Arquivo mensal: setembro 2009

Os "acontecimentos" de setembro/2009

Acaba o mês de setembro e os acontecimentos do mês estão aqui no Un Quimera:
Acordo Militar Brasil-França
As relações entre Brasil e França sempre foram algo a ser lembrado.
Antigamente no âmbito cultural isso era muito forte, existe aquela velha história de que em tempos idos o Brasil tentava copiar a Europa em tudo, nessa Europa o grande pilar era o país que tem como capital Paris.
Mas hoje o acordo entre Brasil e França se dá em outra área, na militar.
Convidado de honra para o desfile de 7 de setembro, o presidente francês Jean Sarkozy assinou um acordo com o presidente Lula. Um acordo de proporções enormes.
O acordo é assim: a França fornecerá ao Brasil helicópteros, quatro submarinos, um casco para o futuro submarino nuclear e transferência de tecnologias, com exceção da nuclear (que por acaso é uma das maiores e mais evoluídas matrizes de energia francesas).
Tudo isso pela “bagatela” de R$ 25 bilhões. Além disso foi acordado também a compra de 36 caças Rafale, pelo valor aproximado de R$ 7 bilhões.
Bem, é muita grana!
É lógico que o investimento nessa área é muito importante, mas até por isso mesmo é necessário fazer uma melhor pesquisa de preços e de posteriores vantagens que o país poderá ter: é mais ou menos como pesquisar em vários supermercados o melhor preço. Ao invés de fazer isso, Lula escolheu um “supermercado”, entrou nele e comprou tudo de uma vez lá.
Acho que deu pra entender a brincadeira do parágrafo acima, o que quero dizer é que um acordo do tamanho desses ser feito assim da noite pro dia é algo meio estranho, talvez fosse melhor pensar mais um pouco.
Sarkozy é quem agradece, pois além de lucrar muito com esse acordo ainda se livra dos Rafale, um caça que não deu muito certo, e precisava de alguém pra comprá-lo, esse alguém foi o Brasil.
Mas, acordos militares a parte, Vive la France!
Caso Briatore Renault

Continuamos com um pé na França, afinal agora o acontecimento tem como um de seus principais personagens a escuderia francesa de Fórmula 1, Renault.
Na verdade o acontecimento ocorreu há um ano, no Grande Prêmio de Cingapura: o piloto brasileiro Nelsinho Piquet acatou ordens de seus superiores (entenda-se Flávio Briatore, o então homem forte da Renault) para forjar um acidente, que beneficiaria seu companheiro de equipe Fernando Alonso, arriscando-se fisica e moralmente.
Mas aí o leitor pode se perguntar: mas por que isso só veio a tona agora?
É simples: Nelsinho foi mandado embora da Renault, enquanto ainda corria pela equipe não queria revelar isso ao público, depois da demissão ficou “livre”disso e enfim foi tudo revelado.
É meio deprimente ver coisas assim, foram muitas discussões em relação às punições a Briatore, Piquet e outros envolvidos, acredito que nenhum tipo de punição é válida, o que foi feito é algo realmente baixo, que teoricamente não deveria ser feito de maneira alguma, ainda mais em um campeonato da grandeza da F1.
E aí fica o questionamento mais uma vez: práticas como essa podem ser comuns dentro da Fórmula 1? Será que foi a primeira vez que isso aconteceu?
Sinceramente, creio que não em ambas as perguntas.
Porém o que fica é a impressão de que o dinheiro definitivamente ultrapassou as barreiras do esporte, hoje não é mais corrida pra ver a bandeira quadriculada antes de todo mundo, a corrida é pelo dinheiro.
Soa materialista demais, mas essa é a realidade.
*Mês que vem tem Honduras nos acontecimentos…

Coruja (Owl)

A partir de hoje, o Un Quimera em parceria com o site Porta Curtas Petrobras, exibirá mensalmente um curtametragem.

E pra começar bem vamos de Bezerra da Silva juntamente com os compositores anônimos dos morros cariocas.
Em uma espécie de documentário de 15 minutos, vários compositores que ao mesmo tempo são trabalhadores falam um pouco das músicas de Bezerra, das gírias do morro.
E o próprio Bezerra também comenta várias coisas durante o curta.
Uma música de cunho social fortíssimo, mostrando e comprovando sua versatilidade Bezerra da Silva expoe verdades que ficam escondidas para a grande maioria, tudo isso com o samba como arma principal:
“Se não fosse o samba quem sabe hoje em dia eu seria outro bicho…”

Nordeste encantado

Acho que já deu pra perceber que eu gosto muito de misturar literatura com outros gêneros: futebol, política e por aí vai…
Hoje a mistura é com a música.
Nesse caso já não é uma mistura tão incomum assim, se remontarmos a um dos períodos iniciais da literatura ocidental teremos no Trovadorismo uma perfeita união entre poesia e música, as cantigas de amor e amigo são o exemplo clássico disso.
Mas a mistura da qual falo hoje é bem atual.
Muitos são os autores nordestinos que pertenceram ao Modernismo brasileiro: Jorge Amado, José Lins do Rego, Graciliano Ramos, João Cabral de Melo Neto entre outros. Além desses dá pra citar também um pré-modernista que teve muita importância e que está em destaque hoje em dia, devido ao centenário de sua morte: Euclides da Cunha, autor de Os Sertões.
Todos esses autores buscam mostrar um nordeste real e encantado ao mesmo tempo.
Os romances “sensuais” de Jorge Amado, os engenhos de José Lins do Rego, as Vidas Secas de
Graciliano Ramos, a Morte e Vida Severina de João Cabral de Melo Neto.
A partir desses autores é que a literatura nordestina e o valor do Nordeste brasileiro começou a ser reconhecido no resto do país.
Daí é simples estabelecer a relação com a música, no mesmo século XX surgiram vários cantores nordestinos que também mostravam sua região de uma maneira fantástica.
A relação básica entre a maioria destes autores e cantores é a migração para Rio ou São Paulo, migrando para estas cidades eles de certa forma incluiam-se em suas histórias e canções, pois as migrações eram temas recorrentes sempre.
Dá pra citar muitos cantores, tais como: Belchior, Raimundo Fagner, Zé Ramalho, Alceu Valença, Elba Ramalho, Geraldo Azevedo, os Doces Bárbaros, os Novos Baianos, Raul Seixas, o manguebeat da Nação Zumbi de Chico Science dentre outros, com certeza devo ter
esquecido alguns ótimos cantores, já fica o pedido de desculpa de antemão.
Mas todo esse papo é pra chegar em algo atual, como havia dito no começo do texto.
E esse algo atual tem nome: Cordel do Fogo Encantado.

A banda pernambucana que surgiu há mais ou menos uma década não é daquelas bandas que fazem muito sucesso com a grande massa, a banalização musical de hoje em dia impede que isso aconteça.
Mas pra quem tem um poquinho de vontade de conhecer algo realmente novo e interessante a ideia é começar a escutar Cordel, com certeza você ira se encantar.
Com uma percussão violentíssima, a banda mostra influências oriundas do manguebeat, dos côcos, dos batuques africanos, o resultado disso tudo é um som com muita energia, é impossível escutar Cordel sem se empolgar com a vibração do som, principalmente com a vibração do vocalista da banda: Lirinha.
E a relação do Cordel do Fogo Encantado com a literatura é enorme. Citações de João Cabral de Melo Neto, por exemplo, são constantes, além de uma impregnação do místico e do religioso nordestino na maioria de suas músicas, assim como os autores nordestinos também fazem críticas sociais como na música Palhaço do Circo Sem Futuro (só pra citar uma).
É isso, o nordeste brasileiro é muito rico culturalmente e nos dias de hoje o Cordel do Fogo Encantado talvez seja o principal representante dessa cultura quando o assunto é música.
Vai o myspace deles que tem vários vídeos: http://www.myspace.com/cordeldofogoencantado
E vai também o vídeo direto de “Dos três mal-amados – Palavras de Joaquim”:

