – 3 Brasil

Sim, Maradona falou muito, a Argentina se inflamou para esse duelo contra o Brasil, revestindo o povo de Rosário de toda a rivalidade que esse confronto possui, o gigante de Arroyito parecia ser o palco ideal para os hermanos conseguirem se recuperar nas Eliminatórias.
Mas o Brasil chegou lá muito tranquilo, não caiu nas provocaçãoes verbais e dentro de campo soube controlar muito bem toda a pressão do time e da torcida argentina, e em dois lances de bola parada abriu 2 x 0 e foi para o vestiário com uma ótima vantagem.
Primeiro Elano cobrou falta da direita e o zagueiro Luisão subiu livre, totalmente livre e marcou de cabeça. Depois, em nova cobrança de falta de Elano a bola rebateu e sobrou com Kaká que girou e rolou para o chute de Maicon, o goleiro Andújar conseguiu defender mas deu rebote, o Fabuloso Luís Fabiano não perdoou e marcou seu oitavo gol nas Eliminatórias.
Na volta para o segundo tempo a Argentina foi pra cima tentando pelo menos diminuir, e conseguiu.
Em um chute meio despretensioso do meia Dátolo a bola entrou no ângulo de Júlio César, que ainda conseguiu relar a luva na bola, mas não dava pra pegar.
O que se esperava depois disso era uma enorme pressão argentina em busca do empate, mas aí quem tem de fazer a diferença fez a diferença.
Em jogada rápida pelo meio, o camisa 10 Kaká descolou um lançamento perfeito para Luís Fabiano, o artilheiro chegou na frente do zagueiro e com um toquinho muito lúcido tirou completamente de Andújar, Brasil 3 x 1, classificado matematicamente para a Copa de 2010 em solo argentino.

A capa do jornal argentino Olé (acima) é um belo retrato do jogo.
Kaká praticamente decidiu o jogo com esse lançamento para Luís Fabiano e durante todo o jogo sempre deu trabalho aos argentinos, estava jogando com muita raça e disposição, assim como todo time brasileiro, que em momento algum se intimidou com o que era pra ser um caldeirão da torcida argentina.
Outros destaques individuais da Seleção Brasileira foram Luís Fabiano, autor de dois gols e que a cada jogo passa confirma sua titularidade nessa seleção em uma posição que tem muitos selecionáveis; além do Fabuloso destaco também Júlio César que nem foi muito acionado, mas quando o time precisou dele ele estava lá, fazendo defesas importantes e confrimando o título de
melhor goleiro do mundo.
Além deles todo time jogou muito bem, o mais importante era não cair na já famosa catimba argentina e o time brasileiro definitivamente não caiu.
Já Maradona e seus comandados estavam apáticos.
A equipe argentina do meio pra frente possui muitos valores individuais interessantíssimos: o lúcido Mascherano, o experiente Verón, o esperto Tevez e por aí vai, além é claro de Lionel Messi, que fez uma temporada quase perfeita pelo Barcelona e deverá ser eleito o melhor jogador do mundo no fim do ano.
Mas isso não é o suficiente. Maradona está no comando da Seleção Argentina há quase um ano e ainda não conseguiu definir um time, com esquema tático, jogadas ensaiadas e tudo mais, o time do meio pra frente não se encontra em campo e quando o assunto é a defesa, aí chega a ser deprimente.
Com exceção do bom goleiro Andújar, a defesa argentina que jogou contra o Brasil ontem é pífia!
Por tudo isso a vitória argentina era algo que só aconteceria se o Brasil não soubesse suportar a
pressão, parece fácil falar isso depois do jogo, mas é a verdade.
Agora, como já disse o Brasil, com 30 pontos, está classificado para a Copa do Mundo de 2010 e a Argentina, com 22 pontos ainda terá que jogar muita bola nesses últimos três jogos para conseguir seu passaport para a África do Sul.
Mais uma vez em um jogo difícil e importante a seleção de Dunga não afinou, jogou muito bem e
conseguiu um ótimo resultado.
As críticas a Dunga cada vez mais vão diminuindo, quando o assunto é resultado essa seleção de
Dunga é quase perfeita, foram apenas 4 derrotas de 2006 pra cá e vem numa sequencia de 10 vitórias seguidas.
Por tudo isso, assim como a própria seleção, Dunga também está dentro dessa Copa da África e
diferentemente da seleção de Parreira que entrou muito bem na Copa de 2006, essa seleção atual não está naquela euforia toda, pode parecer estranho mas ainda existe uma certa desconfiança.
Mas o mais importante é que dessa vez não tem história quadrado mágico ou coisa parecida, o mestre do time é Kaká, pois ele é superior, mas todo time está em sintonia e existem várias posições em aberto ainda, o que fomenta uma dipsuta maior, diferentemente da seleção da
Copa de 2006 que estava praticamente fechada um ano antes da disputa na Alemanha.
Ou seja, essa seleção é mais forte do que a de 2006 e tem tudo pra fazer muito mais na Copa do que ser eliminada nas quartas-de-final.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: