Arquivo mensal: abril 2009

Os "acontecimentos" de abril/2009

Um terço do ano já se foi, 30 de abril, dia de post “acontecimentos” no Un Quimera.
Pra voltar ao costume dos dois primeiros meses, um político e outro esportivo:
Obama: Lula é o cara!

Essa frase gerou muita repercussão no mundo todo, e foi dita no dia 2 desse mês, num intervalo de uma das reuniões do G-20 (grupo dos 20 países mais ricos do mundo).
Antes de falar da frase especificamente, é bom falar o que foram essas reuniões do G-20 no início do mês, aifnal, sem elas, dificilmente a frase teria sido dita por Obama.
O motivo principal dessas reuniões é a crise mundial que assola a todos desde o segundo semestre de 2008. Foi o primeiro grande teste de Barack Obama como presidente estadunidense, desde sua posse foi a primeira reunião do G-20 que ele participou.
Basicamente as resoluções do G-20 decidiram que deverá ser feita uma vigilância econômica pelos países membros, pela Espanha e pela Comissão Européia, para que crises como a atual não voltem a acontecer. Além disso os 20 países mais poderosos decidiram também inejtar R$ 1 trilhão no FMI (Fundo Monetário Internacional), o dinheiro será usado para aumentar o caixa da instituição.
Como dá pra perceber as reuniões trataram de assuntos muito sérios e importantes para todo mundo, só que o grande acontecimento se deu em um momento de descontração quando Obama, em tom de ironia, brincando com o seu amigo Lula disse que ele é o cara.
Embora Lula atualmente não seja nem sombra daquele Lula de barba preta oposicionista e totalmente “canhoto” é legal ver essa ótima relação dele com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, não que isso vá garantir muita coisa ao Brasil, mas pelo menos algumas risadas ao escutar uma frase dessas por exemplo) isso renderá.
A queda do Império
Esse subtítulo pode até indicar algo relacionado a imperadores ou impérios antigos, mas na verdade trata de um imperador que abdicou de seu “poder”, e esse imperador é Adriano Leite Ribeiro.
O Adriano, ex-Flamengo e São Paulo, que usava a camisa 10 da Inter de Milão e que também já passou pela Seleção Brasileira, sendo peça fundamental nas conquistas da Copa América de 2004 e da Copa das Confederações de 2005.
Adriano anunciou no dia 9 desse mês que resolveu “dar um tempo” no futebol, descansar um pouco, voltar as suas origens, na favela de Vila Cruzeiro no Rio de Janeiro e anunciou também que, diferente do que muitos estão dizendo por aí, ele não está com depressão e muito menos envolvido com drogas.
Este é um assunto muito delicado, que ganhou muitos comentários na imprensa em geral. Eu particularmente quando vou me informar ou escrever sobre jogadores de futebol procuro não ficar buscando coisas relacionadas a vida particular deles, me atenho ao futebol que eles jogam, neste caso do Adriano porém, é necessário abrir uma exceção, pois os motivos que o levaram a dar um tempo são extra-campo até porque dentro do campo, embora ele não estivesse jogando atualmente nada em comparação ao Imperador de 2004/05, ele ainda estava em bom nível, sendo convocado para a seleção inclusive.
Muitos estão julgando essa atitude de Adriano, acredito que isso não é interessante, pra mim, o que deve ser analisado em relação a esse acontecimento é que a vida de jogador de futebol também deve cansr, o que parece ser muito bom as vezes pode frustrar e cansar algumas pessoas, como foi o caso de Adriano, não deve ser fácil manter a cabeça no lugar, quando, com 20 e poucos anos se pode ter tudo o que quiser: fama, carro, dinheiro e mulher.
Por essas e outras é que Adriano acabou resolvendo dar um tempo, certa ou errada a atitude do ex-imperador é de homem, de quem soube valorizar as coisas realmente importantes pra ele, e foi sincero e honesto com ele próprio.
Torço pra que ele possa recuperar a alegria de jogar e voltar a jogar em breve, se for no Mengão, como estão especulando, melhor ainda.

Playoffs 2009 – 1ª semana


Chega ao fim a primeira semana dos Playoffs 2009, como de costume, os jogos estão pegando fogo, algumas surpresas, várias enterradas e muitas emoções.

Hoje destaco os que pra mim foram os três melhores jogos dessa primeira semana:
Foi o primeiro jogo da série, na Flórida, o Orlando Magic que fez uma campanha sólida durante a temproada regular dava a impressão de que passaria sem maiores dificuldades pelos Sixers de Iguodala e cia., porém não foi bem assim.
Em um jogo muito disputado, o resultado só foi decidido nos últimos segundos, e mesmo os 31 pontos e 16 rebotes de Dwight Howard não foram capazes de impedir Andre Iguodala fazer a cesta final, a 2 segundos do fim, o camisa 9 dos Sixers gingou pra cima de Hedo Turkoglu e com um longo chute de dois pontos levou o Philadelphia a contagem centenária e deixou o time da Pensivânia em vantagem na série, uma surpresa logo no segundo dia.
No outro post dos Playoffs já tinha falado dessa série, que começou muito bem com outra surpresa, a vitória dos Bulls em Massachussetes, e na segunda-feira, no segundo jogo da série, outro jogão, só que dessa vez os Celtics mostraram porque são os atuais campeões da NBA e venceram, mas pra quem pensa que foi fácil, está muito enganado.
Em um jogo recheado de cestas de 3 pontos, os Celtics conseguiram cubrir a ausência de KG com o triple-double de Rajon Rondo e as contribuições ofensivas de Glen Davis e Ray Allen em especial, este que, também a 2 segundos do fim, como Iguodala no jogo outro jogo que eu citei, decidiu a partida, a diferença é que o chute de Allen foi de 3 pontos, o camisa 20 arriscou e conseguiu dar a vitória aos Celtics. Apesar dos 42 pontos de Ben Gordon, dessa vez não deu para os Bulls.

Existem torcidas na NBA que são diferentes, especiais quando o assunto é Playoffs, a torcida dos Trail Blazers é uma dessas, e talvez por ter ficado algum tempo fora dessa fase decisiva voltou ainda mais fanática nesses Playoffs 2009.
Nem mesmo a derrota no primeiro jogo da série desanimou a torcida e o time que jogou esse segundo jogo com muita raça.
O jogo ficou marcado pela lesão do veteraníssimo pivô dos Rockets Dikembe Mutombo, o lendário camisa 55 depois de 18 anos de NBA deve encerrar a carreira agora.
E apesar da consistência do quinteto dos Rockets dessa vez prevaleceu a raça dos Blazers, comandados por Brandoy Roy que anotou 42 pontos e também com ajuda fundamental do double-double de LaMarcus Aldridge o Portland venceu e animou a série.

Até o momento as séries estão assim:
Cleveland Cavaliers 3 – 0 Detroit Pistons
Boston Celtics 2 – 1 Chicago Bulls
Orlando Magic 1 – 2 Philadelphia 76ers
Atlanta Hawks 1 – 2 Miami Heat
Los Angeles Lakers 3 – 1 Utah Jazz
Denver Nuggets 2 – 1 New Orleans Hornets
San Antonio Spurs 1 – 3 Dallas Mavericks
Portland Trail Blazers 1 – 2 Houston Rockets
Jogador da semana: LeBron James (Cleveland Cavaliers)

Grandes Personagens – II – John Keating (Robin Williams)

No segundo post da série Grandes Personagens, que até agora conta com a presença de Saruman, brilhantemente interpretado pro Christopher Lee, vou falar sobre um filme muito bom!
O detalhe é que a primeira vez que assisti esse filme foi há 3 anos, e foi um professor que passou, em sala de aula.
O filme em questão é: Sociedade dos Poetas Mortos.
Um filme que mostra uma escola tradicional dos Estados Unidos, com normas rígidas e conservadoras, sendo repensada por um novo professor (John Keating) e pelos seus alunos, que passam a ter novas idéias, depois das aulas de Keating.
É legal essa idéia de tentar retratar em um caso isolado, como esse do filme, o que um bom professor pode fazer na vida de seus alunos, na verdade sou muito influenciado por meus professores e se gosto tanto de escrever e pensar muito disso tudo é culpa deles.
Mas não tô aqui pra puxar saco de ninguém, mas sim falar do filme, mas especificamente do personagem de Robin Williams.
Antes, falo do ator, que dispensa muitos comentários, consagrado, tem vários filmes e prêmios no currículo, poderia até pesquisar a filmografia dele e etc, mas quando o assunto é Robin Williams, logo me lembro de Patch Adams, outro filme de muito sucesso do Robin Williams, um longa que retrata bem o que é esse grande ator.
Mas voltando a “sociedade”, o filme deixa para quem o vê, duas frases principais, que têm relação direta com o personagem John Keating, por isso, o post vai consistir em citá-las e comentá-las:
“Oh! Captain! My Captain!”
Logo quando se apresenta aos alunos John Keating diz que gosta de ser chamado assim: Oh! Captain! My Captain!, uma citação de um poema do poeta estadunidense Walt Whitman, precursor do verso livre naquele país, o “captain” em questão era Abraham Lincoln.
Dá pra perceber no filme também, que além de Whtiman outros poetas são citados, mesmo que de uma maneira mais disfraçada como é o caso de Shelley e Shakespeare.
“Carpe Diem”
Pesquisando descobri que o conceito Carpe Diem é do poeta latino Horácio (65 a.C. – 8 a.C.) e quer dizer: Aproveite o dia.
É isso que John Keating tenta passar a toda hora para seus alunos, mostrando a eles que cada um
tem seu próprio estilo (cena do pátio) e que cada um pode ter visões diferentes (famosa cena em que ele sobe em cima da mesa), outra parte que eu também gosto muito é quando John Keating manda seus alunos rasgarem uma página do livro que fala várias coisas sobre poesias mas na verdade não quer dizer nada.
Utilizando desses dois conceitos John Keating muda muita coisa na escola de Welton, um filme que me marcou e uma atuação fantástica de Robin Williams, pra fechar esse post nada melhor do que alguns versos:
Existo como sou,
isso é o que basta:
se ninguém mais no mundo
toma conhecimento,
eu me sento contente;
e se cada um e todos
tomam conhecimento,
eu contente me sento.

Existe um mundo
que toma conhecimento,
e este é o maior para mim:
o mundo de mim mesmo.
Se a mim mesmo eu chegar hoje,
daqui a dez mil ou dez milhões de anos,
posso alcançá-lo agora bem-disposto
ou posso bem-disposto espetar mais.
Walt Whitman

LIBERTAS QUÆ SERA TAMEN

“Sou do ouro, eu sou vocês
Sou do mundo, sou Minas Gerais”
*Homenagem ao Dia de Tiradentes e à Inconfidência Mineira

Playoffs!