Liga dos Campeões da Europa 2009/2010 Preview

Começa no próximo dia 15 a Liga dos Campeões da Europa, também conhecida como UEFA Champions League, a maior competição de clubes do mundo chega nessa temporada 2009/2010 repleta de expectativas (das melhores possíveis).
Como já deu pra acompanhar nos posts do mês passado, os principais campeonatos nacionais europeus começaram e muitos grandes clubes europeus aparecem como favoritos a conquista dessa Liga dos Campeões.
Vou analisar um pouco de cada um dos 8 grupos dessa primeira fase de Liga dos Campeões e dar os meus palpites também.
GRUPO A
Juventus, Girondins de Bordeaux, Maccabi Haifa e FC Bayern München
O grupo A não é dos mais fáceis, porém não pode ser considerado um “grupo da morte” também.
Com exceção do Maccabi Haifa, conta somente com equipes de história no futebol mundial que podem chegar ao título da Liga dos Campeões.
Mas apenas 2 se classificam para as oitavas, devido as boas contratações e ao bom início de temporada aposto na Vecchia Signora como uma das equipes classificadas a segunda vaga, na minha opinião fica com o Bordeaux, a equipe de Laurent Blanc está entrosada, vem de um título francês e começa a temporada bem na Ligue 1.
1 – Juventus
2 – Bordeaux
3 – Bayern
4 – Maccabi Haifa
GRUPO B
VfL Wolfsburg, PFC CSKA Moscou, Besiktas JK e Manchester United FC
Um grupo que tem nos Red Devils o time a ser batido, apesar da equipe de Sir Alex Fergunson estar passando por um processo de reconstrução é superior aos adversários e tem tudo para ficar a liderança do grupo.
A segunda vaga deve ser muito disputada: o Wolfsburg, atual campeão alemão e de volta a Liga dos Campeões surge como favorito para essa segunda vaga, mas a briga não deverá ser fácil.
1 – Manchester United
2 – Wolfsburg
3 – CSKA Moscou
4 – Besiktas
GRUPO C
FC Zürich, Real Madrid CF, Olympique de Marseille e AC Milan
Esse sim é um grupo complicado!
Dá até dó do FC Zürich que possivelmente será apenas um figurante nesse grupo que reserva grandes jogos e encontros, como por exemplo o encontro de Kaká contra seu ex-time Milan.
O Real, por tudo que contratou e investiu tem tudo para ficar a primeira vaga do grupo, embora não seja bom contar com isso assim tão fácil, a segunda vaga que teoricamente seria do rubro-negro italiano, pra mim está totalmente aberta, o Olympique também se reforçou muito nessa temporada e pode surpreender.
1 – Real Madrid
2 – Olympique de Marseille
3 – Milan
4 – Zürich
GRUPO D
Chelsea FC, FC Porto, Club Atlético de Madrid e APOEL FC
Grupo em que o Chelsea aparece como favorito disparado, por tudo: o bom time que tem, o ótimo começo de temporada e a defieciência técnica dos adversários.
A briga pela segunda vaga deve ficar entre Porto e Atlético de Madrid, devido a várias perdas nessa última temporada, como Lucho González e Lisandro López, o Porto sai um pouco atrás. Quanto ao APOEL, resta torcer contra e tentar ser uma zebra da competição.
1 – Chelsea
2 – Atlético de Madrid
3 – Porto
4 – APOEL
GRUPO E
Liverpool FC, Debreceni VSC, Olympique Lyonnais, ACF Fiorentina
Grupo do Liverpool, que apesar do começo irregular de temporada tem tudo para ser a primeira força desse grupo, o húngaro Debreceni, que já na estreia enfrenta os Reds caiu em um grupo muito complicado e deve brigar para pontuar.
Lyon e Fiorentina medirão forças pra ver quem fica com a segunda vaga, aposto nos franceses.
1 – Liverpool
2 – Lyon
3 – Fiorentina
4 – Debreceni
GRUPO F
FC Internazionale de Milano, FC Barcelona, FC Dynamo Kyiv e FC Rubin Kazan
Grupo decidido?
É o que parece, Inter e Barça devem realizar dois jogos fantásticos e devem conseguir as duas primeiras vagas do grupo com certa facilidade.
Dynamo e Rubin Kazan brigam pra ver quem fica com a terceira posição.
1 – Internazionale
2 – Barcelona
3 – Dynamo Kyiv
4 – Rubin Kazan
GRUPO G
VfB Stuttgart, Rangers FC, Sevilla FC e FC Unirea Urziceni
Talvez o grupo mais indefinido de todos.
O Sevilla que fez boas participações nas últimas competições europeias que disputou aparece como favorito à primeira vaga.
A segunda vaga está totalmente aberta e é até difícil arriscar um palpite.
1 – Sevilla
2 – Rangers
3 – Stuttgart
4 – Unirea Urziceni
GRUPO H
Olympiacos FC, AZ Alkmaar, R. Standard de Liège e Arsenal FC
O Arsenal, que se classificou para a fase de grupos passando por uma repescagem deu sorte no sorteio e caiu no grupo teoricamente mais fácil da Liga, deve se classificar em primeiro lugar sem muitas dificuldades.
Já a segunda vaga também está aberta, a equipe grega do Olympiacos leva leve vantagem.
1 – Arsenal
2 – Olympiacos
3 – Standard de Liège
4 – AZ Alkmaar
Bem, esses são palpites “por cima” do pouco que conheço desse ótimo futebol europeu que sempre reserva emoções e grandes jogos.
O Un Quimera vai acompanhar de perto essa Liga dos Campeões e no fim da fase de grupos veremos se os palpites estão certeiros.

…ou morte!

Um texto para os 187 anos de Independência do Brasil:
…ou morte!

Sim, há exatos 187 anos o Brasil tornava-se independente da Coroa Portuguesa.

Ouviram do Ipiranga às margens plácidas…

Ouviram D. Pedro I praticamente “acordar” a independência tupiniquim, na verdade a dependência em relação à Portugal apenas foi transferida para a Inglaterra, que passou a deter ainda mais controle sobre o comércio brasileiro e permaneceu assim por alguns anos.

É duro dizer isso, mas a poesia das independências de outros países, como a dos Estados Unidos, por exemplo, não existe em relação ao Brasil, toda a mística de conquista de algo na verdade foi fabricada, não existem verdadeiros heróis brasileiros.

As maquiagens de D. Pedro I e II, Tiradentes e por aí vai, são meras ilustrações que tentam passar para a grande massa a idéia de heróis.

Mais uma vez se cai na idéia da fácil alienação da população brasileira, que chega a considerar até os jogadores do escrete canarinho grandes heróis. Não querendo tirar o mérito de grandes seleções como a de 58 ou 70 e até mesmo a de 82, que apesar de não ter trazido o título deixou muita história pra contar, mas as camisetas amarelas devem ser consideradas lúdicas e não supervalorizadas.


A cada linha que passa sinto que quem lê esse texto me considera um antipatriota ou coisa parecida, não é nada disso, o que acontece é que cada vez mais vejo o Brasil com olhos desiludidos, o que antes era “dia de marchar com a escola” hoje já é dia de pensar em como mudar a situação em que vivemos.

E diga o verde louro desta flâmula: Paz no futuro e glória no passado…

A glória do passado é difícil de ser visualizada, a história está escrita e os longos anos de escravidão, a ditadura militar e os escândalos parlamentares não podem ser apagados, mas paz no futuro é algo que eu desejo muito!