Além do futebol que é um esporte que eu gosto demais, outro esporte que eu também admiro muito é o basquete.
Embora o basquete brasileiro não seja o mesmo de outrora, a NBB que está sendo disputada esse ano já mostra um avanço em relação ao ano passado por exemplo.
O Brasil tem uma história repleta de vitórias no Basquete, isso vem se manchando nos últimos anos, mas dá pra dar a volta por cima.
Mas também não é sobre esse assunto que eu vou falar nesse post, mas sim, sobre a maior liga de basquete do mundo, a tão badalada NBA.
Ontem a bola subiu para o início dos Playoffs, a fase decisiva da NBA.
De semana em semana vou colocar um post sobre o assunto.
Hoje, falo sobre um dos jogos de ontem: Boston Celtics 103-105 Chicago Bulls.
Muitos acham injusto o sistema de playoffs, ou mata-mata para os brasileiros, pode até ser, mas a emoção desses confrontos é ímpar e só em confrontos assim coisas como o que aconteceu ontem em Banknorth Garden podem acontecer.
O Chicago Bulls, sétimo colocado na Conferência Leste conseguiu uma importante vitória contra o segundo colocado e atual campeão da NBA, o Boston Celtics, e saiu na frente na série melhor de sete.
Sem contar com a presença de um dos seus principais jogadores, o ala Kevin Garnett, o Boston Celtics até teve boas atuações individuais, do armador Rajon Rondo e de outro astro do time, o ala Paul Pierce, marcaram 29 e 23 pontos, respectivamente.
Porém Pierce errou um lance livre a 2 segundos do fim do jogo fazendo com que a partida terminasse empatada em 97-97 e fosse para a prorrogação.
Na prorrogação os Bulls foram melhores e conseguiram a vitória por 2 pontos de diferença.
O destaque é o calouro Derrick Rose, primeira escolha do draft dessa temporada, ele levou o time nas costas durante a temporada regular e agora, no primeiro jogo da fase decisiva, ele simplesmente decidiu. Anotou 36 pontos e 11 assistências e ajudou os Bulls a fazerem história na liga, nem mesmo Michael Jordan conseguiu levar o Chicago a uma vitória contra os Celtics em um jogo de Playoffs.
Outros resultados da noite de abertura dos playoffs:
Detroit Pistons 84-102 Cleveland Cavaliers
Dallas Mavericks 105-97 San Antonio Spurs
Houston Rockets 108-81 Portland Trail Blazers
Jogador da noite: Derrick Rose (Chicago Bulls)

Chelsea 4 – 4 Liverpool / 20 anos da tragédia de Hillsborough

A eliminação

Chegou ao fim ontem a participação do Liverpool na Liga dos Campeões da Europa temporada 2008/09.
Os Reds que, historicamente, têm muita tradição dentro dessa competição acabaram sendo eliminados, pela segunda veza consecutiva por outro inglês: o Chelsea.
Como já havia dito no último post, na semana passada, jogando em casa (Anfield Road) o Liverpool até saiu na frente, com gol de Fernando Torres, mas permitiu a reação do Chelsea, que virou pra 3 x 1 e ficou em uma situação confortável para o jogo de volta, que seria em Londres (Stamford Bridge).
Mas pra quem pensava que a classificação dos Blues já estava certa se enganou, apesar de ter sido conrfimada não foi nem um pouco fácil consegui-la nesse segundo jogo.
Com gols de Fábio Aurélio e Xabi Alonso o Liverpool começou o jogo abrindo 2 x 0 e mostrando que poderia conseguir a vaga nas semi-finais, porém, como havia acontecido no primeiro jogo o Chelsea reagiu e conseguiu virar pra 3 x 2, mas os Reds ainda estavam vivos e reviraram o jogo (literalmente) chegando aos 40 minutos do segundo tempo com um placar favorável de 4 x 3, aos 44 minutos, Frank Lampard marcou o quarto gol do Chelsea, empatou o jogo e tirou o Liverpool da Liga.
O treinador red, Rafa Benítez disse na coletiva: Demonstramos caráter e qualidade e temos que estar orgulhosos. Os jogadores fizeram um trabalho fantástico.
E acho que o espírito é esse mesmo, apesar da derrota, o Liverpool jogo com muita raça e determinação até o fim, o jogo de ontem foi um dos melhores da história da Liga.
Agora o Chelsea segue e enfrenta o Barcelona de Messi nas semi-finais.
A Tragédia

E hoje é uma data histórica para o Liverpool, há exatos 20 anos, num jogo válido pelas semi-finais da Copa da Inglaterra, entre Liverpool x Nottingham, a superlotação de uma parte do estádio acabou causando a morte de 96 torcedores dos Reds.
São cenas impressionantes, que ficaram marcadas na história do futebol, e, apesar de tudo, tiveram seu lado bom: depois disso o futebol inglês passou por uma modernização e hoje é um dos melhores e mais modernos do mundo.
Porém isso não paga as 96 vidas perdidas na tragédia, por isso a tristeza fica e a data é lembrada até hoje com um memorial no estádio Anfield Road.
Obs.: A primeira foto do post é do jogo entre Liverpool x Blackburn, disputado no último sábado pelo Campeonato Inglês, os jogadores respeitaram um minuto de silêncio antes do jogo em homenagem as vítimas da tragédia de Hillsborough.