E pra ter essa paz está na hora de mudar, e uma boa chance de mudar é votar conscientemente, 2010 está aí e é nessa hora que muita coisa pode ser mudada e a paz do futuro possa ficar mais próxima da realidade.

Por tudo isso, nesse dia de independência, parafraseando D. Pedro I, pra não falar também que não dou valor nenhum a ele ou a outras figuras históricas brasileiras, desesperadamente eu grito em português: Voto consciente ou morte!
Rogério Arantes

Argentina 1 – 3 Brasil

Sim, Maradona falou muito, a Argentina se inflamou para esse duelo contra o Brasil, revestindo o povo de Rosário de toda a rivalidade que esse confronto possui, o gigante de Arroyito parecia ser o palco ideal para os hermanos conseguirem se recuperar nas Eliminatórias.
Mas o Brasil chegou lá muito tranquilo, não caiu nas provocaçãoes verbais e dentro de campo soube controlar muito bem toda a pressão do time e da torcida argentina, e em dois lances de bola parada abriu 2 x 0 e foi para o vestiário com uma ótima vantagem.
Primeiro Elano cobrou falta da direita e o zagueiro Luisão subiu livre, totalmente livre e marcou de cabeça. Depois, em nova cobrança de falta de Elano a bola rebateu e sobrou com Kaká que girou e rolou para o chute de Maicon, o goleiro Andújar conseguiu defender mas deu rebote, o Fabuloso Luís Fabiano não perdoou e marcou seu oitavo gol nas Eliminatórias.
Na volta para o segundo tempo a Argentina foi pra cima tentando pelo menos diminuir, e conseguiu.
Em um chute meio despretensioso do meia Dátolo a bola entrou no ângulo de Júlio César, que ainda conseguiu relar a luva na bola, mas não dava pra pegar.
O que se esperava depois disso era uma enorme pressão argentina em busca do empate, mas aí quem tem de fazer a diferença fez a diferença.
Em jogada rápida pelo meio, o camisa 10 Kaká descolou um lançamento perfeito para Luís Fabiano, o artilheiro chegou na frente do zagueiro e com um toquinho muito lúcido tirou completamente de Andújar, Brasil 3 x 1, classificado matematicamente para a Copa de 2010 em solo argentino.