A segunda foto é de um torcedor do Liverpool no memorial da tragédia.
YNWA – SRN

Remo 0 – 2 Flamengo

E o Flamengo continua “remando” pelo atalho mais curto rumo a Libertadores 2010.

Após estrear goleando o desconhecido Ivinhema-MS por 5 x 0 e, assim, já garantir a classificação para a segunda fase sem necessidade do jogo de volta, o rubro-negro ontem encarou o Remo, em Belém e mais uma vez conseguiu a classificação antecipada, só que dessa vez ao invés de uma goleada o placar foi de apenas 2 x 0.
Falando assim até parece que o time apresentou uma decadência nesses dois jogos, mas pra mim, foi exatamente o contrário. Explico: Na estréia, com todo respeito, o adversário era abaixo da crítica, um time realmente muito fraco. No jogo de ontem o adversário não era lá essas coisas também não, mas já era bem mais forte do que o Ivinhema e o Flamengo também entrou em campo com um time misto, visando o Fla-Flu decisivo do próximo domingo.
Ontem, após um primeiro tempo fraco, que teve como principal lance um chute de Emerson no travessão do goleiro Adriano, no segundo tempo a entrada de Fierro deu mais ânimo ao Flamengo e logo aos 8 minutos, depois de cruzamento da direita, a bola desviou em Ibson e sobrou limpa pra Willians escorar pro gol, abrir o placar e marcar o seu primeiro gol com a camisa do Flamengo.
O gol deu tranqulidade ao Flamengo, que logo depois conseguiu ampliar: em rápido contra-ataque, após boa jogada de Fierro, Kléberson serviu Emerson (que cada vez mais vai mostrando ser artilheiro de verdade) que tocou no canto, na saída do goleiro, para fazer 2 x 0 pro Flamengo.
O resultado dava a classificação para o Flamengo, mas o Remo parecia não querer de maneira nenhuma ficar sem ir para o Rio de Janeiro no dia 22, e foi pra cima no fim do jogo, colocou uma bola na trave com Bebeto e continuou tentando o gol por diversas vezes, mas aí a defesa do Flamengo mostrou algumas qualidades, em um jogo desses, o importante era a classificação direta, mesmo que seja por apenas 2 x 0, e a defesa segurou no fim, Lenon mais uma vez entrou sem comprometer e no fim do jogo a zaga também era totalmente cria da base do Fla: Wellington e Thiago Salles.
Isso é um ponto importante, aos poucos (como deve ser) o Flamengo-2009 vai utilizando jogadores da base no time principal, o que gera experiência para esses jogadores e mais opções para o Flamengo.
Bem, é isso, o Flamengo está nas oitavas-de-final da Copa do Brasil, e agora espera o vencedor do confronto entre Fortaleza x Paraná Clube, porém, antes dessas oitavas, o Flamengo terá, no próximo domingo, o jogo mais importante do ano até agora, um Fla-Flu que vale vaga na final da Taça Rio.
Obs.: O Liverpool ontem acabou perdendo de 3 x 1 pro Chelsea, em Anfield Road, pelo primeiro jogo das quartas-de-final da Liga dos Campeões, o jogo de volta é na próxima terça, agora em Stamford Bridge, a situação ficou complicada demais para os Reds, mas ainda dá, semana que vem tem post falando exclusivamente desse assunto.
YNWA – SRN

Lindíssimo!

Dom Casmurro talvez seja o melhor livro da história da literatura brasileira.