A capa do jornal argentino Olé (acima) é um belo retrato do jogo.
Kaká praticamente decidiu o jogo com esse lançamento para Luís Fabiano e durante todo o jogo sempre deu trabalho aos argentinos, estava jogando com muita raça e disposição, assim como todo time brasileiro, que em momento algum se intimidou com o que era pra ser um caldeirão da torcida argentina.
Outros destaques individuais da Seleção Brasileira foram Luís Fabiano, autor de dois gols e que a cada jogo passa confirma sua titularidade nessa seleção em uma posição que tem muitos selecionáveis; além do Fabuloso destaco também Júlio César que nem foi muito acionado, mas quando o time precisou dele ele estava lá, fazendo defesas importantes e confrimando o título de
melhor goleiro do mundo.
Além deles todo time jogou muito bem, o mais importante era não cair na já famosa catimba argentina e o time brasileiro definitivamente não caiu.
Já Maradona e seus comandados estavam apáticos.
A equipe argentina do meio pra frente possui muitos valores individuais interessantíssimos: o lúcido Mascherano, o experiente Verón, o esperto Tevez e por aí vai, além é claro de Lionel Messi, que fez uma temporada quase perfeita pelo Barcelona e deverá ser eleito o melhor jogador do mundo no fim do ano.
Mas isso não é o suficiente. Maradona está no comando da Seleção Argentina há quase um ano e ainda não conseguiu definir um time, com esquema tático, jogadas ensaiadas e tudo mais, o time do meio pra frente não se encontra em campo e quando o assunto é a defesa, aí chega a ser deprimente.
Com exceção do bom goleiro Andújar, a defesa argentina que jogou contra o Brasil ontem é pífia!
Por tudo isso a vitória argentina era algo que só aconteceria se o Brasil não soubesse suportar a
pressão, parece fácil falar isso depois do jogo, mas é a verdade.
Agora, como já disse o Brasil, com 30 pontos, está classificado para a Copa do Mundo de 2010 e a Argentina, com 22 pontos ainda terá que jogar muita bola nesses últimos três jogos para conseguir seu passaport para a África do Sul.
Mais uma vez em um jogo difícil e importante a seleção de Dunga não afinou, jogou muito bem e
conseguiu um ótimo resultado.
As críticas a Dunga cada vez mais vão diminuindo, quando o assunto é resultado essa seleção de
Dunga é quase perfeita, foram apenas 4 derrotas de 2006 pra cá e vem numa sequencia de 10 vitórias seguidas.
Por tudo isso, assim como a própria seleção, Dunga também está dentro dessa Copa da África e
diferentemente da seleção de Parreira que entrou muito bem na Copa de 2006, essa seleção atual não está naquela euforia toda, pode parecer estranho mas ainda existe uma certa desconfiança.
Mas o mais importante é que dessa vez não tem história quadrado mágico ou coisa parecida, o mestre do time é Kaká, pois ele é superior, mas todo time está em sintonia e existem várias posições em aberto ainda, o que fomenta uma dipsuta maior, diferentemente da seleção da
Copa de 2006 que estava praticamente fechada um ano antes da disputa na Alemanha.
Ou seja, essa seleção é mais forte do que a de 2006 e tem tudo pra fazer muito mais na Copa do que ser eliminada nas quartas-de-final.

Os Sapos

Um texto que eu fiz tentando misturar política com literatura:
Os Sapos
Em protesto a uma arte obsoleta e sem nenhum conteúdo, o poeta Manuel Bandeira publicou em 1918 o poema Os Sapos.
Na ocasião, os chamados “Sapos” seriam os poetas parnasianos, que desde a década de 1880 vinham fazendo no Brasil a sua poesia: cheia de rimas (forçadas), supervalorizando a forma em detrimento ao conteúdo.
Hoje em dia não existem mais escolas literárias, como o Parnasianismo ou o Modernismo, mas pode ter certeza de que os Sapos ainda estão por aí.
Só que agora os Sapos não são mais literatos (apesar de alguns dos mais papudos pertencerem a Academia Brasileira de Letras), atualmente eles estão em outro lugar.
Os Sapos estão no poder!
Saem da penumbra em anos pares, pois nesses anos precisam das moscas vivas, das moscas nas urnas, das moscas alienadas achando que sapos podem mudar o país.
E depois vão de volta para o brejo, sapos cururus, sapos papudos, tem de todo tipo, com o mesmo discurso prolixo dos parnasianos; o dinheiro público os abastece, e lá no brejo fazem coisas singularíssimas: atos secretos, nepotismo, corrupção e outras milongas mais.
Não bastasse isso ainda censuram: é verdade, estamos em pleno século XXI, em uma República que se diz democrática e jornais são censurados!
Ah, Sapos, o que tenho a dizer para Vossas Excelências?
Sei que todo o público brasileiro para vocês são apenas moscas, e isso tem sim um fundo de verdade, não tiro a razão de vocês. A população (ou público) em geral não compreende, é alienada ou se omite, e isso deve ser o grande alento de vocês, mas existem moscas e moscas.
Essa aqui que vos escreve sabe diferenciar banqueiros de bancários e artigos de lei de artigos de revista, e esse protesto é de uma mosca que voa longe dos senhores, sapos parlamentares.
A esperança de alguém que é realista tem de ser pequena, é verdade. Porém ainda há de chegar o dia em que os sapos, literários ou parlamentares, irão para brejos bem longe daqui.
Um visionário? Talvez.
Um contestador? Com certeza.
Rogério Arantes