A enorme dúvida sobre a traição ou não de Capitu é algo que chega a assustar, pelo menos na minha opinião, criar uma trama dessas e deixar essa dúvida no ar é coisa para poucos, salve, salve Machado de Assis.
Cada um tem seu ponto de vista e, pra mim, Capitu traiu sim o Bentinho, aqui vai a minha tese sobre o assunto, recheada de citações do próprio livro (o título do post por exemplo, faz referência ao último superlativo dito por José Dias), ou seja, pra quem ainda não leu o livro e não conhece direito a história é melhor nem ler o post, mas pra quem já leu acho interessante dar uma olhada…
Aí vai:
Os olhos de ressaca são universais: por mais que apontem a excessiva casmurrice de Bento como a principal evidência da traição de Capitu, e esta evidência não tenha nenhuma verossimilhança, a grande culpa de Capitu é natural, não pode e nem precisa ser explicada.
Quando Bentinho diz: Retórica dos namorados, dá-me uma comparação exata e poética para dizer o que foram aqueles olhos de Capitu. Não me acode imagem capaz de dizer, sem quebra da dignidade do estilo, o que eles foram e fizeram. Olhos de ressaca? Vá, de ressaca. É o que me dá idéia daquela feição nova. Traziam não sei que fluido misterioso e enérgico, uma força que arrastava para dentro, como a vaga que se retira da praia nos dias de ressaca, são palavras de um adolescente apaixonado em sã consciência, não é o casmurro e quase suicida Bento que disse e sentiu isso, portanto, nenhuma associação entre a narração em primeira pessoa e a culpa de Capitu pode ser feita quando se leva em conta este fragmento em particular.
Daí fica fácil pensar que além de Bentinho, eterno namorado de Capitu, outros homens poderiam ser tragados por essa ressaca.
E o melhor amigo de Bentinho, Escobar, pode ter sido um desses homens.
O próprio Escobar, explica a simplicidade da natureza, garantindo a Bentinho que: as idéias aritméticas são mais simples, e, portanto mais naturais. A natureza é simples. A arte é atrapalhada.
E a natureza dos olhos de Capitu podem ter atraído Escobar sim, de uma maneira bem simples, tão simples quanto a catástrofe do mar da praia do Flamengo, que levou Escobar para os estudos geológicos nos campos santos e deixou a grande dúvida.
Porém volto a afirmar que os olhos de ressaca podem esclarecer essa dúvida.
O momento em que Bento vê esses mesmos olhos de ressaca derramarem incessantes lágrimas para Escobar marca o começo da “loucura” de Bento.
A parir daí ele se afunda em ciúmes, tenta o suicídio e acaba solitário pensando na História dos Subúrbios.
Aí ele começa a tentar criar culpas para Capitu e a mais usada é a enorme semelhança entre Escobar e Ezequiel, este último torna-se um fantasma do outro para Bento e Capitu, mas não pode ser considerado uma prova da culpa de Capitu, a genética possui infinitas variações e semelhanças podem ser apenas coincidências.
Só que antes de toda essa paranóia, já existiam dois olhos de ressaca que fizeram Bentinho desistir da vida eclesial e que podem ter feito muitas outras coisas.
As comparações com os bustos de Nero, Augusto, Massinissa e César e com a obra shakespeariana Otelo, o Mouro de Veneza são válidas, mas em todos esses casos a
inocência prevaleceu, Machado de Assis não copiou nada disso, apenas recordou e em sua obra modificou, em sua obra criou a dúvida e não permaneceu com a inocência.
“Tu serás feliz, Bentinho!”
Feliz e inocente ele era quando dizia:
Oh! Flor do céu! Oh! Flor cândida e pura!
Ganha-se a vida, perde-se a batalha!
Realmente. Bento Santiago (com uma ponta de Iago) perdeu a batalha, José Dias, Escobar, Ezequiel e etc. perderam a vida, já Capitu, também perdeu a vida, mas foi ela quem mudou tudo: quem casou, quem amou, e, principalmente, quem olhou.